Blindspot – 01×13 – Erase Weary Youth
| 17 Mar, 2016

Publicidade

Excelente episódio de Blindspot a todos os níveis. Parece que começa a ser regra de a cada dois episódios – não maus, mas razoáveis – termos um episódio de elevado nível para continuar a cativar os telespectadores. Erase Weary Youth aborda as principais preocupações que temos tido desde a estreia, caracterizando um antagonista excecionalmente bem escrito para o arco da história do episódio, conseguindo não incidir sobre o mistério de uma das tatuagens de Jane.

Erase Weary Youth começa com parte do elenco em colapso nervoso, Jane e Patterson ambas a tentar processar todos os problemas que as têm afetado. De seguida é-nos apresentada a narrativa sobre a qual o episódio semanal se irá debruçar, narrativa esta bem escrita, pensada e executada. Olivia, a mulher que assassinou o namorado de Patterson, David, alguns episódios atrás, prepara-se para o julgamento pelo assassinato de David e pelas suas atividades como espia. No quarto de banho do tribunal, esta revela à sua advogada que pode dar o nome de alguém infiltrado no FBI a trabalhar para os russos. A advogada revela-se ser uma agente russa e, do nada, mata-a, afogando-a na sanita. No entanto, um guarda, que devia ter ouvido todo aquele barulho, entra e dispara mortalmente sobre a advogada de Olivia. Um bom começo para o episódio.

Fischer, mais uma vez, está de volta ao escritório do FBI em Nova Iorque para bisbilhotar e tentar derrubar Mayfair, alegando que um membro da equipa dela é um espião. No início, sendo que esta foi a sua segunda aparição na segunda metade da temporada, eu pensei que seria o novo Tom Carter, contudo o caso não é bem esse. Fischer estava ali apenas por uma coisa, Jane. E quase conseguiu, não fosse esta matá-lo perto do fim do episódio. Foi uma grande reviravolta na história ter Fischer como espião a trabalhar para os russos, com Kurt a tentar reunir pistas desde o início do episódio para descobrir o “rato”. No momento em que foi revelado, não foi assim tão chocante, mas ainda assim, foi muito agradável e emocionante ver Kurt a perseguir Fischer, já depois de este ter Jane em custódia, acusando-o de ele ser a toupeira. Kurt, aconteça o que acontecer, está sempre do lado de Jane.

O subplot do romance entre Reade e a irmã de Kurt, Kate foi também abordado. Reade confessa o relacionamento a Kurt e, claro, Kurt não o aceita, chegando mesmo a dizer de forma fria e direta para este terminar com ela imediatamente. Já em casa, Kurt revela a Kate o seu desagrado por esta estar a ter um caso com um colega de trabalho. No entanto, ficamos a perceber que, no fundo, Kurt teme pela vida da irmã, porque não consegue, nem pode, proteger todos ao seu redor. Cá para nós, esta relação irá continuar, resta saber é as consequências que irá provocar.

Jane a alvejar Fischer foi um dos acontecimentos altos do episódio e com repercussões no futuro, nas próximas semanas. Pode-se especular que Fischer estava na iminência de agarrar a sua arma quando ela atirou nele, por isso foi autodefesa. No entanto, Jane poderia simplesmente feri-lo, imobilizá-lo, sem precisar de o matar, e isso é algo que vai-lhe deixar marca psicológica porque, em abono da verdade, Jane não é uma assassina, pelo menos, o seu “eu” atual não. Por outro lado, para proteger o seu segredo, talvez fosse o único caminho que poderia tomar. Muitos “ses”, num caminho cheio de obstáculos e muito mistério. Oscar afirma que Jane é inimiga do FBI, mas para esta eles são a sua família.

Nos minutos finais deste episódio, Jane encontra-se com Oscar exigindo-lhe respostas (ecoando a frustração do público também). Ele, é clarom não lhe diz nada, apenas remete para uma tatuagem em Jane que merece atenção especial. Jane, perante esta recusa, por Oscar ignorar os seus pedidos, diz-lhe que está fora, que abandona o caso, deixando-o sozinho. Oscar tornou-se, como seria de esperar, mais uma personagem enigmática no universo de Blindspot. Até quando os guionistas irão manter os telespectadores nesta incógnita e manter todo este mistério, sem deixar que o público perca o entusiasmo?

Erase Weary Youth foi um episódio de Blindspot muito bem conseguido, o facto de ter mudado a sua fórmula não afetou em nada a série, muito pelo contrário. Enorme desenvolvimento das personagens, abrindo muitas portas para a série as poder explorar e seguir vários caminhos. A progressão da narrativa global foi igualmente muito positiva. Episódio a um ritmo vertiginoso, bem escrito e com grandes repercussões para o futuro da série.

A ter em conta:

  • Zapata alvo de vigilância da CIA. Com Carter fora do baralho, quem será o responsável por isto?
  • Reade em conflito com Weller.
  • Reade e Mayfair numa aliança para descobrir onde Jane esteve na noite em que Carter morreu.
  • A título de curiosidade, apenas 22 tatuagens de Jane ainda foram reveladas.
  • O anagrama do título do episódio desta semana é – Stay Where You Are.
  • Jane debaixo de fogo.

Fernando Augusto

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

alice & jack

Recomendamos