The Walking Dead – 06×09 – No Way Out
| 17 Fev, 2016

Nota: Peço desculpa por esta review ser um ‘bocadinho’ grande, mas não me consegui conter, este episódio foi dos melhores e eu não disse tudo o que queria dizer, mesmo assim! Leiam, não se cansem de ler, e no fim comentem o que acharam!

The Walking Dead está de volta!!! Finalmente!!! 😀

Antes de começar a review, quero-vos confessar que eu não estava muito animado nem ansioso com o regresso da série e quem me conhece sabe que eu deliro com The Walking Dead, mas talvez este meu desinteresse tenha sido benéfico, pois não me lembro de ter estado de boca aberta a ver um episódio do início ao fim como aconteceu com este.

Começamos “No Way Out” com a cena pós-créditos do mid-season finale: Abraham, Daryl e Sasha são obrigados a parar por um grupo de motards no meio da estrada, que exige todas as suas armas alegando que as coisas deles agora pertencem ao Negan.

“Quem é o Negan?” é a pergunta que Abraham faz, tendo como resposta uma arma apontada a si pelo líder do grupo motard, dizendo que este já está a querer saber de mais. Abraham e Sasha estão de caras para a morte certa enquanto Daryl foi ‘arrastado’ para a traseira do camião para entregar as restantes armas que possam estar lá escondidas. O líder dos motards diz, apontando as suas duas armas para Sasha e Abraham: “Eu não vos vou matar. Esperem, esperem. Vou sim” e ao dizer isto boom!, Sasha e Abraham caem no chão enquanto os motards estão feitos em carne picada no meio da estrada, rodeados de chamas. Mas o que foi isto? Foi o Daryl, é claro, sozinho nas traseiras do camião mais um motard. Daryl matou-o, agarrou no lança rockets e dizimou os motards como se nada fosse e isto é apenas a cena antes da abertura!

“Wow, que início mais brutal, agora vamos ter a morte do Sam e mais nada de interessante vai acontecer”, pensei eu enquanto tocava a música de TWD, mas não podia estar mais enganado.

De regresso a Alexandria, os nossos sobreviventes, camuflados com as entranhas dos walkers, caminham por entre os mortos em direção ao armeiro, numa cena bastante tensa onde se pode ver a clara perturbação que Sam está a sentir. O grupo muda de planos e decide ir buscar os veículos à pedreira para atrair os walkers com maior sucesso. Nisto, Gabriel oferece-se para ficar a tomar conta de Judith na igreja. Enquanto os outros vão buscar os carros, Jessie quer que Sam fique também com o padre, mas este implora para ir com a mãe (miúdo, porque é que tens de ser tão irritante?).

Ao anoitecer, o grupo ainda está no meio dos walkers, até que Sam se começa a lembrar das palavras de Carol: “Os monstros vão aparecer e não vais ser capaz de fugir quando vierem à tua procura. Os que estão lá fora. Vão-te esventrar e devorar, tudo enquanto ainda estás vivo”. Sam paralisa enquanto todos o tentam convencer a continuar, mas, sem efeito, acaba por ser mordido pelos walkers. Jessie entra em pânico e grita enquanto agarra a mão de Carl e acaba também ela por ser mordida. Carl começa a desesperar, pois Jessie ainda o está a agarrar, Rick, sem pensar, corta o braço a Jessie para libertar o filho. Ron, revoltado, apanha a arma de Carl, aponta-a para Rick e, no momento em que a ia disparar, Michonne atravessa-lhe o corpo com a sua espada, matando-o.

No entanto, o drama ainda não estava terminado. Ron tinha conseguido disparar a arma, Rick estava bem e Michonne também, mas então vemos Carl a levantar a cabeça com sangue a escorrer-lhe pela cara e, enquanto desfalece, diz apenas: “Pai?”.

Michonne e Rick, com o filho nos seus braços, correm como loucos entres os walkers na tentativa de chegar à enfermaria e salvar Carl. Ao mesmo tempo, temos o wolf e Denise a tentar escapar de Alexandria. Denise acaba encurralada e o wolf volta para trás para a salvar, acabando por ser mordido num braço. Denise muda de planos e pede para o wolf a levar à enfermaria, que em troca o irá salvar. Mesmo a chegar à enfermaria, Carol atira no wolf. Ao cair no chão, este faz barulho para atrair os walkers e grita Vai!”, para que Denise se salve. Com esta ação do wolf, Carol fica meio confusa por tê-lo morto e vê que ele estava a tentar ajudar Denise.

Já na enfermaria, Rick entrega Carl para que Denise o trate. Após este misto de emoções que Rick sente, a loucura impera no seu consciente, o que faz com que saia porta fora com um machado na mão a matar os walkers que o rodeiam. Michonne corre em seu auxílio, juntamente com Aaron e mais dois membros de Alexandria. A loucura de Rick está a servir de inspiração àqueles que assistem do interior das suas casas e decidem também eles juntar-se a Rick e salvar a sua cidade.

Quando eu pensava que o episódio não me poderia surpreender mais, eis que Gabriel decide também juntar-se a Rick na luta contra os walkers. É isso mesmo, Gabriel, isso mesmo! Mas esperem, há mais, Eugene também se junta na luta! Sim, aquele – peço desculpa pelo palavreado que se seguirá – otário, cobarde, medricas que ‘empurrava’ os outros para cima dos walkers para se salvar a ele, decidiu finalmente fazer-se homem e enfrentar os walkers! Padre Gabriel e Eugene Porter, com esta vossa determinação e coragem, acabaram de ganhar o meu respeito, estão de parabéns!

Mas falta falar aqui de alguém! Sim, da Maggie, que acaba por ser salva por Glenn. O nosso sul coreano decide sacrificar a sua vida para que a sua amada se possa salvar e quando as lágrimas já nos escorrem pelo canto do olho ao ver Glenn rodeado de walkers, eis que chega a cavalaria! Abraham e Sasha matam os walkers que cercam Glenn, salvando-o a ele, à Maggie e à Enid. Juntos levam o camião para o lado da cidade onde despejam o combustível do tanque do camião, afastam-se e boom!, Daryl, you again… Como este homem gostou mesmo da sensação de disparar o lança-rockets.

Ao amanhecer, vemos os inúmeros corpos espalhados pelas estradas e jardins da cidade e todos os sobreviventes sentados à porta da enfermaria, enquanto Denise está a tratar da ferida de Daryl; Maggie descansa e temos Rick junto de Carl, a desabafar com o filho e a revelar-lhe que depois daquela noite nada mais será igual. Aquela noite mostrou a Rick que ainda há esperança, que as gentes de Alexandria estão dispostas a lutar por aquilo que é deles, deles todos, e juntos irão conseguir reerguer a cidade que Deanna tinha o sonho de construir.

Este episódio foi dos melhores de toda a série, na minha opinião. O misto de emoções, as recordações de temporadas passadas com o Carl a ser baleado, a luta contra os walkers como no fim da season 2, a loucura de Rick como aconteceu após a morte de Lori, o Glenn cercado de walkers… Mas acima de tudo, a esperança, a coragem, a vontade de viver, a vontade de querer continuar reinaram neste episódio. A força e determinação de todos foi fulcral para o sucesso na luta contra os walkers.

Eu não estava ansioso com este regresso de TWD, mas depois deste episódio, estou já a desesperar pelo próximo.

Digam aí nos comentários qual a vossa reação a este episódio, se acharam que foi realmente bom ou para vocês a série continua a enfraquecer.

NOTAS:

  • Não sei se repararam, mas na altura em que Daryl dispara sobre os motards, ao fundo vê-se um carro a aparecer. Seria falha nas gravações ou alguém que irá aparecer no futuro?
  • A união faz a força! Como irá Rick reagir daqui para a frente com as pessoas de Alexandria?
  • Será que com isto temos o assunto Negan encerrado? Hmm, eu duvido muito.

João Montez

Publicidade

Populares

heartstopper

westworld poster

Recomendamos