The Flash – 02×13 – Welcome to Earth-2
| 12 Fev, 2016

Publicidade

“Tens o Mundo ao contrário”

OMG! Emoticon, emoticon. Seja como for que expressem a vossa admiração, aposto que no final do episódio estarão de boca aberta e com o coração aos saltos. The Flash esteve no topo, melhor episódio da temporada e um dos melhores de sempre.

Barry, Cisco e Wells pegaram nas suas coisas e partiram rumo à Terra-2 (T2). Desde a introdução espetacular, com Barry a fechar todos os portais, enquanto Wells gravava uma mensagem para a sua filha, tudo indicava que este episódio ia ser lendário.

Chegados à T2, Barry e Cisco, assim como nós público, não podíamos ficar mais maravilhados (ahaha, o Cisco a tirar selfies para mostrar aos netos)! É impressionante tudo parecer igual, mas ao mesmo tempo tudo ser tão diferente. Carros, telefones e vestimentas antigas a contrastarem com a tecnologia mais avançada em S.T.A.R. Labs. No entanto, a melhor parte foi sem dúvida os diferentes doppelgangers das personagens na Terra-1 (T1): desde o capitão David Singh que nesta Terra é um criminoso; Henry Hewitt, que não se tornou no vilão Tokamak (a outra opção para se fundir com o Dr. Stein da T1 e dar origem ao Firestorm); Deadshot, que é um detective com zero aptidão para as armas de fogo; Joe, que teve uma mudança radical de carreira para cantor (e não canta nada mal). e Iris, que assume o lugar de Joe como Detetive West.

Ainda mais surpreendentes foram os vilões: Killer Frost e Deathstorm (coitado do Dr. Stein da T2), as versões de Caitlin e Ronnie da T2. Danielle Panabaker teve uma prestação magnífica na sua interpretação de Killer Frost e a dinâmica entre ela e Deahtsortm era bem visível (pena ter faltado o vapor quando os dois se beijaram; e seja em que Terra for, parece que os dois estão destinados a ser separados). A outra agradável surpresa de vilão da noite foi Reverb. O Cisco interpretado por Carlos Valdes conquistou o público logo desde os primeiros episódios, mas mesmo com uma fasquia tão alta, a sua versão de vilão consegue deixar-nos com vontade de nos pormos de pé a aplaudir. E sendo um vilão tão poderoso ao ponto de subjugar Killer Frost e Deahtstorm, conseguindo ainda dar uma boa tareia ao Flash, só nos podemos interrogar quando é que Cisco da T1 chegará a esse nível. Zoom, apesar de aparecer apenas no final, mostra o porquê de ser o final boss, o grande vilão da temporada. Zoom exerce um efeito no público semelhante ao que Slade Wilson, na 2.ª temporada de Arrow, provocava: sempre que ele aparece sabemos que nada de bom vai acontecer. Vilões não faltaram e tivemos ainda a participação de Geomancer (outra co-criação de Geoff Johns para a JSA durante o fim do século XX), que foi um vilão muito fraquinho, mas serviu o seu propósito, não valendo a pena desperdiçar um bom vilão neste subplot cujo objetivo era fazer Jay brilhar.

Ficamos a saber que Zoom não pode ser Barry da T2. Quem acham que será? Poderá ser Edward Thawne? Ou talvez Henry Allen?

Jay Garrick teve direito ao seu protagonismo, ao aguentar o forte na T1. Este subplot foi também muito interessante. Foram reveladas informações surpreendentes de como Jay perdeu os poderes. Ao contrário do que se pensava até aqui, não foi Zoom quem lhe roubou os poderes. A responsável foi a droga Velocity-6 que Wells queria que Barry usasse para aumentar a sua velocidade e que Jay chegou a usar no episódio anterior. Pode-se dizer que Jay abusou do dopping e isso é que fez com que tenha perdido os poderes de velocista e esteja agora a morrer. A cena de ação entre Jay e o Geomancer foi também excitante de se ver, principalmente com aquele golpe de usar o chapéu para provocar ondas de choque (agora sabemos para que serve o chapéu de Jay, é uma arma espetacular. Até o próprio Barry usa uma versão do chapéu na T2, que tira de uma estátua, para se proteger dos ataques de Deathstorm).

Quanto à história principal, a Team Flash tinha a missão de encontrar Jesse e resgatá-la das garras de Zoom. Porém, mal Jay dá o aviso a Barry e Cisco para não se deixarem distrair com os elementos da T2, nós já sabíamos que era exatamente isso que ia acontecer. Uma das grandes qualidades de Barry transforma-se também numa das suas falhas, que é o facto de se preocupar com toda a gente. E após encontrar as versões de Iris e Joe na T2 e estes serem arrastados para a linha da frente na luta contra Zoom, Barry decide que tem que salvá-los. No entanto, apesar de Barry considerar Iris e Joe a sua família seja em que Terra for e isso ser muito nobre, a verdade é que se ele tivesse seguido o plano, Joe provavelmente ainda estaria vivo. E depois Barry demonstra um certo egoísmo ao roubar a vida de Barry da T2. Se fosse ao contrário, de certeza que íamos considerar o Barry-T1 um vilão, ele rapta Barry-T2, troca umas intimidades com a mulher dele e ainda por cima não o deixa estar presente nos últimos momentos do sogro. Por mais decentes que tenham sido as intenções dele, o plano descarrilou por completo. Pudemos ainda apreciar a sensualidade da actriz Candice Patton e um momento dramático quando Barry da T1 fala com a mãe ao telefone.

Depois de um episódio sempre emocionante, não poderia terminar de melhor forma do que com um cliffhanger com Flash e Zoom cara a cara. Próxima semana, a Team Flash continua na Terra-2 e as possibilidades do que pode acontecer não param de fervilhar na minha cabeça: Conseguirão salvar Jesse? Como é que Barry vai escapar de Zoom? Cisco conseguirá ser tão poderoso como Reverb? Jay recuperará os seus poderes com o Velocity-8?… Não percam o próximo episódio, porque nós também não.

Para quem aprecia easter eggs (como eu), este também foi um episódio de encher a barriga. Aqui ficam alguns:

– as visões ao atravessar o portal: de SuperGirl que sabemos que Barry irá encontrar no crossover; Jonathon Schaech na pele do herói Jonah Hex, que aparecerá em Legends of Tomorrow (quem tiver curiosidade sobre este herói pode saber mais sobre ele no filme Jonah Hex de 2010); a versão de Barry Allen interpretada por John Wesley Shipp na série original do Flash de 1990; vemos mais uma vez Grood, ou seja, podemos contar com mais história a envolver Gorilla City, mas provavelmente só na próxima temporada; Metal Green Arrow, uma versão do futuro de Oliver Queen que está previsto também aparecer em Legends of Tomorrow

– os contactos de Barry-T2 no seu telefone (Bruce, Hal, Diana… fazem-vos lembrar alguém?)

– Mayor Snart

– com o Dia dos Namorados aí à porta, um dos temas cantados por Joe-T2 foi o “My Funny Valentine”

Notaram mais algum que me tenha falhado?

Próxima semana, no episódio “Escape from Earth-2”, Killer Frost junta-se à Team Flash para enfrentarem Zoom.

Emanuel Candeias

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

mayfair witches estreia

Recomendamos