Classificação

8.7
Interpretação
8.5
Argumento
8.8
Realização
8.4
Banda Sonora

NZT Comics apresenta: A História Secreta de Mr. Sands

Limitless esta semana vem dar uma lufada de ar fresco à serie. Um episódio com uma história cativante e uma realização única, criativa e maravilhosa.

Limitless parece no entanto um carrossel, fazendo às vezes lembrar-me de algumas temporadas de Supernatural, com episódios fantásticos como o desta semana e outros que, como diz a expressão, são basicamente para “encher chouriços”.

A grande vitória neste episódio deveu-se à história de vida de Sands e como ela foi contada sob a forma de banda desenhada. As ilustrações dos comics estavam lindas, no mínimo, e foram algo completamente novo. Para quem é fã desse género pode conhecer alguns dos nomes que deram vida a essas imagens, pois foram convidados artistas de livros de comics conhecidos: Annie Wu (Hawkeye), Robbi Rodriguez (Spider-Gwen), Babs Tarr (Batgirl) entre outros.

Outro ponto interessante desta série é como eles pegam em personagens que às vezes não achamos muito importantes e desenvolvem a sua história e nos fazem preocupar com elas. Vimos isso com o pai de Brian, com Naz e principalmente com Mike e Ike. Desta vez calhou a Sands e, no final do episódio, é impossível não ter sentimentos contraditórios por esta personagem. Com Eddie Morra/Bradley Cooper sempre bastante ocupado, calha a Sands a maior parte da representação do vilão e não se enganem porque ele consegue ser mesmo odiável. Porém, ao conhecermos tudo o que ele passou, criamos ligações e sentimos simpatia por ele.

Nesse aspeto, há que dar os parabéns ao ator Colin Salmon pela sua grande versatilidade. Consegue representar o papel de um vilão cruel, mesmo assim tem cenas em que expõe o seu humor, e, neste episódio, também uma parte sua mais frágil.

Quanto à história em si, começamos com Sands a aparecer em casa de Brian com um vidro espetado na perna. A ajuda que ele precisava de Brian, no entanto, estende-se a mais do que a curá-lo e juntos seguem à procura dos elementos da antiga equipa de Sands. Equipa esta que faz lembrar o Esquadrão Classe A ou os mais recentes Mercenários. Sands vai assim eliminando os seus colegas um a um, mas contrariado. Foi interessante ver os papéis inverterem-se e ser Brian a apertar com Sands para lhe contar a verdade… o seu antigo mentor raptou-lhe o filho e está a obrigá-lo a eliminar a equipa.

Num outro subplot, Rebecca e Boyle investigam o rapto de uma criança, o que até quase ao fim do episódio me pareceu uma perda de tempo. Isto, até revelarem que a criança desaparecida era o filho de Sands, que tinha sido adotado por uma família.

Tivemos ainda um tempinho para rever a irmã de Brian que se envolveu com Ike. Eheheh. Em suma, foi um episódio muito original e surpreendente. Pena não serem assim todos os episódios, porque esta semana adorei Limitless. Abram a vossa mente, vemo-nos na próxima semana.

Emanuel Candeias