Classificação

7
Interpretação
7
Argumento
6.5
Realização
6.5
Banda Sonora

Colony é a nova aposta do canal USA, uma cadeia televisiva que tem andado nas bocas do mundo após o sucesso conseguido com a série Mr. Robot, vencedora de dois Globos de Ouro, incluindo Melhor Série Dramática. Assim é perfeitamente natural que se comece a olhar para os seus novos projetos com outra perspetiva.

Colony começa por chamar a atenção não só pelo canal onde é exibida, mas também por causa de alguns nomes presentes na série, como Carlton Cuse, um dos criadores desta aposta, conhecido pelo seu trabalho como argumentista e produtor executivo da aclamada série Lost, como criador e argumentista da série Bates Motel e ainda de The Strain. Porém este será o nome que passará inicialmente despercebido pelo público, ao contrário dos dois protagonistas: Josh Holloway, mais conhecido pelo papel de Sawyer em Lost, e a atriz Sarah Wayne Callies, de The Walking Dead. Antes de iniciar a review em si, fica o aviso de que poderá conter alguns spoilers!

A série do canal USA encontra-se na categoria de drama e ficção científica, porém, este último género só é percetível alguns minutos após o início do episódio piloto. Assim que assistimos aos primeiros momentos de Colony, somos introduzidos a um ambiente de família normal, onde todos se preparam para começar o dia, porém nada é realmente normal. Rapidamente percebemos que o universo da série é o de um futuro distópico, mas muito próximo dos nossos dias, situado na cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos da América. Somos então informados de que aquela região foi alvo de uma invasão e encontra-se atualmente ocupada por “hosts” ou “anfitriões”. Nunca é referido durante o episódio que tipo de seres são os hosts, mas dada a tecnologia que vamos vendo, e até mesmo pela maneira como os humanos falam destes invasores, é um pouco difícil não assumir que são extraterrestres.

É neste contexto que conhecemos Will (Josh Holloway) e Katie (Sarah Wayne Callies), um casal que vive, como tantos outros, na cidade de LA, juntamente com os seus dois filhos. Porém, esta família continua a sofrer uma grande consequência gerada pela vinda dos hosts. Aquando da invasão, o casal foi separado de um dos seus filhos, Charlie, e desconhecem o seu paradeiro, sabendo apenas que não se encontra em LA, mas sim do lado de fora do grande muro que rodeia a cidade. Este é o elemento narrativo que desencadeia toda a ação no episódio piloto de Colony, na medida em que Will decide ir à procura do filho, tentando, em vão, passar o muro e chegar a Santa Monica.

Will é capturado e encaminhado até à casa do Procurador Snyder (Peter Jacobson), onde descobrimos a sua verdadeira identidade, e onde ele recebe uma oferta de trabalho. Snyder praticamente obriga Will a juntar-se a ele, ficando do lado dos invasores, e ajudá-lo a destruir a resistência, utilizando as suas capacidades como militar, prometendo-lhe que dessa forma a sua família ficaria a salvo. Surge então o grande dilema do episódio e, eventualmente, da série: trair a raça humana na tentativa de salvar a família ou manter-se do lado dos humanos e arriscar a segurança dos entes queridos. É deste dilema que vai surgir um elemento narrativo bastante interessante ligado à personagem de Katie, visto que ela não está completamente a favor do marido trabalhar para os hosts, embora tenha afirmado o contrário. De que maneira isso irá interferir na vida do casal?

Este episódio piloto não será daqueles que vos fará querer ver o episódio seguinte de imediato. Embora tenha uma agradável surpresa no final, não é um cliffhanger suficiente para gerar essa reação no espectador. Contudo, é um primeiro episódio muito sólido, que consegue estabelecer bem o universo em que a história se insere e tem a capacidade de apresentar e desenvolver bem os seus personagens, algo que muitas séries não são capazes de fazer durante uma temporada inteira. A nível narrativo, os pontos fortes de Colony são, sem dúvida, a maneira como a série está a abordar a invasão dos hosts, não se concentrando tanto neles, até porque nunca os vemos, mas sim nas perturbações que a ocupação causou na vida quotidiana de todos os habitantes. O outro ponto positivo da série pode muito bem ser dividido em dois, e está ligado às personagens principais, Will e Katie, ao rumo que cada um vai seguir e às consequências que surgirão no futuro, ao longo da temporada, devido às decisões do casal.

Colony poderá ser uma agradável surpresa conforme for avançando na história, afastando-se dos típicos clichés que são geralmente usado em séries/filmes com narrativas semelhantes à série do canal USA, ou então pode vir a ser uma grande desilusão, o que é pouco provável (mas não impossível), já que a série não está propriamente nas mãos de qualquer pessoa.

Filipa Machado