Classificação

8.4
Interpretação
8.5
Argumento
8.6
Realização
8.8
Banda Sonora

“It’s called NZT-48”

Não sei se foi das 3 semanas de pausa ou o que foi, mas soube bastante bem voltar a ver um episódio de Limitless. Também não sei bem a razão para esta pausa, mas com tantos midseason finales, se calhar a CBS achou que adiar este episódio para tempos menos turbulentos seria bom para as audiências e, se assim foi, pensaram direito.

Quando o episódio começou, achei que parecia bastante invulgar para um winter finale, já que não me parecia que fosse haver nem Eddie Morra nem Mr. Sands nem nada. Talvez mais um filler? Mas não, o episódio revelou-se muito mais do que à primeira vista, com um subplot muito forte de Casey, uma reviravolta e final inesperados, e lançando também as sementes para futuros eventos nesta 1.ª temporada.

Um dos pontos interessante do episódio foi o podermos ver as diferentes perpectivas das personagens e não só a de Brian. Os produtores já tinham mostrado que a série não é só suportada por Brian e Rebecca e esta semana mais uma vez vemos isso. Assim podemos ver vários pontos de vista das personagens secundárias e alguma da sua vida pessoal e dos seus dramas.

Mike e Ike, que começaram apenas como dois guarda-costas engraçados que Brian tinha que aturar e a quem pregava umas partidas, são agora muito mais que isso. Até aprendemos o verdadeiro nome de Ike, que é Jason. No entanto, a verdade é esta, Mike e Ike sofrem bullying de Brian. Claro que é engraçado vermos todas as tarefas que Brian lhes pede, mas desta vez vemos o outro lado da situação. Estamos a falar de dois agentes treinados do FBI, Mike até tem uma data de medalhas, e a missão deles é fazer de babysitter de Brian. Mike aguenta tudo isso, pois foi-lhe prometido um cargo importante no fim desta missão e vemo-lo a contar os dias para se ver livre de Brian (faltam 200 dias mais ao menos). Já Ike não tem nada por que esperar e vê-se assim com uma grande crise de stress e só sonha coisas macabras.

Gostei também de vermos o armazém associado ao FBI, onde Mike e Ike vão buscar a dose diária de NZT para Brian. E já sei o que estão a pensar, e claro que o armazém é assaltado! No assalto, 6.000 comprimidos de NZT desaparecem, o que é o potencial para uma enorme desgraça, e Ike leva um tiro para salvar Mike. Para mim Limitless ganha pontos também em pequenos pormenores como o facto de Mike, que é um atirador exemplar e condecorado, numa situação de perigo esquecer-se de tirar a segurança da arma (os nervos afetam todos). Com a situação de Ike, Mike repreende Brian por este não os respeitar e Brian começa então a reconsiderar a maneira como trata os seus guarda-costas. Os produtores mostram assim que apesar de toda a atitude brincalhona e às vezes infantil de Brian, eles estão a considerar os outros pontos de vista e que esta série não trata apenas de comédia, mas também drama.

A parte de procedimento criminal do episódio existiu com Brian a encontrar os criminosos e as drogas roubadas. Com sorte, o assalto foi dirigido essencialmente ao roubo de oxitodona e o NZT foi só um extra acidental, pelo que foi fácil apanhar os maus da fita. A parte interessante vem depois…

Temos então a vida de Rebecca, já temos vindo a assistir à complicada relação dela com Casey, mas ele também não merecia que ela terminasse a relação daquela maneira (aliás, acho que ninguém merece). Terminar por sms durante uma reunião de trabalho… Pior separação de sempre! E isto em parte deu um passe de “livre da cadeia” a Casey para querer experimentar o NZT roubado pelos seus parceiros da SWAT (se também se lembram já anteriormente numa conversa com Boyle, Casey tinha demonstrado curiosidade em experimentar o que fosse que Brian estava a tomar). Será que agora que Rebecca está livre veremos algo entre ela e Brian?

Apesentando a equipa SWAT: Casey, the fighter; Kevin, the joker; Russ, the adrenaline junkie; Nick, the superstar. Foi engraçado vê-los a sair para a cidade com NZT e ver o que cada um decidiu fazer. Mas a parte mais surpreendente foi quando Nick começou a sentir-se estranho e através do cheiro (talvez de maneira semelhante como vimos Brian fazer anteriormente) descobre que a mulher o andava a trair com Russ. Depois de um estrangulamento à Darth Vader (já que estamos no espírito do novo Star Wars) Russ cai morto no chão e tudo se começa a complicar. A cena da revolta e Casey a fazer Rebecca e Brian de reféns pareceu muito apressada e não muito credível. No entanto, o confronto entre Casey contra Brian, Rebecca e Boyle foi de cortar a respiração e terminou da maneira mais inesperada, com a morte de Casey.

No fim, temos o momento de Boyle, que foi todo ele dedicado ao drama. Desde a mãe doente, até ao retorno do conflito entre ele e Brian, a dúvida se tomou a atitude correta e o episódio a acabar com ele a descobrir um comprimido de NZT.

Considerações finais: gostei da cena de NZT vs NZT quando Brian analisa Casey e descobre que ele está sob o efeito da droga; foi interessante vermos mais uma vez como o NZT funciona melhor em pessoas cuja inteligência é maior logo à partida; sou da opinião da Naz de que Boyle tomou a atitude correta, naquela situação ele fez o que foi treinado para fazer, e embora Brian pudesse ter resolvido de outra maneira, nem todos pensamos tão rápido como o Brian com NZT. Por outro lado, Boyle já irrita com tanta desconfiança para com Brian, depois de tudo o que já passaram pensei que a relação e a confiança entre eles fosse maior; será que Boyle vai tomar NZT? Vocês tomavam? Casey não sabia dos efeitos secundários, já Boyle está bem ciente do que lhe pode acontecer caso tome o comprimido.

Limitless tem vindo a perder alguma popularidade, sendo as principais críticas que a série está a tomar um rumo demasiado de paródia, pouco realista e que devia ser mais do género do universo que nos foi introduzido no filme. Estando a série a meio, acho que já está estabelecida a maneira como as coisas funcionam e agora as pessoas ou aceitam ou não. Embora mais leve que o filme, a série já demonstrou que também consegue brilhar na parte dramática. Esperamos então pelo regresso da série em 2016 e pela 2.ª metade da temporada.

Emanuel Candeias