Homeland – 05×05 – Better Call Saul
| 05 Nov, 2015

Publicidade

Homeland foi, ao longo das temporadas passadas, uma série em que o seu tema principal é a espionagem e o terrorismo. Até agora aquilo que nos vinha sendo mostrado era o terrorismo mais visível, aquele que mata milhares de inocentes com inúmeros ataques suicidas e bombistas. Este ano a temática não é assim tão diferente. O ciberterrorismo e as suas consequências podem também custar a vida a muitas pessoas e é precisamente o que tem vindo a acontecer depois da fuga de documentos classificados da CIA.

Carrie e Quinn foram apanhados no meio deste jogo sorrateiro, custando-lhes a eles também as suas vidas. Quinn num sentido mais literal (o homem está às portas da morte) e a Carrie, que aos olhos dos Russos também se encontra morta, fazendo com que tenha de sobreviver na sombra, algo que ela faz com esplendor.

Já sabíamos desde a semana passada que Allison estava a realizar um jogo duplo, um jogo no qual ela não se sente totalmente confortável. Se não, vejamos como reagiu ela à foto da suposta morte de Carrie. Será o seu único motivo o envolvimento amoroso que ela possui com Ivan? Em caso afirmativo é mesmo algo fútil, mas a verdade é que os Russos estão intrometidos em tudo isto e ela parece ser o pau mandado deles.

Aparentemente, os documentos que Korzenik entregou a Ivan foram um bónus inesperado. Ainda assim tudo aquilo que temos vindo a assistir desde o primeiro episódio tem a influência direta dos Russos. Eles querem colocar Saul e Dar Adal um contra o outro e estão a tirar partido da relação que existe entre Saul e Etai. Allison tem vindo a manipular ambos os lados para um desentendimento, deitando a seu bel-prazer as culpas do atentado ao avião do general Youssef para o lado que mais lhe convém.

Resta agora saber o que ganhariam realmente os Russos com este desentendimento. Querem eles, indiretamente, colocar Allison no topo da hierarquia de Langley? Dessa forma eles teriam uma fonte de informação privilegiada sobre tudo o que a CIA estivesse a planear.

Mas Carrie será certamente a variável que porá em causa todo o plano até agora delineado, daí eles a quererem ver morta. Mesmo ainda sem saber que é Allison que estava do outro lado da linha, ela está a conseguir, cada vez mais, chegar ao fundo da questão e será uma questão de tempo até saber do envolvimento de Allison, porque do envolvimento Russo ela já não tem dúvidas. Com estas informações ela chegou já a contacto com o seu mentor, restando agora saber o que irão eles aprontar.

Depois de um início de temporada em que os personagens mais importantes da série pareciam estar cada uma para o seu lado, as suas narrativas começam a encruzilhar-se. As fugas de informação e traições dentro das agências não são novidade nenhuma, mas aqui o truque é saber contextualiza-las.

Neste caso concreto, Homeland consegue triunfar, muito pelo facto de pegar na atualidade real e transportá-la para o pequeno ecrã. Bem, de certo que se recordam de toda a polémica envolvente a Edward Snowden, que é algo muito semelhante ao que temos vindo a assistir, as consequências da exposição dos planos de espionagem utilizados pelos EUA e os seus aliados.

Carlos Oliveira

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

Clãs da Galiza Clanes Netflix

Recomendamos