Game of Thrones – 05×10 – Mother’s Mercy
| 16 Jun, 2015

Publicidade

05x10 - Mother's Mercy

05×10 – Mother’s Mercy

Contém SPOILERS. 

Ainda mal chegou e já se foi. Depois deste episódio mal me consigo lembrar de momentos felizes, como quando Jon matou um white walker em Hardhome, ou quando Tyrion conheceu Daenerys, ou quando ela montou Drogon pela primeira vez no episódio passado.

Foi uma season finale brutal. O fiasco da tomada de Winterfell de Stannis. A morte do próprio. A fuga de Sansa com Theon. A caminha de expiação de Cersei. A conversa entre Jaime e Myrcella e morte dela. A vingança de Arya e respetivas consequências. O destino de Daenerys. Tyrion a assumir o comando em Meereen e o regresso de Varys. A partida de Sam para a Citadela. E, claro, a horrível traição que deu origem ao assassinato de umas personagens mais icónicas de Game of Thrones, Jon Snow.

Winterfell

A neve derreteu. Sacrificar Shireen teve bons resultados no tempo, mas desastrosos no resto. Mais de metade do exército de Stannis desertou. Selysa enforcou-se. Melisandre fugiu. O mundo do Baratheon ruía lentamente. A chegada do exército dos Bolton foi o derradeiro golpe.

Brienne e Podrick continuavam a sua vigia pelo eventual pedido de socorro de Sansa, que tardava em chegar. E, ou não fosse isto, Game of Thrones, ele chegou tarde demais. Brienne andava à tanto tempo a servir os outros que não aguentou mais. Foi uma pena não ter visto a vela de Sansa, mas não a posso culpar por ter feito algo por ela. Desde a morte de Renly que ela jurava vingá-lo. Nunca concordei com ela quando dizia que Renly era o herdeiro legítimo ao Trono de Ferro, visto ser mais novo que Stannis, mas percebia o seu ódio contra Stannis.

Tenho noventa por cento de certeza que ela o matou. Ela pode ter mudado de ideias e ter atingido a árvore. Não sei. As respostas só chegarão daqui a dez meses. Mas o fato é que Stannis está sem nada. Sem família, sem Melisandre, sem exército e sem maneira de pagar a dívida ao Branco de Ferro de Braavos. Mesmo que tenha sobrevivido, não sei o que poderá fazer para chegar ao trono.

Sansa: If I’m going to die, let it happen while there’s still some of me left. 

Sansa aproveita o fato de o marido andar todo feliz a massacrar o que resta do exército de Stannis para fugir da torre onde se encontrava enclausurada qual Rapunzel. Não percebi como é que ninguém a reconheceu. Bom, Myranda reconheceu e estava toda feliz em poder espetar uma flecha na jovem Stark. Mas Theon caiu em si e atirou-a para a sua morte. Ora aí está uma personagem que não vou sentir saudades. Sem mais sítio por onde fugir, Sansa e Theon atiram-se do castelo. Agora é esperar que haja neve o suficiente para atenuar a queda. Mesmo com um membro ou dois partidos, é pouco provável que sobrevivam naquelas condições. E no caso de terem saído incólumes qual será o destino da dupla? Procurar Bran e Rickon seria a resposta mais óbvia. Já agora, por onde andar Mindinho? A Sansa deve-lhe um bom par de estalos por a ter deixado sozinha em Winterfell nas mãos do monstro do Ramsay (que, infelizmente, sobreviveu para mais uma temporada). Não posso deixar de criticar que a fuga de Sansa tenha sido tão apressada, mas admito que estava na altura de ela escapar daquele inferno. De vez.

King’s Landing 

Septa Unella: Shame.

A Caminhada de Expiação de Cersei era dos momentos que aguardava com mais entusiasmo. Sabia que Lena Headey estaria mais do que à altura do desafio.

Cersei confessou. Confessou ter sido amante de Lancel e por isso o Alto Pardal deu-lhe permissão para voltar à Fortaleza Vermelha. Nua e quase sem cabelo. E a pé. Sob o olhar de toda a população da capital. Tal como no livro, Cersei fez a caminhada de cabeça erguida. Atiraram-lhe com tudo e mais alguma coisa, tentaram agredi-la, cuspiram-lhe, insultaram-na.

Foi impossível não sentir pena por ela. Depois lembro-me de tudo o que ela fez e grande parte da pena foi-se. Cersei é uma excelente personagem, mas um ser humano desprezível. Na próxima temporada vamos saber o que resta da Cersei de outros tempos. Ela agora tem um super-guerreiro a seu lado (Qyburn armou-se em Victor Frankenstein e ressuscitou o Montanha) e muito ódio para destilar. Jaime está a caminho com más notícias, mas temo que nem o regresso do amado vá ajudá-la. Jaime falhou na missão e se Cersei perdera grande parte do respeito pelo gémeo quando o viu sem a mão direita… Além disso, Jaime não sabe dos romances secretos da irmã…

Já agora, o que é feito de Margaery e de Loras? Ela, pelo menos, tornou-se muito importante na série e não sabemos nada da rainha desde o sétimo episódio. Nem sequer foi mencionada nem apareceu nesta season finale.

Dorne

Eu juro que não desejava a morte de ninguém, mas raios se Dorne não estava a precisar de um plot twist como este! Foi tudo tão perfeitinho e diplomático. Tudo bem que no sul as coisas parecem ser relativamente melhores, mas vá lá! Em Game of Thrones estamos sempre à espera do mal. E eu vi-o chegar mal Myrcella e Jaime começaram a conversa no barco.

Myrcella: I do. I know. About you and mother. I think a part of me always knew. And I’m glad. I’m glad that you’re my father.   

Todos podemos concordar que nesta série não há propriamente pais do ano. Robert Baratheon. Roose Bolton. Tywin Lannister. Stannis Baratheon! Só Ned se safava. É compreensível que Jaime sempre se tenha mantido um pouco mais afastado dos seus rebentos por não ser pai, mas pouco os vimos interagir ou a preocupar-se tanto com Joffrey (ok, aqui ninguém o pode culpar) como com Myrcella ou Tommen. Mas a verdade é que Jaime já não é o mesmo homem que atirou Bran Strak da Torre Quebrada em Winterfell no primeiro episódio da série. O cativeiro mudou-o, a companhia de Brienne também. Ir salvar a filha foi dos seus atos mais altruístas. Mesmo na companhia de Bronn, ele mal se consegue defender em combate. Arriscou tanto por Myrcella! E é tão cruel que ela lhe tenha morrido nos braços quando podiam começar uma verdadeira relação de pai e filha.

O que fará Jaime depois disto? Trystane está com ele no navio e é pouco provável que, depois desta brincadeira com o batom, o príncipe vá ter a vida facilitada. King’s Landing é um sítio perigoso. Cersei vai ficar desolada depois de tomar conhecimento da morte da filha (embora, admito, que ela possa não estar a cem por cento depois de tudo o que passou esta temporada) e para onde dirigirá a sua ira? Não me surpreendia nada se ela culpasse Tyrion (visto ter sido ideia dele enviar Myrcella para Dorne).

D&D confirmaram que Dorne voltaria na próxima temporada. Será que podiam aproveitar isso e substituir as atrizes que fazem de Obara, Nymeria e Tyene por umas de jeito? Não me importo nada de voltar a ver Doran e Ellaria, mas as filhas de Oberyn são bem dispensáveis (para grande pena minha!).

Braavos

Arya: You know who I am. I’m Arya Stark. 

Arya ainda não é Ninguém. A sua expressão ao encontrar Meryn Trant disse tudo e era uma questão de tempo até ela passar à ação. Ainda pensei que ela fosse buscar a Agulha, mas teve que usar uma navalha para não ser detetada.

Foi uma morte horrível e muito violenta. Ela torturou Trant antes de lhe o degolar. Cegou-o, apunhalou-o até aplicar o golpe final. No entanto, as consequências para a rebeldia de Arya foram a cegueira. Claro que ela não conseguiu enganar Jaqen. Precisa de muito treino até ser mestre na arte de mentir…

Meereen

Daenerys está em maus lençóis. Conseguiu sobreviver à arena, mas Drogon está demasiado ferido e cansado para a levar de volta. Não sabe onde está e não tem o que comer. Nunca tinha visto a khaleesi tão desamparada em toda a série. Todavia, ela não é mulher de ficar parada e mete-se ao caminho. O que ninguém contava é que os dothraki a apanhassem. Oh, oh. Isto não me cheira nada bem. Ela não é propriamente popular no khalasar e a ajuda está muito longe. Assim nunca mais. Aposto que o desaparecimento dela vai arrastar-se durante a sexta temporada toda e é mais uma temporada que ela não arregaça as mangas e ruma a Westeros!

Daario: He is. He’s the toughest man with no balls I ever met.  

Sem a rainha, Meereen está sem rumo. Se a cidade já estava um caos, o que dizer agora que Daenerys está desaparecida! Todavia, Daenerys tem a seu lado pessoas muito capazes e fiéis. Jorah e Daario não desistem da amada e desataram à procura dela. Tyrion ficou como regente, com o apoio de Missandei e Grey Worm. E para melhorar a situação, Varys aparece para o ajudar naquela tarefa.

Tyrion: I did miss you.
Varys: Oh, I know. 

Daenerys pode ter cometido muitos erros ao longo da série, mas ninguém lhe pode apontar o dedo na escolha dos aliados.

Muralha

Melisandre abandonou Stannis antes do massacre e pôs-se a caminho da Muralha. Tenho a certeza que ela vai ser uma ajuda preciosa a combater o que aí vem, mas porque é que ela voltou? Ela disse pouco e estava claramente desorientada. Ela sempre foi uma mulher tão segura de si, tão controlada, sempre um passo à frente dos demais. A derrota de Stannis mudou tudo. Ela estava errada em relação a ele e nem sei se a própria sabe qual o próximo passo.

Ser Davos também não demorou muito tempo a regressar. E não percebo a revolta dele quando Jon se negou a ajudá-lo. A Patrulha não tem nem homens para defender a Muralha, quantos mais Stannis! E há muito que tinha ficado esclarecido que os wildlings preferiam ser queimados vivos a aceitar ajudar um candidato a rei sulista.

Olly: For the Watch. 

Acho que não sentia uma mágoa assim desde a morte de Ned Stark. Sim, a morte de Oberyn doeu, assim como a de Drogo, Ygritte, Catelyn e Robb Stark, Ser Barristan e Shireen. A morte e Game of Thrones andam lado a lado. São as melhores amigas. Muitas personagens já perderam a vida nestes cinco anos. Personagens que odiávamos e que adorávamos. Ninguém era poupado. Contudo, não há dúvida que a perda de Jon Snow, filho bastardo (?) de Eddard Stark e Senhor Comandante da Patrulha da Noite é a mais trágica até hoje. Eu sempre o tinha colocado num pedestal, juntamente com Daenerys e Tyrion. Para mim eles sempre foram os inalcançáveis. O mundo podia gelar ou arder mas eles ficariam sempre. Foi tão, mas tão injusto. Jon cresceu tanto ao longo destes cinco anos. Lutou com todas as forças por aquilo que sabia que era correto. Se calhar o mal dele foi o mesmo do do pai. Ser bom demais. Jon não merecia. Não merecia morrer sem ver novamente a família. Sem saber a identidade da mãe (mas afinal ele é o filho do Rhaegar Targaryen e da Lyanna Stark ou não?!). Sem poder ver a Patrulha e Westeros triunfarem sobre os white walkers.

Que raio de honra têm os homens da Patrulha? Já o Velho Urso morreu num motim. É por as coisas na Muralha serem assim e por o resto do mundo estar-se nas tintas para o que acontece a Norte que os white walkers já andam tão perto.

Jon era a principal personagem da Muralha. Ele sempre foi o foco de todas as atenções. Podia não saber nada, mas para nós, os fãs, era dos homens mais sábios. Com Sam na Citadela, quem nos vai ligar – ou interessar – na Muralha?! Davos? Melisandre? Nem sequer sabemos o que é que ela está a fazer em Castle Black! Será que se enganou em relação a Stannis e virou os seus interesses para Jon? Tudo bem que Kit Harrington disse que não voltava na próxima temporada, mas é ver para crer. Poderá a feiticeira ser a solução? No caminho, será que poderia dar o mesmo tratamento a Olly que deu a Shireen?

E agora a sua vigia terminou. Descansa em paz, Jon Snow. A série nunca mais vai ser a mesma sem ti!

GoT-S05_E10_Jon_Snows_Death

Nota: 8.8/10

Maria Sofia Santos

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

eric netflix

Recomendamos