The Originals – 02×20 – City Beneath The Sea
| 30 Abr, 2015

Publicidade

2x20 – City Beneath The Sea

2×20 – City Beneath The Sea

Contém SPOILERS!

Quando pensávamos que The Originals tinha o seu rumo traçado para esta temporada, eis que este episódio, em parelha com o anterior, nos apresenta um conjunto de reviravoltas que nos deixam desconcertados e que alteram radicalmente o fim da temporada. Daqui para a frente, já não sei que esperar da “imprevisível previsibilidade” de Julie Plec.

Hayley e Jackson fugiram no episódio anterior para o Bayou com a sua matilha. Além de ter achado que se tratou de uma decisão pouco inteligente, as consequências estão a vir ao de cima e, nos próximos episódios, os lobisomens sofrerão as consequências. É mais que óbvio que Hayley arrumou os esqueletos da temporada passada no armário e quer seguir com a sua vida. Se por um lado é uma decisão injusta para com os Mikaelsons, pois não nos podemos esquecer que Elijah e Rebekah foram o seu grande suporte face à tirania e superproteção de Klaus… sobretudo Elijah que na amou (e ainda ama) incondicionalmente. Por outro, vendo o lado materno, Hayley não poderia ter tomado outra decisão, isto porque quer afastar Hope dos incontáveis inimigos que Klaus acumulou caprichosamente ao longo do último milénio.

Ainda com Hayley, ela tem-se esquecido que não pode ser chefe e amiga da sua matilha em simultâneo, sobretudo em tempos de guerra e quem a alerta é o sábio Elijah. Ele apareceu-lhe para tentar livrar a pequena Hope de ser o isco para o derradeiro fim de Dahlia. Hayley atrasou a viagem do grupo para proporcionar um funeral digno a Aiden. Preocupada com todos, como sempre, convidou Josh para a cerimónia. Provavelmente, foi a ação mais cativante que tomou. Um funeral é sempre uma cena emotiva de uma série, no entanto, se não fosse a presença de Josh, teria sido apenas mais um. Josh e Aiden foram, nesta temporada, o único casal unido por um amor puro desprendido de interesses. Juntos, e embora tenham perdido notoriedade na evolução da temporada, demonstraram que é possível um amor impossível em tempo de guerra… estes dois tinham uma boa química. Com Josh a mencionar a partida, teremos, em princípio, um ator de saída no fim da temporada.

Os planos de Dahlia são demasiado retorcidos para serem compreensíveis por uma simples e mortal consciência humana. A imprevisibilidade dos seus fins tem elevado as expetativas ao limite! A grande questão é que os Mikaelsons não parecem minimamente preparados e estão constantemente atrás da maquiavélica (ou não?) tia. Fiquei com a plena sensação de que Dahlia queria que Klaus fosse empalado num caixão para o cativar para o seu lado. Poderosa, como já demonstrou ser, chamou Klaus para a sua mente e demonstrou-lhe a traição de Esther: ambas foram raptadas pelos vikings e foram as únicas sobreviventes, isto porque são bruxas e este povo queria usar a sua magia. A grande questão aqui é que Esther sempre demonstrou ser pró-amor e anti-bruxaria e, na primeira hipótese, vira as costas à irmã em nome de uma relação com o valente Mikael. Sim, Esther afasta a irmã porque quer constituir família, um duro golpe para Dahlia, que durante anos viveu escravizada pelos vikings para a manter em segurança. Ainda na mente de Dahlia, Klaus vê o quão descontrolados eram os poderes de Freya, a bruxa primogénita da descendência de Mikael. Justificando a sua atitude, e tentando passar uma imagem de que não há outra alternativa para o bem de Hope, Dahlia faz uma proposta a Klaus: ambos criarão Hope e a bruxa canalizará o seu poder, o único senão é que Klaus tem de matar Hayley para que possam ter um pouco de paz. Isto porque Hope, aliando a sua natureza híbrida de vampiro, lobisomem e bruxa, terá poderes praticamente ilimitados. Assim que Klaus consegue livrar-se  da adaga que tem cravada no coração, ouve a despedida de Hayley e o seu olhar de raiva intensifica-se, levando-o até Dahlia, onde iniciam os planos para deter a fuga dos lobisomens e da pequena Hope.

Em locais diferentes, Davina, Cami, Vincent, Freya, Elijah e Marcel iniciam o contra-ataque a Dahlia. O que Freya não sabia é que Elijah e o restante pessoal iria arranjar um meio de não utilizar a pequena Hope como isco. Freya fica em pânico quando se apercebe que foi enganada e que ela é agora o isco para matar Dahlia. O que ainda não sabem é que Dahlia tem agora um poderoso aliado (ou não)!

Davina está longe do protagonismo que lhe foi dado na temporada inicial, mas esta situação poderá estar prestes a mudar com a proposta que Vincent lhe fez: assumir o lugar de Josephine como chefe do Coven. Sendo assim, Vincent estaria livre do cargo, pois quer afastar-se da magia, e Davina teria aquilo que mais quer, ou seja, poder ilimitado para ressuscitar o seu amado Kol.

Questões em análise:

  • Está mesmo Josh de partida? Ou será mais uma baixa da batalha contra Dahlia? A sua presença já não faz muito sentido na série.
  • Está Klaus mesmo do lado de Dahlia? Ou está apenas a utilizar a tia para se vingar do que os irmãos lhe fizeram?
  • Porquê que Jackson insiste em afastar Hope dos Mikaelsons? Ele sabia perfeitamente a bagagem de problemas que Hayley tinha antes de se casar com ele! Será a decisão mais sábia afastar Hope da família paterna? Está Hayley mesmo decidida a abandonar a sua ligação aos Mikaelsons?
  • Davina vai ser a matriarca do Coven? Como ficará a sua personalidade com tanto poder?
  • Estará Vincent mesmo de saída? Tudo indica que sim.
  • Com a declaração de Klaus e com o discurso em que Elijah admite que o irmão a ama, irá Cami começar a lutar por regenerar o híbrido?

Nota: 9/10

Rui André Pereira

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

the boys 4 homelander poster prime video

Recomendamos