1x18 - All-Star Team Up

1×18 – All-Star Team Up

Depois de uma pausa, The Flash regressou.

Claro que com Barry na equipa, os criminosos são apanhados muito mais rápido, não é difícil de perceber, ou de imaginar. Mas há coisas que não se conseguem evitar, por mais rápidos que sejamos…

E neste episódio temos a segunda visita de Felicity, a encantadora Felicity (o melhor de Arrow, como muitos dizem)! Desta vez, Ray, o seu namorado, junta-se-lhe (e ele também é um super-herói!)! O segredo de Barry começa a afetar Eddie, e consequentemente, afeta, também, Iris. Ao mesmo tempo, abelhas são controladas por uma meta-humana, e fazem vítimas. Mesmo Barry não lhes consegue escapar.

Os segredos e a dificuldade em mantê-los são prementes nesta série. Toda a gente esconde algo de alguém, há desconfianças, há pessoas que sabem, mas também têm de esconder de outras pessoas… Chegamos à conclusão de que o maior plot da série (Barry ser Flash) não é o único segredo, e talvez nem seja o mais importante.

E do nada, Cisco recorda-se do dia em que o tempo voltou atrás. Fica no ar o que irá fazer com isto. É mais um segredo, e Cisco terá muita dificuldade em lidar com isso, especialmente com o que aconteceu. Ao mesmo tempo, Felicty, Ray, Barry, Iris e Eddie marcam um jantar requintado, com o restaurante só para eles (literalmente), e a conversa torna-se algo desconfortável entre Iris e Eddie. Barry não se sente bem, e o efeito visual neste momento é bastante interessante, pois o movimento circular da câmara dá uma significativa dimensão à indisposição da personagem. Grant Gustin está, também, a fazer um bom trabalho com Barry/Flash, uma personagem generosa, alegre, sempre disposta a ajudar e a salvar os outros, mas também alguém assombrado pelas tragédias do passado, perdido, sem saber em que pode e deve confiar. Felicity acaba por ser o seu ombro amigo, a quem Barry desabafa as suas angústias, apesar de os seus encontros terem sido ainda muito breves.

Finalmente percebe-se quem é a mentora das abelhas-robôs, e o porquê de as comandar para matarem pessoas. A estrutura dos episódios tem-se mantido a mesma: um vilão que causa problemas, e Barry e a equipa de STARLab têm no seu trabalho capturá-lo. Neste episódio, achei que tal estrutura foi desnecessária. Talvez, até, forçada. Teríamos tido um bom episódio sem esta vilã, que acabou por nem ter dimensão praticamente nenhuma. Podia ter-se investido mais na participação de Felicity, na participação de Ray (que parece não ter relevância nenhuma), nos sentimentos de Barry… E algo de muito importante também está a acontecer: a relação de Eddie e Iris está muito, mesmo muito tremida. Mais uma vez, o segredo: ou Eddie expõe o segredo de Barry, ou perde Iris.

Apesar desta estrutura que desta vez foi algo fraca, o episódio fecha com chave de ouro. Barry decide partilhar com Cisco e Caitlin o segredo de Dr. Wells, e Cisco também partilha com eles os sonhos que tem tido. Já temos premissa para o próximo episódio: Wells pode estar cada vez mais perto de ser desmascarado, podemos estar cada vez mais perto de saber o porquê de ele ter morto a mãe de Barry, mas também temos cada vez mais gente em perigo. Tudo por causa dos segredos de uns, que outros são obrigados a manter.

Nota: 6,8/10

Beatriz Barroca