Gotham – 01×11 – Rogues’ Gallery
| 25 Jan, 2015

Publicidade

1x11 - Rogues' Gallery

01×11 – Rogues’ Gallery

Contém SPOILERS.

[Primeiro que tudo, peço imensa desculpa pelo atraso desta review]

Depois de um excitante mid-season finaleGotham regressa com novos episódios e traz Arkham na bagageira. Já era altura de entrarmos neste lugar místico e recheado de guerras internas. E foi exatamente aí que o futuro Comissário Jim Gordon foi parar como guarda da secção masculina. Paciência e persistência são qualidades que não lhe faltam, temos que admitir.

Realmente, a vida do ex-detetive não anda nada fácil. Para além de odiar o seu trabalho, o seu chefe é tão desprezível como o próprio Presidente da Câmara e Barbara continua a fazer as suas maluqueiras (mas já lá vamos… infelizmente).

Depois de uma peça de teatro, Jim descobre um prisioneiro cujo cérebro fora literalmente frito. É aí que conhecemos a Dra. Leslie Thompkins, uma das médicas do asilo. Adoro Morena Baccarin e adorei a sua adorável Leslie. Vi imediatamente a química entre Baccarin e Benjamin McKenzie (bye bye Barbara?). Na banda desenhada, Leslie era amiga próxima dos Wayne (foi colega de Thomas Wayne) e, no futuro, servirá de confidente de Bruce na sua difícil jornada enquanto o justiceiro Batman.

Ora, Jim é encarregado de encontrar o autor destes crimes e mais uma vez somos levados para uma investigação criminal, mas desta vez com doentes mentais como suspeitos. O interrogatório podia ter tido bastante mais piada. Mas isto levou-nos a conhecer o socipata Jack Gruber (ou Jack Buchinsky, o vião Electrocutioner). No meio de tanta gente insana, claro que ele tinha que se destacar. Mas tinham que ser assim tão óbvios?

Já o romance de Montoya e Barbara teve os dias contados. Montoya tem dois dedos de testa e percebeu que aquela relação era, nas suas palavras, ‘tóxica’ e que não fazia bem a nenhuma delas. Na verdade, acho que a tóxica do duo era mesmo Barbara. E terá sido mesmo só o que aconteceu a Jim ou a sua fraqueza de espírito tem outras raízes? Já que ela está para ficar, ao menos que saibamos mais sobre ela que não seja andar feita tonta de um lado para o outro.

Achei bastante piada ao telefonema de Ivy e Barbara (e a Poison Ivy começa os seus pequeninos passos!). Barbara devia estar mesmo pedrada (ou bêbada) para não notar que estava a falar com uma criança… Enfim. E para quê a raiva, Barbara? Que eu saiba, foste tu quem partiu e abandonou o noivo e se foi meter na cama da ex. Qual será o futuro da Ms. Kean? Não me parece que vá confrontar Gordon. A minha aposta é que ela se vá afundar ainda mais… Na minha opinião, é disso que ela precisa. De bater no fundo para ganhar juízo. Será?

Enquanto isso, houve novos desenvolvimentos na luta de poder de Fish Mooney. Lá porque ela quer o lugar de chefe da família não quer dizer que seja a única. E neste episódio vimos se Butch é realmente tão fiel como aparentava. No final, ele escolheu Fish e matou o amigo e suposto sucessor de Don Falcone. Porque é que Butch preteriu Fish em vez do amigo de infância? Gostava de saber o motivo desta lealdade cega de Butch.

O Penguin, o melhor disto tudo, não teve muito tempo de antena, o que é sempre uma pena. O vilão foi encarcerado para Maroni lhe ensinar uma lição. Mas todos sabemos que ninguém brinca com Oswald e sai impune. Como se vingará Penguin? Aposto que se sentiu mais grato do que nunca da sua posição de agente duplo.

Cobbepot: I’m the Penguin. 

Enquanto isso, Jim chamou a GCPD para Arkham e Harvey veio a correr. Teremos aqui um bromance? A verdade é que Bullock foi a comic relief do episódio. Mal posso esperar que Jim volta para a polícia.

Lá descobrimos que não era a enfermeira a autora dos crimes (isto de eles prenderem sempre o suspeito errado primeiro para depois sabermos que afinal é outra pessoa já começa a cansar), mas sim Gruber, que acaba por fugir de Arkham. Pela primeira vez temos um episódio acabado em aberto…

Hoje não houve Bruce Wayne nem Alfred… Espero que Cat lhes faça uma visitinha brevemente.

Foi um bom regresso, mas Gotham tem que começar a abandonar a temática ao estilo de CSI. Já temos muitos policiais na televisão americana. Queremos saber mais de Gotham, dos habitantes, da corrupção e dos mafiosos.

Nota: 7.5/10

Maria Sofia Santos

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

Clãs da Galiza Clanes Netflix

Recomendamos