2x03 - Making Friends and Influencing People

2×03 – Making Friends and Influencing People

Bem-vinda de volta Jemma! Não podia resistir começar logo assim, desculpem. Bom parece que já sabemos onde anda a nossa Simmons, não é verdade? E já dá para respirar fundo depois da revelação de que afinal ela não traíu a SHIELD.

Fartaram-se de nos torturar com as ‘sneak peaks’ e com todo o suspense em torno do paradeiro dela e finalmente, chegados ao terceiro episódio, revelam-nos que Jemma Simmons se afastou da equipa para se infiltrar na Hydra! Será que vai ter sucesso no futuro? Espero que sim. Adorei a interacção inicial dela e do Coulson, ainda bem que começaram logo o episódio a esclarecer tudo senão acho que o meu pequeno coração não aguentava!

Achei a Simmons bastante crescida: a review passada disse que o Fitz precisava de crescer sem a Simmons; acho que a Simmons também precisa de crescer sem ele. Parece mais focada, menos tonta (como quando era com o Fitz), menos desastrada. Foram personagens que sempre dependeram uma da outra para existir e esta temporada parece que nos vai trazer finalmente um pouco de ambos em situações individuais.

O regresso do Donnie Gill foi engraçado: Quer-se dizer no episódio não teve piada nenhuma, mas pensei que não voltassem a tocar no assunto. Depois deste episódio dá para concluir que afinal a Hydra está muito mais intrínseca nas raízes da SHIELD do que aquilo que eles pensavam.

Também achei que de alguma forma o Coulson estava a tentar voltar a ele mesmo: com a pequena piada que ele manda na nova ‘cave’ da SHIELD. Espero que ele perca o ar ‘brooding’ que ele transporta ultimamente – também causado pelo que vimos no episódio passado dos sinais, lembram-se?

Adoro o facto de eles estarem mais focados: a Skye especialmente continua cada vez mais a mostrar ser capaz de se destacar como uma agente de campo, mesmo nunca tendo passado pela escola da SHIELD, e cumprir missões como qualquer um dos outros. Por outro lado, secretamente, adorei aquele momento em que ela diz que já tinha saudades dos velhos tempos de hacker neste episódio. Parecem réstias de esperança que a SHIELD vai finalmente renascer das cinzas.

Falando em Skye, não dá para não falar do Ward também lá em baixo (salto já para a cena final). Bom acho que ele está mesmo arrependido de tudo e quer provar isso à Skye. Preocupa-me que ele queira provar isso por ela e não por ele próprio. É tão mais fácil ‘descambar’ quando não fazemos as coisas por nós mesmos… enfim. Esperar para ver, acho eu! A cena em que ele diz que nunca levou uma lavagem cerebral da HYDRA é triste… Tenho sempre dificuldades técnicas porque a traição do Ward foi uma das cenas da primeira temporada que mais me entristeceu…

OH MEU DEUS – a interacção do Fitz com o Ward, adorei. Que talento, o do Iain! OH meu deus. Acho que parte daquilo que se passa com o Fitz – “Apoxia, é isso.” – só passa quando ele conseguir de alguma forma lidar com o Ward.

Algumas considerações importantes a tecer deste episódio:

  • Apesar de estar a gostar dos desenvolvimentos de Skye, ela está a preocupar-me. A ficar um bocadinho ‘robot’ a mais. Acho que ela não sabe lidar com as coisas. E ou é demasiada emoção, ou nenhuma. Hm.
  • Alguém me explica porque é que a Hydra anda a decidir lavar o cérebro às pessoas?! E descobrir que a ida à ’sandbox’ do Donnie Gill significava que ele de alguma forma já pertencia à Hydra… Quantos mais não andam por aí assim?! OH-MI-GOD.
  • Adoro a interacção do Hunt com eles, especialmente com a May – “Pedido de desculpas nº470 (…)”! Espero que ele não se lembre de trair também a equipa. Senão acho que desisto e gostar de personagens novas!
  • No meio disto tudo acho que o Tripp – que teve tanto destaque a temporada passada – está um bocadinho apagado… O que estará reservado para ele?!

Juro-vos. Esta série dá-me ânsias…

Contem-me lá vocês agora o que é que têm a dizer sobre o episódio?! E, ‘while you’re at it’, dêem uma olhadela na página Agents Of SHIELD Portugal (cliquem no nome) , e ponham GOSTO!

Nota: 9/10

Joana Pereira.