No passado dia 29 de novembro celebrou-se o segundo aniversário desde o cancelamento de Daredevil por parte da Netflix, o que significa que finalmente expirou o contrato que a série mantinha com o serviço de streaming. A data destacou-se pela campanha #SaveDaredevil realizada por fãs, incluindo algumas celebridades, para tentar salvar a série.

Até agora, isto seria quase impossível de acontecer devido ao contrato da Netflix proibir que a Marvel incluísse a personagem nas suas produções até dois anos depois do cancelamento. Passados esses dois anos, Daredevil está livre de voltar a aparecer nos nossos ecrãs ou no cinema. E foi esse o objetivo da campanha #SaveDaredevil, para que não só haja possibilidade de haver um revival ou reboot da série, mas também para que o personagem (de preferência mantendo o ator Charlie Cox) possa aparecer no MCU, incluindo filmes e/ou séries já planeadas.

Entretanto, a Marvel encerrou o seu departamento de televisão, sendo que as novas séries do Disney+ estão a cargo de Kevin Feige, o produtor dos filmes MCU. As novas séries incluem, entre outras, WandaVision, Loki e The Falcon and the Winter Soldier, todas centradas em personagens dos populares filmes MCU.

Neste momento, o revival de Daredevil, ou seja, uma 4.ª temporada, tem como obstáculo a sua história independente, ao contrário do foco atual da MCU, juntamente com o facto de não se enquadrar nos conteúdos familiares do Disney+, devido ao nível de violência da série. Existe ainda a possibilidade de ser um original da Hulu, mas aí haverá o entrave de ter que arranjar possíveis ‘casas’ a nível global, visto que a Hulu não é um serviço universal como a Netflix ou Disney+.

Relembramos que, em 2013, os direitos do personagem Daredevil passaram da FOX para a Marvel, após o filme protagonizado por Ben Affleck. Nessa altura, a Marvel, em parceria com a Netflix, deu origem a várias séries, começando por Daredevil e seguindo-se Jessica Jones, Luke Cage, Iron Fist, The Punisher e a minissérie The Defenders. A Netflix cancelou todas estas séries entre 2018 e 2019, quando optou por se focar em conteúdo original próprio exclusivamente Netflix. Por coincidência (ou não), esta decisão aconteceu na altura em que a Disney, proprietária da Marvel, anunciou que iria ter um serviço de streaming.

Nada é impossível, mas, para já, um revival de Daredevil e das restantes séries canceladas continua apenas um sonho.