Continuamos a trazer curiosidades sobre as tuas séries favoritas e desta vez vamos dar a conhecer-te algumas sobre Firefly, que figura em todas as listas de cancelamentos que aconteceram demasiado cedo:

1. A ideia para a premissa de Firefly não veio apenas da mente de Joss Whedon, mas também da do seu amigo Tyler Lovelly. No entanto, este último não estava interessado em apresentar o projeto aos executivos das cadeias televisivas ou às produtoras, portanto a série acabou por avançar somente com Whedon. Uma das inspirações para Firefly foi o livro The Killer Angels, de Michael Shaara. A obra foi publicada na década de 70 e narra os acontecimentos da Batalha de Gettysburg, em plena Guerra Civil Americana.

2. A intenção inicial de Whedon era que a série durasse sete temporadas; no entanto, Firefly não chegou sequer à segunda. As audiências eram baixas, mas o cancelamento terá sido ditado por muitas outras questões. Tanto quanto se sabe, a FOX parece não ter compreendido a visão do criador da série, mesmo ao início. Aliás, a série esteve quase para não acontecer porque o canal não gostava da ideia de Wash (Alan Tudyk) e Zoe (Gina Torres) serem casados, embora tenham acabado por ceder à insistência de Whedon. Depois, a publicidade foi feita de forma a apresentar Firefly como uma comédia peculiar e não como uma série de ficção científica ou um western. A FOX também queria que a série fosse menos sombria, embora lhes agradasse a ideia de Mal disparar sobre mais pessoas. Whedon e o elenco recusaram-se sempre a mudar a storyline de forma a encaixar melhor nas pretensões da sua emissora e Firefly acabou cancelada ao fim de 11 episódios, havendo ainda mais três episódios por emitir. Os fãs tentaram travar o cancelamento, enviando postais para a FOX Networks a apoiar a produção da série, mas não resultou em nada. Depois disso, houve uma campanha para tentar que outra cadeia televisiva resgatasse Firefly do cancelamento, mas também isso falhou. Há também uma queixa por parte dos fãs acerca de os episódios terem sido emitidos sem sequência lógica, tornando alguns arcos de história difíceis de acompanhar.

3. Whedon escreveu o papel de Mal Reynolds com Nicholas Brendon em mente. No entanto, o calendário de gravações entrava em conflito com o de Buffy the Vampire Slayer, portanto acabou por ser Nathan Fillion a dar vida ao personagem.

4. Rebecca Gayheart (Vanished) foi escolhida inicialmente para dar vida a Inara Serra, antes de Morena Baccarin ter assumido o papel. O nome de Inara é inspirado numa deusa venerada pelos Hititas, um povo da Antiguidade que habitou a região da Anatólia, na Ásia Menor, no segundo milénio antes de Cristo. Inara é uma espécie de equivalente à deusa grega Artémis e à deusa romana Diana. 

5. Neil Patrick Harris (How I Met Your Mother) fez audições para o papel de Simon Tam, mas acabou por ser Sean Maher o escolhido.

6. Apesar de a série ter durado pouco tempo, Joss Whedon, em 2005, lançou uma continuação da história, o filme Serenity, com o elenco principal de Firefly a dar novamente vida aos respetivos personagens.

7. No entanto, o universo de Firefly não se resume ao audiovisual, tendo sido lançados livros de banda desenhada: Serenity: Those Left Behind (2005) e Serenity: Better Days (2008), cada título com três volumes diferentes, sem esquecer Serenity: Leaves on the Wind (2014) e Serenity: No Power in the ‘Verse (2016), com seis volumes. Houve ainda outras publicações mais pequenas, bem como um videojogo, mais a obra My Own Kind of Freedom: A Firefly Novel e uma série de outros livros da Titan Books. A história de Those Left Behind passa-se entre o fim da série e o início do filme; Better Days explora histórias que originalmente iriam ser abordadas na série e Leaves on the Wind passa-se depois dos acontecimentos de Serenity. Those Left Behind e Better Days são as únicas que foram escritas por Joss Whedon e Leaves on the Wind contou com Zack Whedon, irmão mais novo de Joss, como autor.

Conhecias alguma destas curiosidades de Firefly?