No segundo dia da Comic Con Portugal tivemos o prazer de conhecer John Noble na conferência de imprensa e no Q&A. No mundo das séries, tem como principais papéis Walter Bishop em Fringe, Henry Parrish em Sleepy Hollow e Morland Holmes em Elementary.

Tivemos a oportunidade de assistir à conferência de imprensa de John Noble num ambiente mais modesto. Para além de uma calma invejável, Noble mostrou-se aberto e com uma simpatia extrema a responder a todas as questões e ainda a presentear-nos com algumas histórias sobre as suas audições para alguns papéis que teve que fazer!

Iniciou-se a conferência de imprensa com questões sobre o trabalho de um ator de teatro e porque razão é que são tão aclamados, ao que Noble respondeu de imediato que são muito bem treinados para poderem representar ao vivo. Desde terem a destreza do improviso, à coragem de subir ao palco com as reações do imediato do público e ainda elogiando o trabalho de Sir Ian McKellen, assim nos deixou com uma brilhante abordagem.

Entre outras questões sobre o teatro e a técnica de «acting», foi abordado o facto de Noble parecer sempre virado para personagens de ficção ou fantasia (tendo o exemplo de Denethor de Lord Of the Rings ou Walter Bishop de Fringe) ao que ele simplesmente respondeu que não foi algo que planeou, mas que olha para cada personagem como a personagem que é, e não o universo em que se insere e que, por acaso, têm sido todos na área da ficção e da fantasia.

Também tivemos a nossa oportunidade de colocar algumas questões, sendo que a primeira foi «Como é que a personagem de John em Elementary se inseria num mundo como o de Fringe?» que levou a um desenvolvimento mais profundo sobre Walter Bishop, um dos trabalhos que parece ser um dos mais acarinhados de Noble. Automaticamente associou Morland Holmes a Walternate, dizendo inclusivé que Morland seria alguém muito perigoso para Walter Bishop, sendo uma representação dos homens de poder do governo.

Durante o decorrer da conferência de imprensa, John foi partilhando algumas memórias da sua família e no decorrer da segunda pergunta que lhe conseguimos colocar – «Se Walter Bishop terá sido a personagem mais complexa que teve que interpretar?» – acabou por discorrer sobre a forma como, tal como a de Denethor, a personagem de Walter foi uma personagem que ele compreendeu de imediato. E que isso se refletiu nas audições que teve que fazer e que ele sabia, tinha a certeza absoluta, que aquelas personagens lhe pertenciam, porque ele as percebia.

Sempre com uma presença calma e agradável, Noble termina a conferência de imprensa com uma questão sobre os fãs e a experiência que tem com eles, sobre a qual ele não tem nada de mal a apontar – excepto que a mulher dele não é fã de que os chateiem quando estão os dois a jantar juntos (já sabem, para a próxima!). No final, tirou uns minutos para cumprimentar a imprensa e tirar algumas fotos para trazermos de recordação!

Durante o Q&A, John mostrou o seu espírito jovem e boa disposição ao cumprimentar os fãs da primeira fila, quando entrou no auditório e desceu do palco para ouvir melhor a pergunta de uma fã.

Numa sessão dominada por perguntas de Fringe, John falou sobre a evolução da televisão nos últimos anos, que tem vindo a aproximar-se bastante do nível do cinema e confessou que Fringe foi a série em que mais gostou de participar, pela sua personagem, pelo elenco e por ser fã da ciência.

Atualmente vive em Nova Iorque por causa das filmagens de Elementary, série onde apenas tem contrato de um ano. A personagem mais difícil de interpretar foi Denethor de The Lord of the Rings e gostava muito de participar em Homeland, pois é a sua série preferida.

John tem uma estima muito grande por Joshua Jackson (Peter Bishop de Fringe) e Tom Mison (Ichabod Crane de Sleepy Hollow) e vai tentar convencê-los a vir à Comic Con Portugal no próximo ano (vamos cruzar os dedos).

Terminou por dizer que podiam segui-lo no Twitter e colocar as perguntas que quiserem, pois gosta muito de interagir com os seus fãs!

Joana Henriques Pereira & Ana Velosa