A Netflix abriu portas para o mundo do streaming, mas não só. Muito do que consumimos ou vemos hoje está disponível em streaming ou é um original de uma plataforma deste género. Foi com o ainda gigante de streaming que as séries ultrapassaram as fronteiras físicas e chegam a uma grande população mundial. O tempo do domínio americano no plano das séries ainda está em vigor, mas agora têm concorrência séria e com tanta ou mais qualidade. São cada vez mais as produções em língua não-inglesa, ou seja, produzidas fora dos Estados Unidos da América ou do Reino Unido.

As séries espanholas têm tido um claro destaque e relevância neste setor (se quiseres algumas recomendações vê esta crónica), mas não são as únicas a ameaçar o domínio americano. O francês tem sido também um dos mercados europeus com mais investimento e o catálogo da Netflix já conta com algumas séries francesas, sejam elas originais, coproduções ou mesmo de canais de televisão tradicionais franceses.

Esta lista contém apenas quatro séries, mas podiam ser mais. São todas diferentes, mas com um claro destaque para produções históricas, tal como acontece com as séries espanholas. Perde-te neste mundo francês e deixa-te levar por algumas destas histórias.

Plan Coeur (Amor Ocasional):

Depois de Marseille, o primeiro original da Netflix em França e que não está nesta lista, Plan Coeur – ou Amor Ocasional em português – foi a segunda aposta da plataforma de streaming neste mercado. A premissa não é muito complexa: Elsa, uma verdadeira parisiense, não consegue esquecer o ex-namorado. As suas melhores amigas decidem então contratar um acompanhante de luxo para a ajudar a seguir em frente, mas o plano não corre como previsto. A ideia é original e na 1.ª temporada vemos os avanços e recuos desta relação, com muito riso à mistura. Conseguimos perceber a amizade entre estas três parisienses e o quão uma relação pode ser tóxica, sem qualquer uma das partes se aperceber. Na 2.ª temporada vemos que Elsa afinal não é assim tão incapaz de manter uma relação e que às vezes para algo resultar é precisar afastarmo-nos. Se gostas de ideias originais e de umas boas risadas, esta é, sem dúvida, uma boa opção.

bazar de la charité

Le Bazar de la Charité:

Baseado em acontecimentos reais, Le Bazar de La Charité acompanha um grupo de mulheres ligadas por um incêndio de grandes proporções no Bazar de la Charité em Paris, em 1897. A série é do canal francês TF1, mas a Netflix comprou os direitos para a distribuição internacional e no catálogo aparece como um original. Através desta série vemos os amores e desamores de um grupo de mulheres da alta sociedade francesa, mas também de uma das criadas. Os casamentos arranjados continuavam a ser habituais, embora fossem uma prática cada vez menos recorrente. A série não é perfeita, mas os oito episódios passam relativamente rápido, especialmente os últimos dois, que fazem realmente com que esta produção valha a pena o tempo.

Au Service de La France (A Very Secret Service):

Sou um fã assumido de séries históricas ou que abordem períodos históricos que me interessem. Aliás, esta lista prova mesmo isso. Assim que soube que a Netflix tinha uma série que era passada nos anos 60, em pleno auge da Guerra Fria, fiquei interessando. Quando soube que tinha uma perspetiva cómica, virada para um humor um pouco menos clássico, agarrou-me. As expectativas eram altas e não desiludiram. Admito que demorei um pouco a conseguir gostar da série e cumpri a minha regra: se depois de três episódios não gostasse, desistia. Ao terceiro episódio estava agarrado. Au Service de La France conta a história de André Merlaxu, de 23 anos, que se junta aos Serviços Secretos franceses. O diretor das operações secretas, Moïse, confia o seu ensinamento a três agentes experientes. A trama desenvolve-se a partir deste estagiário e toca em pontos históricos concretos, mas com uma perspetiva diferente. É realmente interessante ver que os próprios franceses conseguem gozar consigo próprios, nomeadamente nos momentos em que consideram a França uma das grandes potências mundiais da época (quando na verdade não o era) e na questão da independência das colónias francesas. Se gostas de História, um pouco de ação e de humor, esta é a melhor opção.

Versailles:

É provavelmente uma das mais conhecidas dos fãs seriólicos, visto que chegou a passar na RTP1 e até na BBC, no Reino Unido. Versailles acompanha o período de construção do palácio com o mesmo nome e as várias figuras emblemáticas da corte do Rei Sol, Luís XIV. A ideia de acompanhar uma das figuras mais carismáticas da História monárquica em todo o mundo atraiu-me, mas demorou a prender-me. Só ao terceiro episódio é que decidi que ia mesmo prosseguir com a série. Fiquei, no entanto, desiludido quando descobri que a série era falada em inglês e composta maioritariamente por atores britânicos e canadianos, mesmo sendo uma produção do Canal+. Ainda assim, decidi arriscar e não me arrependo. Os cenários são muito bem feitos e a caracterização das personagens é outro dos aspetos que mais destaco em Versailles. O desempenho dos atores também corresponde às expectativas e embora não destaque ninguém com um nível extraordinário, sinto que todo o elenco consegue manter um nível bom de representação ao longo dos 30 episódios.

Se achas que faltam mais séries aqui ou tens outras recomendações de séries francesas, deixa nos comentários para descobrirmos outras sugestões.

Diogo Alvo