Todos nós temos uma série de comédia preferida. Todos nós temos uma personagem preferida. Mais do que noutras séries, as de comédia estão marcadas por personagens que por uma razão ou outra nos fazem rir de uma maneira diferente das restantes. Algumas das figuras mais memoráveis do mundo da televisão vêm precisamente da comédia. Sejas um fã de Friends, Brooklyn Nine-Nine ou até de séries mais antigas como Cheers, de certeza que te recordas de alguma personagem memorável que ainda hoje te consegue fazer rir.

A lista podia ser muito mais extensa e incluir muito mais séries de comédia, mas estas seis personagens são sem dúvida um marco incontornável no mundo da comédia. Recorda-te de algumas e descobre outras, se for esse o caso.

Raymond Holt (Brooklyn Nine-Nine): Esta série, que começou por ser uma produção da FOX e atualmente é transmitida na NBC, é um must-see do mundo da comédia. Escolher apenas uma personagem memorável foi difícil, mas acho que Raymond Holt – ou Captain Holt, como é conhecido na série – é o mais característico. Desde o primeiro momento em que apareceu, logo no início da 1.ª temporada, que sabia que esta personagem ia ser memorável. Rigoroso, dedicado e empenhado no seu trabalho, Holt é único. Não só por ter estas características, mas também porque foi o primeiro polícia negro e homossexual assumido publicamente da Polícia de Nova Iorque. São poucos os momentos em que conseguimos decifrar o que está realmente a sentir, mas tem piada e consegue ser sério ao mesmo tempo. Mais do que explicar como é, vale a pena veres por ti mesmo.

Sam Malone (Cheers): Que saudades da infância e de séries como Cheers! O bar desta série não seria nada sem os seus clientes, mas nunca teria existido se não fosse por Sam. Um antigo jogador profissional de basebol, Sam comprou o bar e gere-o apesar de ser um alcoólico em recuperação. Parece que não há nada melhor do que pegar na tentação e enfrentá-la todos os dias para continuar sóbrio! É um mulherengo, mas não se envolve com mulheres casadas nem menores de idade, portanto há alguma moral em Sam, um tipo simpático para estar atrás de um balcão. Dizem alguns críticos que Sam é uma espécie de sátira da masculinidade, o que funciona bem com a sua primeira co-protagonista, Diane Chambers, interpretada por Shelley Long. No entanto, digam o que disserem, Sam nunca me pareceu um daqueles trogloditas machistas, simplesmente era um tipo que gostava de levar a vida à sua maneira, sem grandes compromissos com outra pessoa que não ele mesmo. The Good Place pode ser awesome, mas para muitos, como eu, Ted Danson será sempre o Sam Malone de Cheers, uma das melhores comédias de todos os tempos e um verdadeiro marco da televisão dos anos 80.

Fleabag (Fleabag): Sorry, Friends, mas depois de Fleabag tenho de te destronar do lugar de minha comédia de eleição. Todos os prémios que a série tem ganho são mais do que justos e Phoebe Waller-Bridge é absolutamente genial a dar vida a esta personagem de nome Fleabag. A série não me conquistou desde o primeiro minuto, mas foi óbvio desde a cena inaugural que a personagem principal prometia. Fleabag é imensamente engraçada, mas de uma forma natural a que não estou habituada porque as comédias têm uma certa tendência para se esforçarem demasiado no campo das piadas, de modo que muita coisa soa forçada. Esta personagem tem uns apartes hilariantes para a câmara, tem uma forma um tanto ou quanto peculiar de lidar com as pessoas à sua volta e com a vida no geral e, ao mesmo tempo, é bastante fácil identificarmo-nos com ela. Não necessariamente porque nos revemos nas ações de Fleabag, mas porque ela é muito humana e imperfeita, algo que não é, de todo, para ser encarado como uma crítica negativa. Fleabag – tanto a série como a personagem – merece também louvores por ter trazido algo completamente diferente ao mundo das comédias. Nunca me vou esquecer da cena do episódio piloto em que a nossa protagonista se masturba enquanto assiste a um discurso de Barack Obama.

Janice Litman-Goralnik (Friends): Esta mulher é a prova que para uma personagem se tornar inesquecível não tem que fazer parte do elenco principal. Isto agora vai soar polémico, mas trocava Phoebe por Janice, sem pensar duas vezes. Janice é engraçada, muito engraçada, com toda aquela intensidade com que se agarra à relação com Chandler quando tudo o que ele quer é ver-se livre dela. O homem apanhou um voo para o Iémen só para lhe escapar, valha-nos Deus! No entanto, Janice é uma daquelas pessoas com alguma dificuldade em ver o que está mesmo à frente dela e a verdade é que Chandler reatou a relação algumas vezes. É dada ao drama, mas boa pessoa e um bocado inocente e tem aquela voz irritante e um riso espetacularmente peculiar que são a sua imagem de marca. Não nos importávamos nada que ela tivesse aparecido em todos os episódios de Friends!

Frankie Bergstein (Grace and Frankie): Esta comédia da Netflix é, sem dúvida, uma das ideias mais originais do gigante de streaming. Apesar de ter personagens engraçadas, nada bate Frankie. Ela é um espírito livre e não se preocupa com o que os outros possam dizer ou pensar dela. Frankie é uma artista, fuma drogas frequentemente e faz jornadas espirituais. Uma mãe ou avó muito moderna e atenta à atualidade! Aliás, prova disso é que mesmo com a idade que tem continua a ter ideias originais como vibradores para mulheres mais velhas ou sanitas que ajudam as pessoas com mais dificuldade a levantar-se. Como se isto não bastasse, a sua relação com Grace é o que a torna memorável. Apesar de algumas dificuldades em entenderem-se no início da série, rapidamente se percebe que a amizade de Grace e Frankie é especial e única.

Janet (The Good Place): Um Google em forma humana! Acho que esta é a melhor forma de caracterizar Janet: a fonte de toda a informação e conhecimento do universo em The Good Place e capaz de arranjar qualquer objeto. Apesar de se parecer com um humano, ela não sente emoções, a não ser quando tentam clicar no botão de desligar, fazendo com Janet implore pela sua vida. No entanto, a Janet que vemos no decorrer das temporadas acaba por desenvolver sentimentos, algo que nunca tinha acontecido. A explicação é a de que cada vez que é reiniciada, Janet melhora e desenvolve novas capacidades. Depois de 827 reboots, esta Janet acaba por desenvolver uma relação algo cómica com Jason Mendoza, um dos residentes do Good Place. Sempre carismática e diferente, Janet representa a autenticidade desta série como nenhuma outra personagem o faz.

Que personagens das comédias consideras memorável?

Diana Sampaio e Diogo Alvo