Autodefesa – Review da 1.ª Temporada
| 21 Mar, 2023
6.5

Publicidade

Autodefesa (Autodefensa no título original), a nova série espanhola da Filmin, foca-se em duas amigas, Belén (Belén Barenys) e Berta (Berta Prieto). Tendo estreado hoje na plataforma de streaming, vem romper com os standards das séries mainstream.

Uma série aparentemente normal, depressa marca a diferença. Tudo começa com Belén e Berta a conversarem num dia de ressaca enquanto comem fast food, mas em poucos minutos percebemos que estamos perante algo distinto das outras séries. As nossas protagonistas são duas raparigas com desequilíbrios ao nível da saúde mental que lutam para melhorar o seu estilo de vida. Revelam, no entanto, pouca maturidade e pouca empatia para com terceiros, o que dificulta bastante o seu percurso.

O facto das duas protagonistas terem os mesmos nomes que as atrizes faz-nos questionar se não estarão a contar parte das suas próprias histórias. Na maioria dos episódios há uma conversa central, uma partilha de experiências, que serve de ponto de partida. Cada episódio foca-se num tema da vida, como aliás se pode ver pelos títulos dos episódios, que vão desde Sentirse Deseada a Ser un concepto. Ao longo dos dez episódios de aproximadamente 15 minutos, são abordadas temáticas como: amizade, drogas, sexualidade, feminismo, machismo, abuso do poder por parte dos homens, não monogamia, álcool, juventude, redes sociais, insegurança e autoestima. Claro que não podia deixar de estar presente a saúde mental e ansiedade, bem como a importância de sensibilizar para problemas do foro psicológico.

“E é assim que educam gerações de mulheres que querem salvar os homens da sua estupidez. Como se a estupidez pudesse ser curada. Como se tomar um ibuprofeno pudesse curar a estupidez masculina.”. Esta é a minha citação preferida em toda a série, exatamente pelo facto de chamar a atenção para os terríveis efeitos de uma educação e sociedade altamente machistas. E o pior é que as pessoas nem se apercebem disto. Uma grande parte dos homens é infantilizado pela mãe e depois casa-se para ser cuidado pela mulher, sendo sempre visto como um coitadinho que não sabe fazer nada e por isso a mulher tem que ser quase como uma “escrava”. Ganhar consciência disto é o primeiro passo para a mudança.

É uma série bem diferente daquilo a que estou habituada, de ritmo lento e não é para todos os gostos. Tanto o estilo da imagem (bastante “crua” com poucos efeitos) como o som conferem à série uma vibe alternativa e diferente. Não é uma série com imagens bonitas, não se tentam esconder pelos nem outros detalhes fora do padrão de beleza da sociedade. É uma série muito realista, por vezes até deprimente.

Os curtos episódios da 1.ª temporada de Autodefesa são perfeitos para ver quando se tem pouco tempo, mas não diria que são o ideal para um momento de relaxamento, porque realmente causam inquietação no espectador e fazem-nos pensar. Vi os primeiros episódios e fiquei bastante interessada, mas confesso que, a certa altura, mais para o final da série, o meu entusiasmo diminuiu um pouco, talvez por ter notado uma certa mudança na estrutura dos episódios.

Diria então que Autodefesa é uma boa série e aborda temas muito importantes, apesar de não me ter arrebatado, nem a considerar espetacular. Também nos faz pensar fora da caixa e sair da nossa zona de conforto, o que me abriu os horizontes seriolicamente falando.

Melhor episódio:

Episódio 3 – Ansiedade Este episódio é muito real e traz aos olhos do público a dor e sofrimento que a ansiedade limitante provoca. Além disso, as emoções e sensações que as personagens descrevem estão bastante precisas. Ansiedade é mesmo aquilo, é assim que eu a sinto. É muito importante criar consciência acerca disto junto à população em geral e fico contente por ver a temática da saúde mental abordada em cada vez mais séries.

Personagem de destaque:

Belén (Belén Barenys) – Escolhi Belén porque me identifiquei mais com a personagem dela, principalmente ao nível dos efeitos da ansiedade, mas também da sua mente aberta. Gostei de ver a forma como ao longo dos episódios vemos os ideais feministas a ganharem força dentro (e fora) dela.

Temporada: 1
Nº Episódios: 10
6.5
7
Interpretação
6
Argumento
7
Realização
5
Banda Sonora

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

house of the dragon the black queen

Recomendamos