Todo Dia a Mesma Noite – Review da minissérie
| 27 Jan, 2023
7.2

Publicidade

Na última quarta-feira, poucos dias antes da tragédia da Boate Kiss completar uma década, a Netflix lançou a minissérie Todo Dia a Mesma Noite.

O dia 27 de janeiro de 2013 será sempre lembrado como a data em que ocorreu uma das maiorias tragédias já registadas no Brasil. 242 jovens saíram com a intenção de se divertir numa discoteca e acabaram por perder a vida num trágico acidente que ocorreu devido a negligência – desde o dono do clube, até ao governo local e bombeiros da cidade que não fizeram o seu trabalho corretamente ao fiscalizar a segurança do local.

O primeiro e segundo episódios (A Noite e O Luto, respetivamente) não foram muito fáceis de assistir. O guião e a atuação conseguiram captar muito bem a angústia vivida pelas pessoas que estavam a perder a vida, a terem o corpo todo queimado e o pânico e caos que foi instaurado na cidade, que até há dez anos atrás era considerada muito feliz, jovem e viva. Nos episódios que se seguem ocorrem diversos saltos temporais, pois é uma história que até hoje não teve solução e as famílias esperam que os quatro réus do caso sejam finalmente presos para poderem ter um suspiro de alívio e de justiça.

Muitos argumentam que a série é ”desnecessária” por fazer com que os familiares das vítimas revivam novamente os eventos, mas os próprios familiares, em entrevista à Folha de São Paulo, defendem a realização da série, afirmando que é importante que as pessoas saibam o que aconteceu e ter em atenção que o acidente ocorreu devido a diversos erros humanos e que os réus ainda não foram responsabilizados.

A minissérie, que se baseia no livro Todo Dia a Mesma Noite: A História Não Contada da Boate Kiss, de Daniela Arbex, não perde tempo ao ir direta ao assunto, o que é um aspeto muito positivo. Normalmente, em séries que são inspiradas em factos reais, é comum assistir a muito conteúdo que não acrescenta nada à história em si. Apesar disso, não se aprofunda totalmente em assuntos específicos e então Todo Dia a Mesma Noite serve como uma boa introdução ao assunto. Existem diversas fontes que detalham melhor a tragédia e ocupam tempo com os depoimentos de sobreviventes, pais das vítimas, as investigações e as consequências que podem complementar a tua maratona desta minissérie, como o próprio livro de Daniela Arbex (disponível na Amazon) e a série-documental do Globoplay, Boate Kiss – A Tragédia de Santa Maria, que estreou no dia 26 de janeiro.

Os cinco episódios de Todo Dia a Mesma Noite já se encontram disponíveis na Netflix.

Melhor Episódio:

Episódio 2 – O LutoComo disse anteriormente, não foi um episódio fácil de assistir. Como o próprio nome indica, este episódio retrata o luto que mais de duzentas famílias foram forçadas a viver precocemente, com atuações impecáveis de todos os atores que definitivamente conseguiram tirar algumas lágrimas de mim e a realização de Júlia Rezende, que consegue fazer com que o telespectador se sinta emergido na angústia vivida no dia 27 de janeiro.

Personagem de destaque:

Nenhum em concreto – Todo Dia a Mesma Noite não se foca muito num determinado personagem e conta a história de algumas famílias e sobreviventes do acidente sem as aprofundar completamente. Não dá para eleger um personagem de destaque, pois estão todos ao mesmo nível.

Temporada: 1
Nº Episódios: 5
7.2
8
Interpretação
7
Argumento
7
Realização
6
Banda Sonora

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

la brea 3 poster

Recomendamos