Classificação

7
Interpretação
6.5
Argumento
5
Realização
5.5
Banda Sonora

[Não contém spoilers]

Temporada: 2

Número de episódios: 6

No passado dia 9 de julho de 2021, regressou à Hulu a excêntrica e engraçada Aine (Aisling Bea) para a 2.ª temporada de This Way Up. Nesta temporada assistimos ao desenvolvimento das peripécias decorridas anteriormente, em especial as que envolvem a componente amorosa das vidas das duas irmãs.

As personagens desta série britânica criam empatia no público, pela forma realista como nos são apresentadas e aparentemente sem filtros. Aine é a nossa protagonista, que nesta temporada, continua a revelar pouca confiança, baixa autoestima, insegurança, possivelmente aliadas a sentimentos de solidão. Por outro lado, é uma pessoa divertida, que gosta de fazer piadas, talvez para esconder o desconforto. Vemos nela uma evolução, de alguém deprimido que acaba por ganhar uma visão mais esperançosa da vida. Shona (Sharon Horgan), a irmã de Aine, é em alguns aspetos o oposto da irmã, sendo mais séria. Apesar de aparentar ter uma vida melhor resolvida que a irmã, é assolada por dúvidas existenciais, enfrentando uma indefinição em relação à sua orientação sexual e preocupação em relação ao seu futuro. É ainda visível alguma frustração com a sua vida amorosa. Shona praticamente teve o percurso inverso de Aine ao longo da temporada, chegando ao final numa situação de vida incerta. A relação entre as duas baseia-se em apoio incondicional mútuo e muito humor.

Nesta temporada, a série consegue tocar em vários temas da atualidade de forma superficial, dos quais nos conseguimos aperceber se estivermos atentos, como o assédio, a saúde mental, o alcoolismo, o suicídio, a orientação sexual, os problemas sexuais e ainda a questão da forma como a terapia é levada a cabo, às vezes, não ser a mais adequada. Algo que achei curioso foi a forma como, no contexto da vida amorosa de Aine, se retrata o conforto feminino dirigido ao homem, contrariando estereótipos criados por muitos filmes e séries. Todas estas são temáticas pesadas, mas a abordagem é feita de forma leve e suavizada pelas frequentes piadas da protagonista. Na verdade, foi Aine, a romântica divertida que come alface e se depila no lava-louça, e as suas piadas que realmente me prenderam à série e me motivaram a ver até ao fim. Uma das minhas citações preferidas é uma resposta que deu à irmã: “Claro, entro numa app qualquer e digo: ‘Olá pessoal. Sinto-me só. Toquem-me.’ e veremos onde isso me leva.”.

No que diz respeito à banda sonora, a escolha musical é adequada, divertida e utilizada de forma inteligente, havendo um encaixe das letras das músicas com algumas cenas da ação, inclusivamente nos momentos musicais das irmãs, em que elas exploram ao máximo os seus dotes de canto. Já a imagem parece querer reforçar o realismo da série, sendo apresentadas cenas da vida quotidiana em cenários amplos e confusos, o que realça a pequenez das personagens no mundo contemporâneo. Um episódio de This Way Up é reconfortante, não exigindo muito esforço mental do espectador, que simplesmente espera ansiosamente pela próxima piada de Aine.

Em conclusão, considero que apesar de não ser uma temporada espetacular, está bastante bem elaborada e diverti-me bastante durante o tempo em que a vi. A personalidade de Aine acaba por funcionar como o grande motor, aumentando a qualidade da série no seu todo. Algo que não me agradou tanto foi o facto de o tema da saúde mental, que deveria ser o principal foco da série, acabar por não ser muito aprofundado nesta temporada. Recomendo a série a qualquer pessoa que goste de ouvir umas piadas e dar umas boas gargalhadas. Parece estar pensada para ser vista em binge watch, pelo número reduzido de episódios e pela curta duração de cada um, sendo ideal para ver em qualquer altura. De que estás à espera para atacar esta 2.ª temporada? Ainda não viste a primeira? Aproveita para “maratonar” as duas temporadas!

Melhor Episódio:

Episódio 1 – Considero que abriram a temporada em grande, com um episódio cheio de humor e algumas emoções. Neste episódio, assistimos a algumas das melhores piadas, mas também momentos de apoio entre as duas irmãs da temporada, que nos deixam com curiosidade em relação aos restantes episódios. Vemos ainda um pouco daquilo que são as vidas amorosas delas neste momento e algumas fragilidades são expostas, deixando-nos com alguma curiosidade sobre a forma como irão evoluir.

Personagem de destaque:

Aine – Ironicamente, a personagem deprimida é a alegria de toda a série, desenhando um sorriso nos lábios dos espectadores a toda a hora, pela forma como usa as piadas em momentos de desconforto e talvez até para esconder os seus verdadeiros sentimentos. “Sabes, na verdade, eu acho que os homens usam as vaginas como um local para guardarem a sua infelicidade. Como uma garagem quente e molhada para os problemas deles.” É também a personagem que mais evolução sofreu ao longo da ação, conseguindo dar grandes passos para se afastar da depressão de uma forma realista.

Inês Rodrigues