Classificação

6.5
Interpretação
4.5
Argumento
7
Realização
7
Banda Sonora

Temporada: 7

Número de episódios: 12

[Pode conter spoilers]

Younger, a comédia dramática norte-americana criada por Darren Star, regressou quase dois anos depois para a 7.ª e última temporada. A anterior tinha terminado em 2019, mas a pandemia mundial veio atrasar a estreia desta temporada, que teve um desfecho que não surpreendeu e que desiludiu muitos fãs. Não vai deixar saudades!

A série regressou com as novas peripécias de Liza (Sutton Foster), Kelsey (Hilary Duff), Lauren (Molly Bernard), Josh (Nico Tortorella) e Maggie (Debi Mazar) e é uma continuação dos dramas da 6.ª temporada. Diana (Miriam Shor), a personagem que mais falta fez nesta última temporada, está de lua de mel e é Lauren quem milagrosamente consegue assumir o seu lugar. Não me interpretes mal, Lauren é uma das personagens mais carismáticas e adoráveis desta série, mas, na minha opinião, não teria capacidade para assumir o trabalho de Diana na Empirical. Contudo, o que é facto é que o fez e muito bem.

Esta 7.ª temporada de Younger foi sem dúvida a mais fraca em termos de conteúdo e de organização da série em si. Josh, um das personagens principais e mais adorados do público, foi completamente posto de parte durante a maioria dos episódios, tendo sido relegada para um papel muito secundário e sem uma storyline bem aproveitada.

Liza e Charles (Peter Hermann) acabaram por ser a relação central da trama, mas toda a gente sabia que não iria resultar e o desfecho que acabou por ter é prova disso. O argumento desta acabou por ser básico: Quinn (Laura Benanti) regressa ao plot, a história de Kelsey não passa do mesmo, mas acaba por ter um final decente. Todos sabemos o péssimo gosto em homens de Kelsey e a maneira como ela pode ficar por causa disso, mas a nível profissional, felizmente, consegue realmente dar o salto, o que acaba por ser satisfatório.

Voltando ao casal principal… Ao longo dos 12 episódios foi sempre igual: Liza gosta de Charles, Charles quer casar, mas Liza não; Charles começa a sair com Quinn, Liza intromete-se na vida deles e por aí em diante, não passando do mesmo que já tínhamos visto em temporadas anteriores.

A temporada trouxe, contudo, um conceito interessante: a Inkubator. A Empirical voltou ao mesmo, assim como Charles, e voltaram a não confiar na visão de Liza e Kelsey. Foi então que estas resolveram criar um safe space para escritores e daí surgiu a Inkubator. Não sei se o conceito existe na realidade; se sim, é uma forma muito interessante de debater e conhecer novas vozes e novo conteúdo num mundo onde as redes sociais, os influencers e a internet dominam tudo e todos.

Para além da Inkubator, o ponto alto acabou mesmo por ser Maggie. A storyline desta personagem começa em alta e acaba por ter um desfecho interessante. Maggie passa por algo de que todos nós ouvimos falar nos últimos tempos, a chamada cancel culture, mas felizmente nunca baixa os braços e não deixa de ser ela própria, conseguindo combater as más línguas.

Younger é uma série que conseguiu convencer fãs durante seis temporadas e que não merecia este final, que pareceu apressado, desleixado, e desiludiu muita gente, eu incluída.

Melhor episódio:

Episódio 12 – Older – Parece cliché escolher o último episódio como o melhor, mas a verdade é que o foi. Apesar de todas as críticas que fiz, é aqui que conseguem dar um fim digno a estes personagens e tudo terminou da forma como começou, o que foi um excelente toque por parte do criador. Kelsey consegue a sua nova vida profissional fora de Nova Iorque; Charles volta a escrever e Liza fica a frente da Empirical (e será que volta a tentar uma relação com Josh?) 

Personagem em destaque:

Maggie Amato (Debi Mazar) – Era impossível não escolher Maggie, que começa esta 7.ª temporada como professora de artes numa universidade e depois de uma e outra reviravoltas acaba por perder o emprego e a galeria onde tinha a sua arte exposta. Maggie Amato foi ‘cancelada’ devido a um show que fez nos anos 90 e que foi considerado não ser LGBTQ+ friendly e acaba por levar com uns quantos tweets maldosos, perdendo assim vários dos seus trabalhos. Acaba por descobrir que foi ‘cancelada’ devido a uma vingança por parte da diretora da faculdade onde tinha ingressado. Maggie, mesmo com toda esta questão da sua vida virada do avesso, apoiou sempre Liza e conseguiu sair graciosa de toda uma cena que poderia ter dado mau resultado.

Margarida Rodrigues Pinhal