Classificação

9
Interpretação
7
Argumento
7.5
Realização

[Não contém spoilers!]

Temporada: 1

Número de Episódios: 8

Perry Mason é a mais recente forte aposta da HBO. Chegou com uma ideia repescada, mas cheia de talento à frente e atrás das câmaras.

Matthew Rhys (The Americans) é um investigador que vira advogado, auxiliado por Juliet Rylance, uma “faz-tudo” numa altura em que as mulheres são, no máximo, secretárias. Chris Chalk é um polícia negro numa esquadra que não o respeita; John Lithgow, um advogado que deseja fazer o bem, mas que esbarra num passado problemático; Shea Whigham, o auxiliar rezingão de Perry e Tatiana Maslany é uma líder religiosa que pretende elevar a sua igreja, mas cuja sombra maternal a atormenta. São muitos os jogadores, mas no centro está a morte trágica de um bebé raptado que Perry e companhia terão de explicar.

A 1.ª temporada de Perry Mason transpira classe temporal, dos figurinos aos edifícios tudo “cheira” a anos 30. Infelizmente é só aí que a série consegue deslumbrar, porque o resto são fórmulas repetidas. A começar no crime central, passando pelos suspeitos e finalmente os culpados. Não há propriamente uma surpresa e a única dúvida é: “como é que Mason irá safar o caso no final?”.

O forte da série, para além de um elenco praticamente sem falhas, em que Rhys e Maslany brilham mais alto e em que Lithgow e Gayle Rankin estão também impecáveis, são as histórias paralelas e respetivos obstáculos. E se, por um lado, a série leva o seu tempo a desenvolver, sem pressas, como uma série de época às vezes necessita, por outro também dá saltos quase injustificáveis. Mason passa de investigador a advogado em cinco minutos, como se o processo fosse simples e fácil. A transformação não é apenas profissional, visto que um homem pacato e derrotado passa a ser uma tempestade num copo de água de emoções no último terço da temporada.

Sou um enorme fã de Rhys e a série transpira HBO, mas não chega para tornar Perry Mason um projeto memorável. A história não fascina nem apresenta nada de realmente fresco, com um passo narrativo inconstante que contrasta com um elenco intergaláctico.

Personagem de Destaque:
Irmã Alice (Tatiana Maslany) – A energia da sua personagem, principalmente nas cenas na igreja, despertam a série em vários momentos. A atriz demonstra que o que fez em Orphan Black não foi um acaso e que é de facto muito talentosa.

Episódio de Destaque:
Episódio 5 – Chapter 5: Perry transforma-se em advogado no final do episódio como quem muda de camisa. A série muda quase radicalmente a partir do sexto episódio.

Vítor Rodrigues