Classificação

7.5
Interpretação
6.5
Argumento
7.5
Realização
7
Banda Sonora

Temporada: 3

Episódios: 6

[Pode conter pequenos spoilers]

Passada nos anos 40, Alta Mar é uma série espanhola da Netflix que decorre num navio transatlântico, acompanhando as duas irmãs Villanueva, Carolina (Alejandra Onieva) e Eva (Ivana Baquero). Alta Mar começou a sua história com um mistério que perturba a travessia quando alguém, cujo nome não consta da lista de passageiros, é assassinado.

Depois de duas temporadas empolgantes, Alta Mar regressa para a sua terceira e possivelmente última da série. Apesar de ter sido renovada para 3.ª e 4.ª temporadas ao mesmo tempo, alguns sites espanhóis apontam agora a terceira como sendo a última. Independentemente de ser a última ou não, esta temporada soube a pouco, muito pouco. Contudo, tem, de certa forma, um desfecho e terei que aceitar caso tenha terminado aqui.

Apenas com seis episódios que passam a correr, esta temporada distingue-se bem das duas primeiras. Para além do tema central ser distinto, temos novas personagens e personagens das temporadas anteriores, mas com traços diferentes, visto que esta 3.ª temporada sofre um salto temporal considerável.

Nesta temporada, as irmãs Villanueva reúnem-se em Buenos Aires, em 1948, para embarcar no navio Bárbara de Braganza e viajar até Veracruz. Carolina é proprietária de um navio de transporte de mercadoria e Eva leva consigo uma missão secreta que tem em comum com o espião enigmático, Fabio (Marco Pigossi). Em causa está um vírus letal que se encontra a bordo na posse de um russo desconhecido. Podem não acreditar, mas este plot do vírus é pura coincidência com os acontecimentos atuais, até porque esta temporada foi filmada antes da pandemia.

Desde o início que Alta Mar me faz lembrar os filmes clássicos de Agatha Christie e esta temporada não foi diferente nesse aspeto, com a exceção do detetive do navio não ser inteligente como Poirot e, mais uma vez, ser Eva a desvendar o mistério a bordo.

Depois de duas temporadas com o mesmo estilo de realização, que inclui banda sonora sinistra quando aparecem os “maus da fita”, não é difícil de prever certos acontecimentos, como suspeitar logo da personagem que aparece toda envolta em ligaduras tipo múmia. Mesmo assim, a série é capaz de surpreender e não ser totalmente previsível.

Outro aspeto que é impossível não comparar é a situação específica do vírus e dos procedimentos que em nada se assemelham às recomendações que ouvimos todos os dias da DGS, já para não falar da resolução que acontece em minutos, enquanto nós estamos à espera de uma vacina há mais de seis meses… Fizeram falta os dois episódios nesta temporada para prolongar um pouco mais o desenrolar do contágio do vírus, o pânico subjacente e então depois, com calma, a solução para o problema.

Não posso terminar esta review sem deixar de dar o devido mérito ao sotaque fofo do ator brasileiro Marco Pigossi, que fala espanhol a temporada inteira e há que reconhecer o esforço que deve ser para um ator falar uma língua que não é a sua língua mãe e ainda interpretar uma personagem ao mesmo tempo.

Resumindo, gostei bastante desta 3.ª temporada de Alta Mar e da série em geral, apesar dos pontos negativos mencionados acima. Alta Mar é uma série ligeira, mas cativante, com um guarda-roupa impecável e cenários bem construídos. Quem gosta de mistérios ao estilo Agatha Christie não se vai arrepender de dar uma oportunidade à série.

Melhor Episódio:

Episódio 5 – Tenho que confessar que só descobri que a temporada tinha seis episódios – em vez dos oito das duas primeiras – quando cheguei ao 6.º episódio. Assim, fez mais sentido que o mistério todo a bordo tenha sido descoberto neste 5.º episódio. É um bom twist na história desta temporada. Para além disso, é também neste episódio que Nicolás (Jon Kortajarena) volta ao navio Bárbara de Braganza,depois de se ausentar a temporada praticamente toda, calculo que para abrir caminho ao novo romance de Eva.

Personagem de destaque:

Eva Villanueva – Eva é a minha personagem favorita desde o início da série. É uma personagem com garra, sem deixar de ter os seus momentos sentimentais, e com uma curiosidade natural de uma escritora. Não é por acaso que acaba por envolver-se nos mistérios das três temporadas e ser ela a resolvê-los praticamente sozinha. Também ajuda o facto de gostar da atriz e de apreciar o trabalho dela.

Ana Velosa