Blindspot – 01×14 – Rules in Defiance
| 25 Mar, 2016

Publicidade

No episódio desta semana de Blindspot, Rules in Defiance, tivemos uma Jane em modo de férias, por assim dizer, enquanto tenta lidar com uma crise de fé. Ela, claramente, não confia em Oscar e depois de falar com Borden decide que quer sair do FBI, deixar tudo. Enquanto isso, Tasha Zapata é catapultada para o lugar de destaque neste episódio. Weller opta por se distanciar de Jane e aproximar-se de Allison e ainda temos alguns desenvolvimentos em relação à morte de Carter, com Jane no centro das atenções.

O episódio abre com Kurt, que ainda se encontra a processar a distância que ele e Jane criaram, com Allison após uma noite a dois. É óbvio que Kurt não se consegue ligar emocionalmente a ninguém, muito menos depois de ter conhecido Jane ou saber que Taylor está viva. Resta saber se Kurt não se está a iludir a si próprio com este reatar com Allison ou então, pelo contrário, está a começar a distanciar-se emocionalmente de Jane. Ao mesmo tempo, ficamos a saber, como era esperado, que Reade e Sara continuam o relacionamento, contra a vontade do irmão.

Na divisão do FBI em NY, Patterson desvenda duas tatuagens de Jane, após estas terem sido enviadas anonimamente por e-mail, levando ao caso da semana.

O telefonema que Zapata recebeu no final do episódio anterior teve continuação neste episódio. A pessoa por detrás da chamada era um assistente do Procurador de Justiça que, à semelhança de Oscar, acredita que existe corrupção naquela divisão do FBI, e que a mesma precisa de ser resolvida. Após Zapata se mostrar reticente face a trair os seus colegas mais uma vez, Matthew Weitz (Aaron Abrams) ameaça-a com pena de prisão caso esta não coopere com ele.

Relativamente ao caso da semana, este incide sobre o tráfico humano, de mulheres mais especificamente. Acho que já estamos habituados a que os escritores de Blindspot abordem temas atuais, temas com impacto social. Mas, mais uma vez, a forma como foi o tema foi abordado, fez a diferença. O tráfico humano é uma ameaça real no mundo inteiro, e normalmente por si só este tema é eficaz na televisão. Aliado à capacidade que Blindspot tem em colocar quebra-cabeças, fez com que a narrativa fosse cativante, mantendo sempre o suspense durante todo o episódio.

A conduzir todo o caso da semana tivemos, finalmente, Zapata. Tasha tem sido constantemente sacrificada na série, sem nunca ter especial destaque e oportunidade, sempre vista como um elo fraco. Se inicialmente era Carter a chantageá-la, agora temos Weitz. No entanto, desde o início percebemos que Tasha é uma mulher de coragem e este episódio foi prova disso. Ela coloca-se numa situação perigosa, infiltra-se no mundo do tráfico de mulheres a fim de salvar a vida de um homem, alegadamente inocente, do corredor da morte. Foi muito bom ver Zapata neste episódio, todo aquele lado que desconhecíamos dela a vir ao de cima. Blindspot pode mesmo beneficiar bastante se der mais relevo a personagens que não Jane, como foi o caso já de Patterson e agora de Zapata. Reade será o próximo?

Outro aspeto em destaque neste episódio foi a ausência de Jane. Jane passa grande parte do episódio presa a um sentimento de culpa, de autorreflexão e questionamento sobre tudo o que tem vivido. Mas o pior é que tudo isto está a deixar um rasto de desconfiança dos outros em relação a ela. Quando Jane diz a Borden (psicólogo do FBI) que pretende sair, deixar de trabalhar no FBI e para o FBI, este mostra-se surpreso e, para desespero de Jane, diz-lhe que ela está a esconder alguma coisa de muito importante. Por outro lado, Mayfair e Reade continuam a investigar a noite da morte de Carter e a ligação que Jane poderá ter à mesma. Como resultado desta investigação, Reade descobre Oscar numa das gravações de trânsito (ainda sem saber a identidade deste) a conduzir o carro de Carter. Como se não bastasse tudo isto, Oscar, perto do final do episódio, aquando da recusa de Jane em continuar o plano traçado por Taylor, usa Weller como trunfo para a chantagear, dizendo que o seu colega do FBI poderá ser a próxima vítima. Vida complicada para Jane.

Blindspot continua a expor os segredos e a levantar questões sobre os vários personagens. Mayfair tem agenda pessoal fora do departamento, o mesmo com Jane e Zapata. O agente Reade está subordinado diretamente a Mayfair, ao passo que Weller parece começar a distanciar-se emocionalmente de Jane. Para terminar, Oscar dá a entender que Orion pode não ser, afinal de contas, o mau da fita, e que há pessoas, quiçá alguma organização, também envolvida em todo o processo.

Rules in Defiance foi um bom episódio, bem conseguido, com uma narrativa agradável e mais uma vez a um bom ritmo. Focou-se bastante no desenvolvimento das personagens tendo, para isso, mudado a sua fórmula, sem no entanto afetar a identidade da série.

Algumas observações:

  • Quem atacou Reade no final do episódio? Foi o Oscar?
  • Quem são os “eles” que Oscar menciona a Jane?
  • Porque é que Reade está sempre a fazer perguntas sobre a Jane quando está com Sara? Estará apenas a ter um caso com a irmã de Kurt para conseguir algo sobre Jane? Ou está apenas empenhado em levar o romance a bom porto?
  • O anagrama desta semana é “Find a Secure Line”

Fernando Augusto

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

mayfair witches estreia

Recomendamos