Vento Norte é a mais recente aposta da RTP em ficções históricas. Desta vez, podemos acompanhar os eventos que antecederam o golpe militar de 28 de maio de 1926, que acabou por instaurar o Estado Novo e uma das primeiras grandes ditaduras a nível europeu. A série segue a família Mello, uma família aristocrata de Braga, e a partir dela é capaz de retratar a vida das várias classes sociais portuguesas, desde o fim da Primeira Guerra Mundial até ao golpe militar.

O Séries da TV esteve presente no evento de apresentação, no Theatro Circo, em Braga, no passado dia 19 de abril. Neste evento estiveram presentes os criadores da série, parte do elenco, figurantes e também os autarcas das freguesias que foram palco das gravações de Vento Norte. Tivemos a oportunidade de ouvir acerca das gravações da série, bem como assistir antecipadamente ao segundo episódio.

A série é uma continuação da estratégia da RTP na criação de séries históricas e focadas na perspetiva portuguesa. O diretor de programas da RTP, José Fragoso, reforça a exclusividade da RTP na criação deste género de narrativas históricas, apresentando ao público “eventos que foram construindo o início da história desse século”, focando-se na perspetiva de Portugal e dos portugueses da época. Afirma também que este tipo de séries “contribui para criar um património audiovisual, muito importante no nosso país”.

Apesar de ser uma série com “um sentido verdadeiramente português e uma identidade nossa”, como refere Almeno Gonçalves, ator e criador de Vento Norte, a ideia é levar esta produção para outras geografias. Pretende-se que a série seja distribuída em diferentes países, espalhando um pouco o que se faz por cá e, igualmente, um pouco da história a partir da perspetiva nacional.

Raquel Palermo, uma das escritoras da série, aborda a escolha de utilizar o guião como forma de destacar o lado feminino: “Quisemos desenvolver o poder feminino e a relação entre as várias mulheres, a cumplicidade e os vários desafios que existiam na altura”. O objetivo é dar voz a “mulheres que sentiram que ficaram para trás”, nomeadamente por não terem tido direito ao voto. Na série é destacado o trabalho das mulheres no setor têxtil e as primeiras manifestações por melhores condições de trabalho.

Após agradecimentos de toda a produção e elenco por todo o apoio das autarquias e de jovens atores e figurantes de Braga, deu-se por terminada esta apresentação na cidade, ficando o desejo da atriz Patrícia Pinheiro, que interpreta a personagem Margarida Mello, para uma renovação de Vento Norte para uma segunda temporada.

Podes acompanhar os novos episódios de Vento Norte todas as quartas-feiras, às 21h, na RTP ou online, através da RTP Play. Podes também espreitar a nossa review do primeiro episódio, Regressos.

Ana Oliveira