Conhecidos os vencedores dos Golden Globe Awards 2015 e digerido o bom e o mau gosto na passadeira vermelha, alguns membros do Staff Séries da TV decidiram partilhar a sua opinião sobre a quem foram parar as estatuetas este ano. As surpresas foram bastantes, mas no geral não discordamos com as entregas, tirando um ou outro caso e algumas preferências pessoais. Aqui ficam as nossas opiniões:

A cada ano que passa os meus sentimentos dividem-se em relação às grandes cerimónias que dizem galardoar e reconhecer os grandes feitos de Hollywood. Enquanto que por um lado cada vez me agoniam mais certos critérios (ou falta deles) nas nomeações e escolha dos vencedores, por outro cada vez mais me deixo ficar numa posição passiva e não me chatear muito com a coisa, porque verdade seja dita, por muito que se queira, nunca estas cerimónias conseguirão ser 100% justas. Começando pela Melhor Série de Drama, com Breaking Bad de fora, a minha previsão apontava para Game of Thrones ou House of Cards, mas aparentemente, tenho que treinar a pontaria. Muito bem que The Affair tem um argumento excelente, muito bem idealizado e construído, mas daí a merecer ganhar este Globo de Ouro… não. Por outro lado, até que fiquei contente com a vitória da Ruth Wilson mas não por achar que a sua interpretação na série seja de louvar, antes por achar que a atriz já fez trabalhos excelentes na sua carreira (tire-se lhe o chapéu pelo papel como Alice Morgan em Luther) e gostei que tivesse sido reconhecida. Contudo, a atriz que realmente merecia ter ganho este prémio nem sequer estava nomeada: Tatiana Maslany, e mais não é preciso dizer.

Ainda bem que True Detective não ofuscou ninguém este ano! Fiquei muito contente com as vitórias de Fargo nas categorias de Mini-série. Na secção de comédia gostei das vitórias de Transparent, deram-me vontade de ver a série, mas tive pena que Orange Is The New Black não tivesse ganho nada – estas academias às vezes têm tanta pressa em galardoar séries que vêm batalhar preconceitos e realidades tabu, e outras vezes parece que se esquecem, como no caso de OITNB.

Mélanie Costa

.

Pode dizer-se que é o ano dos novatos! The Affair chegou e conquistou, o mesmo em relação a Transparent e Jane the Virgin. Com o fim de Breaking Bad, pensei que Game of Thrones fosse ‘limpar’ a principal categoria de drama, mas não. Na categoria de Melhor Atriz Principal em Drama, sou da opinião de que o prémio teria sido melhor entregue a Margulies, Danes ou mesmo Davis.

Se no ano passado torcia contra a Taylor Schilling porque não suportava a Piper Chapman, agora tenho que dar a mão à palmatória. Piper cresceu imenso como personagem e Taylor faz um trabalho fantástico a interpretá-la. Para mim, tanto a série como a atriz, ganhavam os prémios todos das respetivas categorias. E se não for pedir muito, passavam a ser nomeadas em drama, porque OITNB não é nem uma comédia nem um musical.

E esperem… A Jessica Lange não ganhou? Estou surpreendida. Mas ainda bem, porque Maggie Gyllenhaal é uma atriz de mão cheia. Quem já merecia também a nomeação é Sarah Paulson por American Horror Story, mas parecem ter-se esquecido dela. Para terminar, em relação à vitória de Joanne Froggatt, não concordo. A personagem pode ter acrescentado um enredo a Downton Abbey, mas não acho que tivesse sido merecedora da nomeação, quanto mais da vitória.

Diana Sampaio

.

72nd Annual Golden Globe Awards - ShowUau. Nunca pensei dizer isto, mas este ano foi o ano em que os Globos de Ouros mais me aborreceram. Nenhum dos meus favoritos venceu e muitos nem sequer foram nomeados.
Acredito que The Affair seja muito bom. Contudo, Game of Thrones acabou de ter uma das suas melhores temporadas e merecia ter ganho. Qual é a implicância destas academias com séries de fantasia? Já Penny Dreadful também merecia uma nomeação e ficou completamente de fora, assim como Masters of Sex. Na de comédia, também concordo que a a história de Modern Family já tinha chegado ao fim, e como não vejo mais nenhuma nada posso dizer. Na categoria de melhor atriz de drama, na ausência de Tatiana Maslany, Lizzy Caplan e Eva Green (GRRRRRRR), a minha escolha recairia em Viola Davis, que fez um trabalho absolutamente magnífico em HTGAWM e na de melhor ator penso que Kevin Spacey mereceu o troféu (já que ninguém deve ter assistido a GoT… Peter Dinklage!!). Na categoria de comédia, daria o troféu de melhor ator a William H. Macy e ao seu fantástico Frank Gallagher. Quando é que Shameless começa a ganhar alguma coisa?!Gina Rodriguez (embora não veja Jane the Virgin) conquistou-me com o seu discurso. Joanne Froggatt, após tantos anos a brilhar com a sua Anna em Downton Abbey, arrecadou finalmente o galardão e deve ter sido a única categoria em que fiquei genuinamente feliz!

Maria Sofia Santos

.

No que diz respeito às categorias de drama, apesar de gostar da série, achei os prémios atribuídos a The Affair um pouco precipitados. Gostava de ter visto Viola Davis ou Claire Danes a ganhar, ou qualquer uma das outras na categoria que também estavam à altura. Kevin Spacey tem finalmente o devido reconhecimento pela sua personagem em House of Cards, muito justo na minha opinião.
Na comédia, era engraçado ver qualquer coisinha ir para Orange is the New Black mas ainda não foi desta. Não vejo Transparent por isso não posso opinar, mas fiquei curiosa para vê-la.
Gostei muito da atribuição dos Globos a Fargo, a série é genial e merece. Como não acompanho muitas desta categoria, não tenho opinião sobre os restantes prémios. Mas True Detective também merecia levar qualquer coisita.

Raquel Ribeiro

E já agora, quais as tuas opiniões?

.