Uma série fantástica que atualmente está na sua 3.ª temporada e, sejamos sinceros, não poderia estar melhor!

Com storylines e arcos de tirar o fôlego aos assíduos espectadores e com os melhores twists até agora produzidos nas três temporadas, apresentamos um conjunto de opiniões/teorias sobre os rumos que a aclamada série podem tomar (tanto a nível de enredo como de personagens) na segunda metade desta temporada, que regressa a 17 de janeiro de 2017.

E digo “apresentamos” porque? Pois bem, três de nós que seguem a série juntaram-se e as análises que se seguem constituem as nossas opiniões que, como poderão perceber ao longo do texto, serão semelhantes em alguns pontos, mas divergentes em outros. Sem mais demoras:

gotham-png-correto-3

Mario Falcone / Barnes / Mad Hatter

Quem diria que os irmãos Tetch apresentados no 3.º episódio desta temporada viriam a dar tantos problemas? Alice, apesar de morta, continua a surpreender-nos graças ao seu sangue infecioso. Barnes e Mario foram as principais vítimas do vírus, cada um desenvolvendo personalidades características e interessantes. Como sabemos de antemão que os produtores de Gotham gostam de “fugir” aos comics, para estes três personagens com impacto na primeira metade da 3.ª temporada prevê-se as seguintes perspetivas: Barnes tinha tudo para se tornar uma versão televisiva de vários vilões clássicos (The Judge, Bad Cop ou até mesmo Bane); no entanto, vimos que o desenvolvimento do personagem serviu apenas como introdução aos efeitos do vírus de Alice Tetch e, consequentemente, para apresentar Mario Falcone como o verdadeiro antagonista. A história de Barnes provavelmente não irá sofrer muitas mais alterações (a não ser que surja uma eventual cura para o vírus), no entanto Mario poderá não estar “definitivamente morto” e irá regressar como nada mais nada menos que uma versão de Solomon Grundy. O personagem foi confirmado para a 3.ª temporada e penso que seria bastante interessante que, por via de experiências levadas a cabo pela Corte das Corujas ou pelo Dr. Strange, ressuscitassem o personagem com este side effect. Quanto a Mad Hatter, uma fuga da prisão está praticamente garantida, pois penso que os produtores não iriam investir tanto no personagem para lhe darem um fim tão rápido e pacífico. Jervis Tetch estará assim mais uma vez livre para levar a cidade à loucura e trazer a ruína a Gordon.

png-gotham-correcto

Pinguim / Nygma / Butch / Tabitha

Edward Nygma, o mestre dos puzzles, viu o seu coração ser despedaçado quando o amor da sua vida, Isabella, é morta pelo melhor amigo. A relação entre Oswald e Nygma tem sido uma cativante abordagem da vida dos vilões para além dos esquemas maquiavélicos, demonstrando que a verdadeira amizade existe mesmo entre patifes. Na mid-season finale vimos o possível surgir de uma nova aliança e, mediante isso, ficam abaixo as opiniões dos três escritores desta crónica.

João: Avizinham-se grandes disputas entre estes personagens. Por um lado, Butch e Tabitha estão sedentos de vingança, por outro Nygma sente-se atraiçoado pelo seu melhor amigo e mayor de Gotham. Uma improvável união foi formada entre Nygma, Barbara, Butch e Tabitha para fazerem frente à soberania do crime construído e governado por Cobblepot … mas será esta união verdadeira? Não acredito muito nisso e apesar da desilusão sentida por Ed em relação ao seu parceiro de crime, Penguin, acredito que o mestre dos enigmas não atraiçoará Oswald e tudo não passa de um plano para, de uma vez por todas, acabar com a ameaça insurgente de Barbara e o seu gangue. Em suma, penso que veremos Nygma como um duplo agente com um plano minuciosamente elaborado para derrubar qualquer oponente que surja ao domínio da dupla Ed & Oswald.

Emanuel: Esta traição, a meu ver, é imperdoável e Nygma irá tentar destruir Oswald, deixando-o sem nada que lhe traga felicidade à vida. Como vimos na tortura de Nygma a Butch e Tabitha, este não se satisfaz apenas com a morte dos seus inimigos, aprecia ver a esperança a abandonar os olhos das suas vítimas. Poderá Nygma fingir uma correspondência aos sentimentos de Oswald só para depois poder partir, esmagar e pisar o coração do Penguin? Penso que Nygma não só o fará perder o lugar de prefeito de Gotham (vitória que trouxe tanta alegria a Oswald), como irá entregar o domínio do submundo do crime a Barbara (a verdadeira razão para Nygma ter aceite esta parceria). Se isto se suceder, Pinguin poderá mesmo vir a perder a sua riqueza e ter que se refugiar nas sombras onde o seu ódio pela cidade e por todos os seus habitantes irá ser alimentado e expandido. Mal Penguin esteja de rastos, a aliança de Nygma irá terminar e a partir daí o futuro dele será para nós adivinharmos.

Raul: Primeiro não acredito que Nygma trabalhe com Butch e Tabitha sem um plano e acho que a única razão que levou a esta união foi o fator Bárbara e que Nygma irá certamente virar-se contra os primeiros dois assim que surgir oportunidade para tal (não por ter algo contra eles, mas como defesa contra a vingança que pretendem levar avante). Por muito que goste da relação Oswald e Nygma, acho que Oswald foi longe demais e retirou a Ed a sua nova oportunidade com o amor da vida dele, Isabella, uma cópia de Ms. Kringle. Resta saber se o amor que Oswald sente por Ed é o suficiente para este compreender o que o levou a matar Isabella.

png-gotham-2

Barbara Kean / Lee Thompkins

Falamos agora das duas paixões de Jim Gordon.

João: Barbara tem sido uma figura claramente ampliada na série e possivelmente o grande momento dela estará para chegar. Lee, ao contrário de Barbara, tem mantido a sua estabilidade presencial na série e funciona como uma personagem secundária envolvida num dos principais arcos da temporada. Falar destas duas personagens no mesmo tópico faz todo o sentido pois poderemos ter em vista o prelúdio de uma das mais famosas personagens dos comics: Harley Quinn. Se não, vejamos: Barbara já tem o lado maníaco completamente desenvolvido e a sua relação com o presumível Joker (Jerome) é de uma química impressionante (throwback à 2.ª temporada). Já Lee foi médica no Asilo de Arkham, ficou fascinada com a mente de Jerome (outro throwback) e até o nome se assemelha (a pronúncia da palavra “Lee” é muito parecida a “Harley”). Para finalizar, ambas as personagens têm assuntos mal resolvidos com Jim Gordon. Sim, tenho noção que são teorias um pouco fandom e algo descabidas, mas os showrunners já afirmaram mais que uma vez que não se baseiam nos comics para dar origens aos personagens (temos o exemplo de Penguin, Nygma e até Fish, sendo que esta última não existe sequer no mundo da banda desenhada).

Emanuel: A atriz Erin Richards (Barbara) falou na possibilidade da sua personagem vir a transformar-se na femme fatale: “Harley [Quinn] é uma destruidora só pelo prazer da destruição (…) enquanto que Barbara é mais uma mulher com um plano de conquistar o submundo”. Ou seja, apesar das semelhanças entre as duas personagens, Barbara ainda não está ao nível da infame vilã e para a transformação ser completa ela precisaria de perder por completo a sanidade e também cortar os laços afetivos com Gordon. O interesse de Barbara por Gordon é uma “pedra angular” da sua maneira de ser e muitos de nós ainda apostam que os dois poderão voltar a partilhar um romance. Assim, o mais provável é Barbara vir a transformar-se numa personagem paralela a Harley Quinn, mas com a sua própria personalidade. Poderemos acabar a temporada com uma mulher à cabeça do crime de Gotham, Butch e Tabihta como braços esquerdos, e o sonho eterno de ver Gordon ao seu lado direito. Lee Thompkins tem tido muito azar na sua estadia em Gotham e os poucos momentos de felicidade balanceiam-se com as enormes tragédias que se seguem. A morte de Mario é a sua mais recente desgraça e poderá levá-la por uma de duas vias: o isolamento para longe de Gordon e da polícia. Apesar dos sentimentos que ainda tem por Jim, acho muito difícil que os dois voltem a estar juntos. A história deles deu tudo o que tinha a dar, ou os vemos a voltar, casar e viver felizes para sempre – ou não haverá um reacender da paixão. E ela poderá depois abrir um espaço só seu para ajudar os necessitados (numa versão mais semelhante aos comics) ou poderá tentar focar os seus esforços em encontrar uma cura para o vírus Tetch que levou à loucura do seu marido (o que levaria a uma eventual cura de Barnes). De toda a forma, caso Mario retorne dos mortos, Falcone poderá procurar Lee para ajudar nos efeitos secundários da ressurreição.

Raul: Jim Gordon volta a ser o fator que une diferentes personagens, desta vez por motivos românticos. Bárbara claramente ainda tem alguns sentimentos por ele e tal parece ser mútuo (se bem que neste momento os sentimentos de Gordon por Lee estão mais à vista) e acredito que o papel dela daqui para a frente só irá ganhar relevância, está a tornar-se cada vez melhor a jogar o jogo dos bastidores. Para terminar, ainda acredito que Jim e Barbara irão voltar a ser um casal, mas não para já. Primeiro ainda é preciso resolver a temática da Lee: Jim admitiu os sentimentos que tinha por ela e que são correspondidos. Porém, Lee acreditava na pureza de Mario e acha que Jim o matou por vingança. Um aspeto que nunca foi utilizado na série, após aparecer, foi a reação dela com Bárbara (quando a agride e nega tudo a Gordon, na temporada 2) provando que ambas as raparigas na vida de Jim têm um lado negro.

png-gotham-6

Dr. Strange / Fish Mooney

Apesar de já não termos um vislumbre dos dois desde os primeiros episódios, acreditamos que na segunda metade desta temporada ambos irão fazer o seu regresso. Graças ao excelente trabalho de BD Wong como Hugo Strange, o regresso da personagem é esperado com entusiasmo. Strange é um homem com planos B, C e D e por isso é muito difícil parar e prever o seu próximo movimento, mas quem sabe o futuro do personagem não passará por aliar-se novamente à Corte das Corujas para reunir os “monstros” criados em laboratório e futuramente lançarem o caos na cidade de Gotham. De referir ainda que o regresso de Mario e a ressurreição de Talon poderão ser alguns dos milagres que Strange irá realizar.

Fish Mooney, apesar de ter sido uma personagem criada exclusivamente para a série, teve tão alto protagonismo e aceitação pelo público na 1.ª temporada que, mesmo após a sua morte às mãos de Oswald Cobblepot, os produtores conseguiram trazê-la de volta. Jada Pinkett Smith surpreendeu tudo e todos no seu casting, ganhando facilmente o papel da vilã, e o seu elevado carisma leva-nos a querer mais da história de Fish (não me admira que num futuro breve a personagem seja adicionada ao grupo de vilões do Batman nos comics). A personagem é tão dinâmica, adaptável e resiliente que as alternativas para o seu futuro são várias. Precisando da ajuda de Strange para arranjar uma cura para a sua condição degenerativa, poderá ajudá-lo a reunir um exército de monstros para a Corte das Corujas e quem sabe liderá-lo contra os oponentes que aparecerem. No entanto, devido ao desejo de Fish Mooney de ocupar o antigo lugar de Falcone como rainha do crime de Gotham, também há a possibilidade de esta vir a entrar no confronto entre Penguin, Nygma e companheiros. Será que poderemos voltar a ver Fish e Penguin a trabalharem juntos? Era certamente uma boa opção!

gotham-png-correto-2

Corte das Corujas / Gangue dos Sussurros / Falcone

João e Raul: Que a Corte das Corujas irá ter um maior destaque na segunda metade desta temporada já não será novidade para ninguém. O que particularmente não se esperava era que a série introduzisse igualmente outro complô no mesmo arco: o Gangue dos Sussurros. Apesar de termos visto um dos maiores assassinos a soldo da Corte, Talon, aniquilar os membros do grupo rival, pressinto que a história do Whisper Gang não irá ficar por aqui (a referência de Luka Volk à sua irmã – segundo ele parecida com Selina – pode querer dizer alguma coisa). No que à Corte diz respeito: estão aí para, de uma vez por todas, reafirmarem o seu domínio em Gotham e prevejo muito caos, ainda para mais agora que sabemos a ligação de Carmine Falcone à seita. Falcone, em sofrimento pela morte do filho, vai procurar vingança contra tudo e todos e, como já referido, a possível ressurreição de Mario acontecerá, eventualmente, ligada de forma direta à Corte.

Emanuel: Um dos grandes enredos da temporada gira em torno da Corte das Corujas e pode ser que um dos grandes confrontos finais na season finale os envolvam a eles e mais uns aliados (como Falcone e Strange) contra Bruce/Alfred/Selina/Mãe de Selina/Ivy o Gangue dos Sussurros e certamente Jim Gordon também poderá dar uma mãozinha (ou estará ocupado com o grupo de Nygma e Barbara?). No entanto, quem sairá vitorioso é uma incógnita. O doppleganger de Bruce não só aparenta ser poderoso como em caso de vitória daria o completo controlo das empresas Wayne à Corte das Corujas. Por outro lado, este grupo de vilões elitistas são um dos grandes responsáveis pela jornada de Bruce Wayne. Não tendo eles posto em andamento a roda de acontecimentos que levou à morte de um casal num beco escuro de Gotham poderia nem vir a existir um Cavaleiro das Trevas. Um dos mais esperados momentos da série é sem dúvida a passagem de Bruce para Batman. Poderá este confronto com a Corte das Corujas levar Bruce à sua “morte” e ao nascimento de Batman? Poderá esta temporada terminar com um dos momentos finais, com Bruce a “jurar pela alma dos pais vingar a sua morte e passar o resto da vida a combater o crime”?

png-gotham-3

Bruce Wayne / Selina Kyle

João: O casal sensação da série está cada vez melhor e também as suas storylines. Bruce, ainda novato, inicia-se nesta temporada com artimanhas e estratégias à la Batman e quem melhor que a já experiente Selina para lhe transmitir alguns ensinamentos? A midseason finale serviu para nos introduzir um grãozinho de areia daquilo a que Bruce pode almejar, mas também para nos deixar cheios de dúvidas quanto ao futuro de Selina agora que a sua mãe apareceu. Para a segunda metade da temporada penso que Bruce, Selina e Alfred continuarão a sua demanda para descobrir mais sobre a Corte e os seus planos, mas não acredito que a mãe da futura Catwoman fique presente por muito tempo. Quanto ao artefacto da Corte que conseguiram roubar, não creio que a simples estatueta, como Volk transmitiu, cause a queda da Corte, mas sim que seja uma primeira peça para um puzzle mais enigmático que está ainda por desvendar.

Emanuel: O romance entre Batman e Catwoman/Bruce e Selina tem sido um ícone da história do super-herói, principalmente desde o filme Batman Regressa (1992). Aquilo que os une em primeira instância é a dor que sofreram com uma infância perdida, eles veem-se um ao outro nas ações que tomam para lidar com a dor e ao estarem juntos conseguem, nem que seja por um só segundo, esquecer essa dor. A jornada com a Corte das Corujas servirá para aproximar os dois adolescentes, que ficarão mais fortes nessa união, mas que fatalmente deverão quebrar esses laços com o término do conflito que decerto não será ganho sem a perda de ninguém. A Corte destruiu a família de Bruce, mas a família de Selina também certamente terá sido afetada embora ela talvez ainda não o saiba. A misteriosa mãe de Selina parece-me ter assuntos por resolver com a Corte e poderá estar a trabalhar com o Gangue dos Sussurros (ou quem sabe liderá-la agora). Irá ser importante para descobrirmos mais sobre Selina claramente, essencial para o confronto com a Corte, mas também me parece que poderá vir a conquistar o fiel mordomo. Os rumores desta temporada indicam que Alfred irá ter um interesse amoroso e quem melhor que a “mãe gata”? Maria Kyle irá tentar Selina com pensamentos de uma vida confortável e alegre e irá tentar Alfred ao fazê-lo imaginar-se numa vida diferente tendo alguém com quem partilhá-la e não sendo apenas um mordomo em segundo plano. Por tudo isto acho que a mãe de Selina será um grande foco do resto da temporada, atuará como que um cimento a colar, mas a separar estas personagens, e infelizmente não chegará viva à próxima temporada.

Raul: Bruce e Selina vão ser a peça mais importante a mediar a relação Corte das corujas/Gangue dos Sussurros.  O artefacto que roubaram no ultimo episódio irá ser o início do desencadear do seu percurso no que falta desta temporada. Bruce está a evoluir cada vez mais com a ajuda de Alfred e Selina e já se conseguem ver algumas semelhanças entre o rapaz de agora e o Batman que no futuro será (não necessariamente retratado na série). Selina começa a apegar-se a Bruce e a aceder a uma relação quando aparece a sua mãe, o que me parece que irá mexer com essa dinâmica. No entanto, ela ajudou-os, por isso não há de ser terrível.

png-gotham

Jim Gordon

João: O herói da série, como sempre, não irá ter tarefa fácil. Se, por um lado, terá que lidar com Lee que apenas viu Mario ser baleado sem motivo algum (segundo a sua perspetiva), Jim estará ainda em maus lençóis com Falcone, ao qual prometeu não ferir o primogénito. A juntar-se a este rol de complicações, sabemos também que quem quer que seja que está por trás da Corte tem ligações familiares a Jim (cena do anel semelhante ao do pai). Apesar do departamento da polícia estar sem capitão para comandar as operações não acho que a storyline de Jim passe, para já, por esse rumo. A título pessoal, gostaria que voltássemos ao registo de James Gordon dos primeiro episódios da temporada, (agindo off the records) e que a sua proximidade com Bruce e Alfred voltasse. Para mim, a cereja no topo do bolo seria mesmo se, de alguma maneira, os produtores da série criassem a dúvida aos espectadores se neste universo não seria James Gordon a tornar-se algo semelhante ao Batman.

Emanuel: “Jim Gordon, the man who was insane” (Jim Gordon, M.o.d.). Tudo gira à volta desta personagem e, para a segunda metade da temporada, Jim tem muitas pontas soltas para atar. Chegado a este ponto já deu bem para perceber que Jim tem um lado bem negro, mas tendo esse lado sido explorado nos últimos tempos acho que o detetive precisa de uns momentos de claridade para não cair no lado errado da linha que separa o herói do vilão. A sua relação com Lee terá que ser resolvida, penso que Lee o irá afastar cada vez mais, não o perdoando por ter disparado contra Mario, e eventualmente ele conseguirá superá-la. Poderá depois procurar a jornalista Valerie Vale e apreciar uns tempos de estabilidade romântica? A ira de Falcone não será esquecida e juntando isso às ligações da família de Gordon à Corte das Corujas, teremos decerto revelações sobre a família de Jim e eventualmente este irá juntar-se a Bruce na sua luta contra as Corujas. Estou ansioso por vê-lo de volta a trabalhar com Bruce e Alfred, pois a sua relação anda, ultimamente, um pouco esquecida, mas Jim é quase como um tio afastado de Bruce.

Raúl: Jim é a personagem central sobre a qual a série gira. É o elemento que liga todos os outros e com quem toda a gente parece ter um problema: desde Lee, que sem dúvida vai achar que Jim matou Mario por estar apaixonado por ela e não devido ao vírus. Gostava que ele e Penguin voltassem a interagir mais regularmente, uma vez que este sempre pareceu conseguir acender o lado mais negro de Jim ( mesmo assim sempre com boas intenções). Os pontos principais que restam por agora será ver como irá convencer Lee que agiu para a defender e como ira lidar com a ira de Falcone, a quem prometeu que Mario iria ficar a salvo.

png-gotham-4

O Regresso de Jerome

João: Antes de mais devo já dizer que não sou fã do personagem e que por mim não havia qualquer hipótese de sequer regressar. Como entusiasta de comics do Batman tenho um enorme apreço pela personagem do Joker, que não tem origens definidas e é talvez o melhor vilão de sempre das histórias de banda desenhada. Acho que o papel de Jerome como presumível Joker está a ser bastante forçado e irá trazer nada menos que desilusão para a maioria dos espectadores. Sim, agora é tudo muito bonito, mas quando não houver uma réstia de nexo que se aproveite no personagem (não acredito que o consigam manter presente na série até ao seu término), a sua partida causará provavelmente um decréscimo de audiência e bem sabemos que algo assim pode levar ao cancelamento de uma série. Mas já que vai regressar e vai, penso que Jerome virá apenas para espalhar o caos, estabelecer ligações fortes com Barbara ou aproveitar-se do abatido estado psicológico de Lee para conseguir infligir dor e desgraça a James Gordon. Sinceramente não vejo outras maneiras nas quais Jerome possa iniciar ou integrar-se num arco.

Emanuel: Durante anos temos assistidos a incompletos passados de Joker, “quem conta um conto acrescenta um ponto” e Joker muda o seu passado de cada vez que o ouvimos, sendo um dos mistérios que já se tornou intrínseco e próprio da personagem. Jerome foi num consenso quase geral uma das grandes revelações da série Gotham, deixando os fãs pelo mundo fora fascinados com este pré-Joker. A dúvida reside se grande parte deste sucesso não se deveu a isso mesmo, a ele não ser um Joker, mas sim algo que veio antes e que inspirou a criação desse infame vilão. A mesma dúvida se põe à já referida Barbara Kean e à possibilidade de se tronar Harley Quinn. Com a técnica de Hugo Strange trazer de volta os mortos, termos visto Jerome na 2.ª temporada a flutuar num tubo e ouvido o seu riso no final da temporada, tudo indicava que eventualmente o seu regresso aconteceria. Parece que será já nesta 3.ª temporada que tornaremos a ver Jerome de volta a Gotham para espalhar o caos. Será que o regresso de Jerome, depois de uma morte tão surpreendente mas perfeita, inspirando e contagiando Gotham com o seu riso, poderá ser a ruina da personagem? O ator Cameron Monaghan é cativante e a sua interpretação de um proto-Joker recolhe imensas críticas positivas e é por tudo isto que me sinto dividido com este retorno. Na melhor das hipóteses, e o que espero que aconteça, é que Jerome regresse e se junte ao grupo de Barbara/Butcher/Tabita, e agora também Nygma, para dominarem o mundo do crime de Gotham e lançar a cidade mais uma vez nas trevas. A relação entre Jerome e Barbara deverá ser espicaçada sem que nunca aconteça, alimentando a ideia de um Joker e uma Harley Quinn que nunca o chegaram a ser, mas que lembram com carinho os verdadeiros vilões.

Raúl: Tenho que confessar, primeiro, que não gosto da ideia do regresso de Jerome. A sua morte tinha sido chocante, mas o final com vários personagens desconhecidos a rirem-se do mesmo modo que era característico de Jerome foi bastante bom, dando a ideia de que o Joker poderia ser qualquer um que se encontrasse entre nós. Porém, regressou dos mortos, o que leva à minha segunda confissão, gosto bastante da personagem e acho um Joker bastante adequado, só tenho receio é que perca alguma da sua magia ao ter um passado conhecido, uma vez que uma das imagens de marca do Joker é não se saber nada sobre ele. Regressará abruptamente e sem se ligar a ninguém em particular, resta saber como irá participar nos próximos episódios. A minha aposta é que irá regressar com duas personagens que têm estado desaparecidas: Strange e Fish.

Adorar Gotham é adorar o herói Batman, os seus companheiros e vilões, mas é também sermos capazes de nos dissociarmos das clássicas histórias a que estamos habituados dos comics, filmes ou séries antigas. Gotham é uma nova versão original do universo do “Caped Crusader”, diferente de tudo aquilo que já vimos. Mas não será a imprevisibilidade e a criatividade com que os produtores inventam e reinventam as personagens e enredos uma das melhores características da série? Como disse Frank Miller, uma das grandes personalidades ligadas à história de Batman: “O Batman é imortal. Imortal e indestrutível, assim como um diamante de muitas faces. Pode ser interpretado de cem maneiras diferentes e todas elas funcionam”.

Emanuel Candeias, João Alves e Raul Araújo