Classificação

8.2
Interpretação
8
Argumento
8.3
Realização
8.2
Banda Sonora

[Contém spoilers!]

O que parecia ser o primeiro episódio “enche-chouriços” desta última temporada de Vikings revelou-se algo mais do que isso, mas ainda assim o mais fraco até agora. Mais de metade do episódio pautou-se por um ritmo lento e com poucos desenvolvimentos e apenas nos últimos 15 minutos houve aquela sensação de ficar presa ao ecrã na expectativa do que vai acontecer. Confesso que até agora Vikings ainda não surpreendeu, o nível está semelhante à temporada anterior, e só espero que comecem a haver mais twists que façam desta uma grande última temporada.

Vou começar pelo que me está a desiludir mais: o plot do resgate de Harald Finehair. Continuo sem perceber muito bem os contornos deste seu sequestro e quais são afinal as intenções do aborrecido Rei Olaf (do you wanna build a snowman?). Os seus discursos foram aterradoramente secantes, sem qualquer interesse, talvez com exceção da parte em que quer convocar todos os reis e condes da Noruega para decidirem se Björn deve ser o rei do país por inteiro ou não. Fiquei semi-curiosa por saber o que vem daqui. Ainda assim, anseio pelo episódio em que finalmente nos vemos livres dele.

Ivar demonstra finalmente que não está do lado do Rei Oleg e que está já a planear algo para o derrubar. Seria impossível Ivar dar de caras com alguém mais tresloucado do que ele e ficar impávido e sereno. Ainda para mais quando demonstra claramente que só quer usar Ivar para benefício próprio. Fiquei sem saber muito bem que uso poderá o Lothbrok mais novo dar ao pequeno Igor. Gostei da manipulação psicológica e subtil (apenas para a criança), mas Igor não pode fazer nada contra o tio, portanto, porque estará Ivar a convencê-lo a ficar do seu lado? Talvez quando assassinar Oleg coloque Igor no trono e Ivar reine através do jovem, fazendo este aquilo que ele quiser.

Ressalvo apenas que gosto bastante das partes em que as personagens utilizam a língua que supostamente estão a falar durante todo o tempo em que ouvimos o inglês. Percebo perfeitamente o porquê de o inglês ser a língua escolhida, seria difícil colocarem atores anglofónicos a falarem uma língua que lhes é completamente desconhecida. Mas gosto muito deste pequenos momentos e acho que dá um toque diferente à série.

Lagertha reúne “as tropas” para enfrentar os outcasts que afinal já não são só três. Fui eu que estive distraída no episódio anterior ou este grupo de gente sem valores morais e éticos de qualquer espécie apareceu do nada? Onde foram os três renegados buscar todas aquelas pessoas? Serão eles também renegados de algum lado? Bom, pormenores à parte, tenho a dizer que o meu sexto sentido nunca falha e Hali acabou mesmo por morrer. Era óbvio que algo iria acontecer aos filhos de Torvi e Björn.

Esta pequena batalha foi o ponto algo do episódio. Durou somente 10 minutos e acho que foi um bocadinho anti-climática na parte do combate em si, mas o início, em que os miúdos fazem os diversos sinais, e o final, com Lagertha a contar ao neto o que iria encontrar depois de morrer, foram momentos fortes com bons visuais e um bom storytelling. Tal como o plot do Rei Olaf, espero que este da vingança dos outcasts de Kattegat não dure muito mais tempo, caso contrário perderá todo e qualquer interesse.

Por fim, será que Hvitserk não tem mesmo remédio? E que espécie de doença tem ele? Traumas psicológicos aliados a vícios de bebida e drogas? Algo mais? Espero que não caiam no erro de lhe dar apenas esse enredo. Hvitserk já era o irmão com menos destaque e se continuar assim será esquecido por completo. Pergunto-me o que acontecerá quando e se Hvitserk vir Ivar novamente cara a cara. Vai quebrar? Vai sair do loop? Morrerá antes disso? Gostaria que lhe dessem um fim mais digno e que antes disso lhe concedessem um bocadinho de character development.

E por fim novamente, como poderá Gunnhild ter sonhado com o que aconteceu na aldeia de Lagertha? Terá ela algum tipo de poder? Com poderes ou sem poderes o mais provável é ser ela a ajudar a sogra a derrotar o inimigo e quem sabe se não lhe acontecerá alguma coisa ou ao bebé. Desde que Björn se enrolou com Ingrid, a empregada, que o azar o rodeia e à sua família. Será que há mesmo alguma força superior a ser exercida? O sobrenatural sempre pairou na série, mas nunca foi assumido a 100%, poderá ser agora que o farão? A ver vamos.

O que acharam deste episódio?

Beatriz Caetano