Classificação

9.5
Interpretação
9
Argumento
9
Realização
10
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Desculpem o atraso da review, mas com festividades foi complicado ver séries. Mas mais vale tarde que nunca e aqui está a análise do último episódio da 1.ª temporada de The Mandalorian! Espero que quando a nova temporada começar no outono deste ano que já esteja a ver os episódio em alta definição na Disney+ (mal posso esperar por ver Rei Leão e todos os filmes da minha infância sem ser com aquela qualidade muito mediana dos DVDs!).

Minha gente, mas que final de temporada soberbo foi este! Tivemos de tudo: ação, nostalgia, comédia, suspense… Não é isso que uma pessoa quer?

Ora o episódio começa momentos após os acontecimentos do episódio 7. Moff Gideon e os stormtroopers estão a cercar Greef Karga, Cara Dune e Mando. O mais assustador é que Gideon sabia a identidade deles todos. Sabia que Cara era de Alderaan (o planeta destruído por Darth Vader que era também o planeta onde a Princesa Leia cresceu) e o verdadeiro nome do mandalorian, Din Djarin e Karga um homem caído em desgraça. No entanto, Mando também sabe quem é Gideon. O seu nome estava na lista para ser executado pela Nova República. Ele fazia parte da polícia do Império e comandou o ataque ao Mandalore e quase destruiu a espécie dos mandalorians. Agora como é que esta criatura escapou à morte é que eu gostava mesmo de saber. Espero bem que não tenha morrido.

Mando odeia droides, isso é certo e sabido. Mataram os seus pais e quase lhe deram o mesmo destino quando o seu planeta estava a ser atacado durante a famosa Guerra dos Clones. Na altura, Din foi salvo por um mandalorian e quando chegou a altura fez o juramento. Desde aí nunca mais ninguém o viu sem o capacete. Até este episódio.

Depois da morte de Kuiil (sim, ele morreu mesmo!), foi IG-11 que salvou o dia (em tudo), ao resgatar o nosso querido bebé Yoda dos stormtroopers (morri a rir quando eles estavam aos tiros e nenhum deles conseguia acertar no alvo! Stormtroopers: péssimos atiradores do início ao fim).  Excelente sequência de IG-11 a recuperar a Criança das garras do Império e ao mesmo tempo a ajudar e muito o trio maravilha a safar-se daquela alhada que parecia não ter salvação possível. Achei toda a cena espetacular, com o bebé Yoda a impedir a morte de todos mais uma vez (cada vez fico mais impressionada com os seus poderes!) mas Mando fica gravemente ferido graças a Moff Gideon ao ponto de pedir a Cara Dune que proteja a Criança.

Sou-vos sincera. Fiquei ligeiramente desiludida por Mando não ter tirado o capacete em frente ao bebé Yoda. Os mandalorian podem mostrar os rostos em frente à família. Mas enfim. Também teve o seu quê de especial mostrar-se a uma espécie que ele abomina, a um droide. Os droides mataram-lhe a família. Um droide salvou o bebé Yoda e salvou-o de morta certa.

Finalmente, finalmente houve alguma abordagem em relação às origens dos poderes da Criança, que nenhum deles parecia entender de maneira nenhuma. A Armoror explica e fala-lhes dos Jedi, uma ordem inimiga dos Mandalorianse explica que o dever de Mando é educar a Criança até chegar à maioridade e/ou procurar a sua família, a sua espécie, o que já nos indica o que esperar da segunda temporada da série.

A última aquisição de Mando, presente da Amoror, permite-lhe voar, o que acaba por dar uma luta fantástica entre ele e Moff Gideon na sua nave. Adoro as cenas de luta com Mando, Pedro Pascal está realmente brilhante nestas cenas. No final, é mais uma vez IG-11 que consegue safá-los ao auto destruir-se e matar os stormtroopers que os esperavam no final do rio de lava. O seu dever fora cumprido. O bebé Yoda estava em segurança.

Já todos sabíamos que Moff Giden não tinha realmente morrido com a queda da nave. Não há corpo, não há morte. Porém digo-vos que não estava nada à espera que ele saísse dali com o sabre negro! O sabre negro pertencia a Tarre Vizsla, o primeiro Mandalorian a ser introduzido à ordem dos JediComo é que ele conseguiu aquilo, meu Deus?

Foi um excelente final de temporada para uma série que teve a sua estreia em grande, depois ficou um pouco – ou demasiado – morna mas que arrebita e recupera nos últimos episódios. Sem dúvida das melhores estreias de 2019. Estou muito curiosa com a chegada da 2.ª temporada, para saber que aventuras aguardam Mando e ao seu protegido e que mais elementos do universo Star Wars nos serão apresentados. Agora vai ser uma longa espera até ao outono…

Maria Sofia Santos