Truth Be Told – Review da 2.ª Temporada
| 01 Nov, 2021

[Contém spoilers]

Temporada: 2

Número de episódios: 10

Iniciei a 2.ª temporada de Truth Be Told com grandes expectativas. Não que tenha adorado a 1.ª temporada, mas os primeiros episódios desta diziam que algo melhor estava para vir. Infelizmente, enganei-me. Provavelmente será a última temporada que acompanho da série.

Primeiro a parte boa e que me fez pensar que a série estava num bom caminho: o facto de esta história ser muito mais próxima a Poppy. Pensava eu que nos iria permitir conhecer mais da sua vida e ver também como a protagonista combina ser profissional com a sua amizade. E enquanto tal foi ilustrado, conseguiram fazê-lo da forma mais aborrecida, repetitiva e previsível possível.

Ainda que muita gente ache que esta temporada serviu para conhecermos mais as pessoas que rodeiam Poppy, eu continuei sem sentir conexão em relação a nenhuma delas. Acho que dez episódios de 45 minutos são demasiados para passar num só crime – ou pelo menos o guião não está cativante o suficiente. Uma coisa que sinto com esta série é que bastava-me ver sempre o último episódio de cada temporada para ficar satisfeita – ainda me lembro o quão surpreendida me deixou o último episódio da temporada passada, com grandes revelações não muito previsíveis. Até nisso esta temporada pecou, pois o final foi tão sem sal como os restantes episódios. Também não ajudou o facto de os telemóveis que as personagens usam as denunciarem nas suas boas ou más intenções (sim, iPhones não pertencem às mãos dos vilões, muito menos numa série da Apple TV+).

Adicionalmente, esta temporada também prometia qualidade com a presença de Kate Hudson. Algo a admitir é que Truth Be Told não perde no elenco. A capacidade de representação de Octavia e Kate nunca esteve em questão. Ainda assim, na minha opinião, não é o suficiente para carregar uma temporada.

Tal como mencionei, não continuarei a acompanhar a série, mas é claro que esta quer continuar a sua existência, não fossem as pontas soltas que foram sendo construídas ao longo da temporada e isto é também um aspeto negativo. É claro que uma série deve cuidar da sua continuidade, mas há certos detalhes que só foram introduzidos mesmo para isso e que nunca tiveram qualquer desenvolvimento.

Depois de uma 2.ª temporada, posso dizer que não é uma série que recomende. Há séries do género muito melhores e que valem o tempo investido.

Melhor episódio:

Episódio 1 – Other People’s Tears Are Only Water – Não gostei de nenhum episódio em particular, mas sem dúvida que o primeiro e o segundo foram os melhores e os que me levaram a acreditar que esta temporada seria superior à anterior, visto que somos introduzidos a uma trama com bastante potencial.

Personagem de destaque:

Poppy (Octavia Spencer) – Escolha óbvia, eu sei, mas numa série assim, e numa temporada deste calibre, só mesmo Poppy se salva. A única personagem por quem nutri qualquer tipo de sentimento, mas, ainda assim, considerei a escrita da sua personagem bastante fraca em contraste com a 1.ª temporada.

Ana Leandro

Publicidade

Populares

All of us are dead

calendário estreias

the midnight club poster

Recomendamos