Classificação

9
Interpretação
9
Argumento
9
Realização
8
Banda Sonora

Contém Spoilers!

Harley Quinn abre-nos o apetite para Birds of Prey, oferecendo-nos uma história de animação composta por seis episódios de 20 minutos sobre a história de Harley (com Kaley Cuoco a dar-lhe voz) e de como esta se afasta de Joker e ganha independência.

A relação entre ambos sempre foi meio tóxica, mas o que é que se pode esperar de uma relação entre dois psicopatas cujo passatempo favorito é matar e criar o caos? No entanto existem várias linhagens de comics que procuram explorar um pouco mais a personagem de Harley, fora da influência de Joker, e esta adaptação ao pequeno ecrã é uma história muito interessante, contada num tom leve e cheio de humor, com uma pitada de violência.

Começamos por ver como é que Harley foi parar a Arkham, para que Joker conseguisse escapar e é logo o primeiro sinal da dependência que esta tem. Passado mais de um ano continua presa à ideia de que irá ser salva por ele e preparada para aceitar qualquer desculpa que este ofereça. No fundo de uma forma muito leve, conseguimos ver todos os sinais e perigos de uma relação disfuncional à qual ela se encontra presa.

A série está também repleta de vilões e personagens de Batman, incluindo o próprio, Jim Gordon na pele de capitão que está desesperado, Ridler, Poison Ivy, entre outros. Ivy e Ridler são quem ganha mais protagonismo ao conseguirem mostrar a Harley que Joker não a ama. De qualquer das formas, quando o obrigam a escolher entre salvar Harley ou Batman, não é grande surpresa quem é que ele escolhe. Afinal de contas, ninguém poderia matar o seu rival a não ser ele próprio. Engraçado como Joker acaba na posição contrária à que fez Batman passar na trilogia de Nolan, quando o obriga a escolher entre Rachel e um autocarro cheio de crianças.

Durante o episódio conseguimos assistir à mudança de visual, radical, de namorada de Joker para a Harley Quinn que se revolta contra ele, mostra que não precisa dele e promete conquistar Gotham para ela. Batman aparece pouco e sem grande protagonismo, mas de certeza que todos os que viram o episódio querem ver Harley a trazer a destruição a Gotham.

Os efeitos visuais também são muito bons, sendo que são de suma importância numa série de animação que não pode contar com a presença dos atores para ofuscarem o resto. Em suma, gostei bastante e recomendo verem, sejam grandes fãs da DC e do universo que Harley explora ou não, porque no fundo vamos acompanhar a história de uma mulher que abandona a figura que idolatrava e faz história por si mesma, mostrando que nunca precisou de andar atrás de ninguém. Eu irei acompanhar até ao fim, sem qualquer dúvida.

O que acharam?

Raul Araújo