04x19 - Search and Destroy

04×19 – Search and Destroy

O vilão mais mortífero da televisão está de volta! Já tínhamos saudades de um episódio centrado exclusivamente no inimigo número 1 da nossa querida Máquina. Salaiman Khan (Aasif Mandvi) é um CEO de uma empresa informática que, sem aviso prévio, começa a ver a sua vida exposta na imprensa, a ser incriminado por um crime que não cometeu e a ser perseguido por mil e um agentes. Isto, claro, é um dia normal para Samaritan que continua a procurar por uma maneira de expandir e assegurar o seu império.

Khan é o responsável pela criação de um antivírus poderoso que Samaritan necessita de ter, o problema é que este indivíduo é, por demais, curioso e o facto de querer saber o motivo da sua repentina ruína torna-o num alvo a abater. John e Harold fazem todos os possíveis para o proteger até que começam a ver-se numa corrida contra o tempo. Root tem uma nova missão, outra da qual se sabe muito pouco, que envolve um item importante dentro de uma mala que é mais segura que o cofre de um casino. Parece que a hacker está a ter dificuldades em abri-la. No entanto, o dever chama-a para acompanhar os seus restantes compinchas que estão a ver-se em apuros contra os agentes da inteligência artificial.

Person of Interest é uma daquelas pérolas televisivas que consegue jogar de forma extraordinária com todos os peões do seu jogo informático. A frenética corrida de conseguir sobreviver a uma guerra entre dois supostos “deuses” é repleta de emoções fortes e o elenco é exímio em todas as situações. Apesar de “Search and Destroy” não ser um episódio propriamente surpreendente funciona como um ponto de partida para uma nova linha narrativa com base no melhor vilão da série até hoje. Claro que ficamos com muitas questões no ar assim que terminamos de o ver, mas isso aumenta-nos cada vez mais a curiosidade para saber o que irá acontecer futuramente; uma estratégia bem aplicada para manter o espectador interessado no rumo da história e para estar colado à televisão na semana seguinte.

Samaritan está mais rápido, mais eficaz, mais mortífero, mais inteligente e a Máquina parece manter-se em silêncio em todos os avanços do mesmo; vamos assistindo a manobras através de Root que, nem nós, nem os próprios intervenientes conseguem entender à primeira. O desfecho de “Search and Destroy” mantém o espírito vivo da história principal de Person of Interest e mostra que nem sempre é possível salvar quem não quer ser salvo. Aguardo com muito entusiasmo os futuros capítulos que prometem torná-la numa das melhores séries de televisão de sempre!

Nota: 8.5/10

Jorge Lestre