Classificação

7.2
Interpretação
6.5
Argumento
6.7
Realização
8.5
Banda Sonora

Atenção: esta review contém spoilers!

Após vários meses que pareceram durar uma eternidade, Legacies regressa este outubro aos nossos televisores com a sua 2.ª temporada, com um novo episódio disponível todas as sextas-feiras no serviço de streaming HBO Portugal.

Tendo o seu início pouco tempo depois da aparente derrota de Malivore, o começo da 2.ª temporada de Legacies traz-nos de volta a Mystic Falls, onde vários alunos entram agora nas suas férias de verão. Enquanto MG e Kaleb partem para Atlanta, Landon e Josie permanecem na escola – o primeiro para cuidar de Rafael, ainda preso na sua forma de lobo, e a segunda para tentar descobrir mais sobre a maldição dos Gemini, enquanto Lizzie está na Europa com a sua mãe. Ainda magoado por ter perdido o seu trabalho enquanto diretor, Alaric concentra os seus esforços em tentar descobrir mais sobre a noite em que Malivore foi destruído e, por fim, Hope descobre uma maneira de escapar a Malivore que a deixa mais determinada do que nunca em regressar a casa.

Já no segundo episódio desta temporada, e (spoiler alert) após o seu regresso no episódio anterior, Hope está decidida em prosseguir com a sua nova vida a solo quando a sua última missão heroica a coloca no caminho do passado que tenta deixar para trás. Entretanto, no seu primeiro dia de regresso às aulas, o novo estatuto de Landon de rapaz popular dá origem a tensões com Josie. Já MG contempla revelar os seus verdadeiros sentimentos a Lizzie quando a chegada de um misterioso vampiro interrompe os seus planos. Por fim, a Salvatore School dá as boas vindas ao seu novo diretor, o Professor Vardemus (Alexis Denisof).

Esta nova temporada de Legacies tem um começo fraco em I’ll Never Give Up Hope, melhorando um pouco com o seu segundo episódio, This Year Will Be Different. Neste primeiro (um episódio, na minha opinião, para “encher chouriços”), cuja linha de ação tem uma duração de três meses, existe muito pouco a acontecer, em termos de narrativa. Planta várias sementes para o futuro (como, por exemplo, um novo interesse amoroso para MG, a relação entre Josie e Landon, o aparecimento do ascendente, etc.), mas a única coisa realmente importante é a saída de Hope de Malivore e o seu regresso a Mystic Falls.

É verdade que adoro as personagens secundárias de Legacies e quero que estas tenham mais tempo de antena, mas gostava que, quando isso acontecesse, estivesse ou mais interligado à narrativa principal ou, no caso de ser algo particular da personagem em questão, que tivesse mais destaque (como, por exemplo, o episódio dedicado à história de MG com a sua família, na 1.ª temporada). Aqui, pareceu apenas que a série estava a fazer tempo até ao regresso da sua protagonista e já sabem a minha opinião em relação a episódios que funcionam como filler… Desde que eu não perceba que estão a arrastar qualquer coisa, não tenho qualquer problema com eles. Infelizmente, não foi o caso.

Ainda assim, teve os seus momentos e os melhores foram mesmo os que envolveram Hope. O desempenho de Danielle tanto neste primeiro episódio como em This Year Will Be Different realmente fizeram a história. Conseguimos realmente sentir o que é ser esquecido por todos, pensar que as pessoas de quem gostamos estão melhores sem estarmos na sua vida e não saber bem o que fazer em relação a isso. Quer estejamos a falar da cena em que Hope revela a sua verdadeira identidade a Alaric ou do momento que esta partilha com Landon, são cenas que claramente se destacam e facilmente as minhas favoritas destes episódios.

Somos ainda introduzidos a algumas novas personagens. Como já foi mencionado, a Salvatore School tem agora um novo diretor – uma personagem que, pessoalmente, considero um bocado over the top e de quem tenho já a certeza de que não vou gostar). Já Mystic Falls High apresenta-nos um par de irmãos, Maya (Bianca Santos) e Ethan (Leo Howard), que, sabemos já, vão ter interesse em Hope (porque quem é que não se apaixona por Hope nesta série?). Estes são ainda filhos de Mac (Bianca Kajlich), a nova xerife da cidade, e possível interesse amoroso de Alaric. Por fim, temos ainda Sebastian (Thomas Doherty), o vampiro mencionado acima, e, muito provavelmente, futuro interesse amoroso de Lizzie, ainda que, pessoalmente, não confie em nenhum ser sobrenatural que aparece naquela escola sem convite.

No geral, esta temporada teve um começo um bocado aquém das minhas expectativas, mas recuperou assim que entrou novamente nos eixos daquilo que espero dela. As bases para os próximos episódios estão lançadas e tenho curiosidade em ver o que vai acontecer e a que ritmo.

Inês Salvado