Grey’s Anatomy – 13×08 – The Room Where It Happens
| 12 Nov, 2016

[Contém spoilers]

Esta semana, Grey’s Anatomy trouxe-nos um episódio completamente diferente do habitual, em algo semelhante a dois do passado: quando Meredith quase morreu afogada e estava numa espécie de limbo, e quando Callie estava também a lutar pela vida depois do acidente de carro.

Este The Room Where It Happens contou com quatro personagens centrais: Meredith, Webber, Owen e Stephanie, que nos conduziram por flashbacks e memórias de acontecimentos passados. Tudo se passou no mesmo bloco de operações, o que deu a sensação de uma espécie de episódio claustrofóbico, mas muito interessante.

Um homem sem identificação ficou em muito mau estado devido a um acidente e coube a Webber humanizar o paciente, inventando para ele uma nova identidade, uma vida, família. Rapidamente se percebe que aquilo é pessoal para ele e automaticamente assumo que Gail era uma antiga paciente, dos seus tempos de interno ou de algum dos seus primeiros casos como attending, mas a verdade é que a questão é muito mais pessoal e esta mulher que ele imagina na mesa de operações é afinal a sua mãe.

No meio de discussões sobre o que devem ou não fazer pelo paciente, Owen revisita em memória os seus tempos no exército e nós conhecemos a sua irmã, Megan. Para Meredith que acha Amelia tão irritante, bem, eu achei Megan um desastre! Nada em Megan me pareceu natural, achei tudo muito falso. Às vezes estas viagens ao passado acabam por ter este efeito, porque têm como intenção dar-nos a saber mais, mas nem sempre é pertinente. Pareceu que estavam a atirar-nos com informação para cima quando não havia necessidade.

Já as memórias de Stephanie foram muito mais importantes, nomeadamente para salvar o paciente. Steph viajou aos seus tempos de criança, quando também ela era uma paciente, com uma doença rara. Para Meredith as coisas só se tornaram mais pessoais quando o homem que estavam a operar foi finalmente identificado e se descobriu que tinha uma filha e um filho pequenos. Tal como ela quando Derek morreu. Ao menos foi uma oportunidade para vermos novamente Zola, que é uma menina adorável, e o pequeno Bailey. E Derek também deu apareceu por um momento.

A banda sonora esteve no ponto, desta vez a afastar-se de um caminho mais pop para nos servir um pouco de música clássica. No entanto, parece-me que há mais neste episódio além daquilo que nos foi apresentado. Webber parece estar afetado pela passagem de Eliza Minnick pelo hospital na semana passada. Aquela sede de ensinar que demonstrou e Meredith a dizer que ele ficava assim quando estava zangado… Será que vamos ver Richard reformar-se se Eliza vier, efetivamente, trabalhar para o hospital? Porque eu acho que vem! Para a semana é o último episódio desta primeira parte da temporada e depois segue-se um longo hiato até janeiro, portanto suponho que poderemos ter notícias sobre Eliza já no próximo episódio.

Diana Sampaio

Se ainda não conhecem os nossos parceiros de Grey’s Anatomy (Portugal), espreitem aqui!

Publicidade

Populares

ramy

calendário estreias

the resident poster

Recomendamos