03×12 – Ambush Predator

03×12 – Ambush Predator

O mais recente episódio de Chicago Fire arranca com muita expetativa em relação à descoberta no episódio anterior. A pessoa que alugou o depósito foi responsável pelo incêndio que vitimou Shay, ou trata-se de um “admirador”? Tanto uma hipótese como a outra deixam a equipa intrigada, pois o assunto ainda é delicado, especialmente para Gabby e Severide.
Como não podia deixar de ser, se é preciso investigar, aparece alguém de Chicago PD. Mas a dupla de bombeiros também decide fazer a sua própria investigação, nomeadamente no local onde Shay perdeu a vida. Como seria de esperar, o cenário reaviva memórias que já estavam guardadas. Demorou algum tempo mas a dupla conseguiu ultrapassar a perda. Com esta nova revelação, pode ficar tudo comprometido.

Quanto ao bebé Boden, faz as delícias da família, especialmente da mãe e do avô. O problema é que o avô parece o xerife do sítio, a dar palpites sobre tudo e Donna começa a não achar muita piada. Ainda por cima, o avô Boden tem cancro e os médicos deram-lhe quatro meses de vida, o que deixa a família surpresa.

Durante uma emergência, Casey tem de assumir o papel de Boden. E não podia ser numa situação mais delicada. Tem de escolher qual das duas vítimas envolvidas vai socorrer primeiro, sendo que uma delas é o capelão do corpo de bombeiros de Chicago. Estava-se mesmo a ver que Gabby não ia ficar calada com a opção do seu tenente/namorado (ou ex?), independentemente da opção que este escolhesse. E Casey também não fica totalmente tranquilo com a dúvida se teria tomado a opção correta ou não. Depois de muita expetativa, finalmente o capelão recupera os sentidos e Casey consegue voltar a respirar calmamente. Tomou mesmo a melhor decisão e salvou as duas vítimas.
No plano emocional, as coisas continuam frias, deixando mesmo a dúvida se está para breve o reatamento do casal.

Numa outra emergência, a dupla de paramédicos tem de lidar com uma situação de violência doméstica. A mulher acaba por recusar o tratamento, pois está claramente intimidada pelo marido. A situação acaba por mexer com Mills que, mais tarde, acaba por encontrar a mulher na urgência, em muito mau estado. As coisas descambam quando Mills vai a casa da vítima e agride o marido. Ora, Mills já tinha recusado ajuda psicológica depois do caso “Papa” Lullo e depois do primeiro encontro com a vítima de violência doméstica. O paramédico era uma bomba relógio à espera de rebentar. E rebentou mesmo, com estrondo. O problema é que o estado de Mills não deve ficar por aqui, pois tal como Brett referiu, estas coisas tendem a escalar.

O episódio termina com a certeza por parte de Severide e Gabby em relação ao incêndio que vitimou Shay: não foi acidental. E nos próximos episódios, as coisas prometem aquecer.

Nota: 8/10

Ricardo Almeida