The Shannara Chronicles – 02×02 – Wraith
| 22 Out, 2017

Publicidade

[Contém spoilers]

O legado de Shannara e Druidas

Depois deste segundo episódio e de me voltar a habituar ao mundo das Four Lands, devo dizer que nem sabia que tinha tantas saudades de The Shannara Chronicles. É um mundo encantado como praticamente não existe outro igual na televisão, funcionando como um farol para qualquer amante de fantasia.

O ritmo acelerado e a constante introdução a novos lugares e personagens pode deixar qualquer um meio desnorteado, mas façam como eu, concentrem-se em Wil, Eretria e Allanon e o resto logo se vê.

Uma dessas novas personagens a quem somos introduzidos esta semana é Garet Jax (Gentry White), o caçador de recompensas. Com uma entrada a matar (literalmente) e uma arma tão porreira é quase impossível não gostar dele. A não ser talvez se se for fã dos livros, pois ao que parece a personagem foi um pouco adulterada em comparação com os livros (começando por ser suposto só aparecer 20 anos após a história que se passou em As Pedras Élficas de Shannara). Mas já sabíamos que o formato dos livros, alterando muito a linha temporal e mudando quase por completo as personagens, não seria possível de transpor para a televisão e como tal são de esperar muitas alterações. Jax captura Lyria (o interesse amoroso de Eretria) e leva-a de volta ao seu reino e à sua mãe, onde descobrimos que esta é uma princesa de Leah.

Leah é um reino de nos deixar de boca aberta. Já tínhamos visto como vivem os elfos em Westland, mas os humanos em Northland também não parecem estar nada mal. Este reino não sei porquê fez-me lembrar um pouco de Fillory na série The Magicians. E isto pôs-me a pensar: um crossover entre as duas séries era capaz de ser interessante. O que acham?

O rei Ander, acompanhado por Allanon, também se desloca a Leah para procurar ajuda, de forma a deter tanto o crescimento dos Crimson como o iminente ressurgir do Warlock Lord. Tamlin (Caroline Chikezie), rainha de Leah e, como tal, mãe de Lyria, é-nos apresentada como uma governante que aparenta ter sempre segundas intenções e que não dá nada sem receber em troca. E assim a aliança com Ander vem com um preço, o deste ter que ser casar com Lyria.

Ander está envolvido com Catania (a donzela élfica que já conhecemos da temporada passada e que antes se envolveu com Bandon até este ser possuído pelo Daga Mor e quase a matar) que, apesar de o incentivar a ir para a frente com o casamento, pois é do interesse do reino, é tirada do jogo por Edain, que a esfaqueia à traição quando esta revela uma aparente aliança entre Leah e os Crimson. A morte de Catania (Brooke Williams) tem um certo impacto por ser uma personagem que já conhecemos da temporada passada e não só vem dar mais suspense ao enredo como também retira da série uma das atrizes que a prejudicava (bem jogado). Quanto a Edain, não confundir com o Edain que nos livros é o filho de Ander, aqui ele é apenas um elfo traidor que faz parte da guarda do rei.

Na captura de Allanon, o general Rigga (Desmond Chiam) mostra o que vale, derrotando uma das personagens mais fortes da série num piscar de olhos. Fãs de Supernatural, aquela soqueira não vos fez lembrar nada? E Eretria, que tinha ido atrás de Lyria, só para descobrir que ela é apenas mais um dos vários casos amorosos da princesa, quando se preparava para ir com Allanon à procura de Wil (após contar ao druida sobre o aviso que Amberlene/Ellcrys lhe deu), acaba por ficar sozinha e rodeada de ameaças por todo o lado.

Quem também esteve ocupado foi Wil e Mareth. Numa corrida contra os demónios e o cansaço tentam escapar deles e chegar a Shady Vale para salvar o seu tio, Flick Ohmsford (Mark Mitchinson). Neste plot descobrimos que a mãe de Mareth é Pyria Elessedil (a irmã de Eventine Elessedil, o antigo rei dos elfos) que já na temporada passada descobrimos ter tido uma relação com Allanon. E descobrimos ainda que Flick esteve presente quando Allanon e Shea (pai de Wil) derrotaram o Warlock Lord. Bandon consegue encurralar Wil e o seu tio, capturando Flick, que o levará ao sítio onde está guardado o crânio do Warlock Lord, enquanto Wil, se quiser voltar a ver o tio com vida, terá de encontrar Allanon para se juntarem a Bandon e abrirem o caminho para o crânio. Marcus Vanco (Bandon) melhorou bastante a sua performance em relação à temporada passada e neste episódio revela-nos alguma das razões para querer reviver o grande druida negro. Esperemos que as motivações e os planos dos vilões sejam mais explorados nesta temporada, já que esse foi um dos pontos fracos da temporada passada.

Agora que a 2.ª temporada também já estreou no canal AMC em Portugal, digam de vossa justiça: que estão a achar? No próximo episódio, em “Graymark”, Mareth vai ganhar um maior acesso aos seus poderes, enquanto Allanon será julgado pelos Crimson. Até lá, que as pedras élficas iluminem o vosso caminho!

Emanuel Candeias

Publicidade

Populares

estreias calendário séries março 2024

A Gentleman in Moscow Skyshowtime

Recomendamos