Classificação

8.3
Interpretação
7.4
Argumento
7.9
Realização
8
Banda Sonora

Eat me, Pull me, Drink me, Read me

Depois de mais de 20 episódios, Limitless chega ao fim, sendo esta a primeira parte. Mas chega ao fim pelo menos por agora. Embora ainda não haja confirmação da renovação, tudo aponta para que isso aconteça.

Brian a trabalhar naquela loja, com o uniforme e o amigo Grover, tudo me fez lembrar com carinho de Chuck e de Morgan. E a própria investigação privada de Brian, entrando no submundo do NZT, foi uma das melhores partes do episódio.

Brewster foi uma adição aos vilões um pouco óbvia e sem sal, mas o plano do “Apocryphon” foi impressionante e a equipa de Morra levou um duro golpe, assim como o FBI foi completamente manipulado. Meeks também me deixou bastante intrigado e com vontade de saber mais sobre esta misteriosa personagem que me fez lembrar subtilmente de Jesse Pinkman de Breaking Bad.

A família de Brian, que no início da temporada me pareceu que ia ser um ponto a favor da série e com grandes momentos pessoais, de laços e drama e relações familiares… bem, neste ponto devo dizer que é das coisas que menos gosto na série. Não há um membro da família que eu suporte. Parece que estão todos fora de contexto e não se apercebem, de todo, do que se está a passar, sendo que as suas atitudes são meio para o idiotas.

Gostei do efeito secundário em Brian de ter alguns momentos em que o cérebro se ativa como se estivesse em NZT, devido ao uso crónico da droga, mas tenho que perguntar: é só isso? Sem mais efeitos duradouros por meses e meses a tomar NZT? Nem um desenvolvimento cerebral que o tornasse mais inteligente sem a droga e nem efeitos negativos? Isso é meio desapontante. E pelo que tinha entendido, ele devia morrer quando a enzima de imunidade acabasse, mesmo sem tomar mais NZT. Um toxicodependente não anda a tomar drogas pesadas durante um tempo prolongado e depois deixa isso sem problemas e sem consequências. Faltou uma exploração desse aspeto, mostrando também um Brian mais desesperado por querer uma pílula de NZT.

Mesmo que os produtores tenham decidido mudar a história e considerar que Brian só morre se tomar mais NZT a partir do momento em que a enzima de imunidade deixa de funcionar (o que não tem o mínimo sentido), o que Brian podia ter feito era, com a pílula que tomou, descobrir quanto tempo a injeção de imunidade ainda estaria a funcionar e usar NZT à vontade durante esse tempo. Outra dúvida que me surgiu foi: Morra usa a enzima de imunidade? Aliás, ele ainda precisa de tomar NZT? Penso recordar-me dele no fim do filme dizer que já nem precisava da droga. Alguém se lembra disso?

Outro aspeto a considerar é a informação que Sands deu a Rebecca sobre os componentes do NZT. Não foi algo totalmente inútil? Se o FBI produz NZT deve saber todos os seus componentes, não?

Com Naz e Rebecca a trabalhar de novo com Brian, parece que agora terão mais hipóteses contra a Legion of Whom. Mas onde se encaixará Morra em tudo isto? Devo admitir que estou mortinho pelo último episódio.

Será então no próximo episódio, da próxima semana, do próximo mês… népia, ainda é neste mês de abril. 26 de abril, o final finalíssimo de Limitless. Espero que seja um episódio mais sólido que esta primeira parte, que responda a muitas das questões, mas claro, que levante muitas outras para a próxima temporada. Piper, estás viva?

Até lá, abram as vossas mentes!

Emanuel Candeias