orphanblack202-0436

Mais um estonteante e estimulante episódio de Orphan Black, este 2º da nova temporada!

Depois da descoberta de que Helena afinal está viva, embora não muito bem de saúde depois do balázio que levou da irmã Sarah, o episódio de hoje começa por aí mesmo. Helena no hospital até onde se conseguiu arrastar no final do episódio passado. Entretanto, uma das novas caras que aparecem no poster promocional da 2ª temporada é-nos apresentada, Henrik o Pastor, um homem misterioso que parece ver a religião através da ciência (ou será ao contrário?), se eu ainda não perdi o fio à coisa – um Prolethean. Ele decide ajudar a resgatar Helena do hospital pois acredita que ela possui algo geneticamente muito especial. Com a ajuda do seu lacaio Mark, conseguem trazer Helena até à sua quinta, onde cuidam dela. E onde se descobre que Helena é o fisiologicamente um “espelho” da sua irmã gémea, tendo todos os órgãos inversos ao normal. Isto é, o coração do lado esquerdo, e assim… E não pensem que isto é uma invenção absurda da série. Há mesmo casos reais em que isto já foi registado.
É após esta descoberta que Henrik faz o inesperado e mata o “pai” de Helena, que continua a chamá-la de abominação e monstro. E aqui começo eu a ficar super confusa com esta coisa toda! Henrik parece acreditar que como Helena é irmã de Sarah, e esta é a única clone que conseguiu ser mãe, talvez Helena também consiga. E voltamos ao mistério em torno do que a pequena Kira tem de tão especial, será mesmo só a capacidade regenerativa? Já cá voltamos…

A nossa querida Alison continua nos seus ensaios teatrais e desta vez engendra, com Felix, uma “peça” para comprovar que o seu monitor é o Donnie e não a falecida amiga Aynsley (aquela que ela viu morrer sufocada pelo próprio lenço e não fez nada para salvar… os remorsos e a culpa começam a dar cabo dela). E como já não era novidade para ninguém, o Donnie é mesmo o monitor de Alison.

Entretanto, Cosima lá consegue o seu laboratório novo, e é abordada por Rachel, que lhe fornece material para ela estudar a sua doença e verificar se ela é causada por predisposição genética ou outro fenómeno. Rachel dá-lhe também o genoma de Sarah e lhe pede para que ela descubra o porquê de ela ser diferente, isto é, a única a poder ter filhos.

A par disto, Sarah continua com a sua busca por Kira, com a ajuda de Art e Felix. Depois de um inesperado telefonema-isco de Kira, Sarah acaba por ser atraida levada até ao local onde se encontra a filha. E quem é que a tinha desde o início. Ora pois… outra pessoa muito misteriosa nesta série: A Mrs. S (Desculpem mas traduzir para Senhora S soa mal). Contudo, parece mesmo que a mulher está do lado de Sarah, ela própria o afirmou muito convincentemente. O plano dela é fugir com Kira de volta para o Reino Unido contando com a ajuda dos “Birdwatchers” as pessoas que as ajudaram a vir para os EUA em primeiro lugar. No entanto Sarah não é uma das bagagens que Mrs. S tenciona levar consigo. E a ideia não agrada muito à nossa clone.
Discretamente, Sarah tenta fugir com a filha. Mas os Birdwatchers parecem não ficar muito contentes. Eles próprios tencionavam passar a perna a Mrs. S e ficar com a criança. Mas Mrs. S volta a mostrar que apenas quer salvar Kira, e acaba por ajudá-las novamente e deixar Sarah fugir.

No meio disto tudo, ressurge a questão que me tem deixado com comichões: O que é o Projecto LEDA ao certo e qual o papel da Mrs. S lá no meio?

Próximo episódio se faz favor! Odeio andar perdida em tantas questões!

Nota: 9/10

Mélanie Costa