O painel de Lennie James, o senhor simpático de The Walking Dead, foi recheado de perguntas interessantes, alguns risos e muita interação com os fãs.

Depois dos fortes aplausos, os fãs puderam fazer-lhe algumas perguntas, começando por perguntar o que mais o atraiu para se tornar um ator, ao que ele respondeu que se interessou por representação porque gostava de uma rapariga que queria ser atriz.

O seu papel em Jericho foi o primeiro grande que conseguiu e o primeiro casting que teve nos Estados Unidos. Foram-lhe apresentados três papéis quando chegou e o primeiro casting que fez foi o primeiro com que ficou.

Depois de umas breves reflexões sobre Jericho estava na altura de entrarmos no universo de The Walking Dead e, claro, falar sobre a morte das personagens, que é uma temática habitual na série.

“Sendo uma série que não tem medo de matar os seus personagens, acho que o trabalho realizado pelas diretoras de casting é fenomenal, pois continuam a superar-se ao escolherem ótimos atores de modo a revitalizarem a série, o que é um dos motivos para ainda estar no ar. Outra prova disso é o facto de a personagem de Diana ser um homem nos comics e essa decisão foi tomada por elas ao pensarem numa atriz que seria perfeita para o papel e decidiram ir numa direção oposta à banda desenhada.”

Para interpretar Morgan, nesta versão mais recente, teve treino intensivo durante três semanas para a luta contra os Wolves [grupo rival que invade Alexandria] antes da 5.ª temporada, com o Steven Hoe, que era o Donatello original nos filmes das Tartarugas Ninja. Todas as proezas físicas de Morgan foram executadas pelo ator, sem recorrer a duplos, pois não queria que Morgan conseguisse fazer mais do que ele próprio, conferindo mais realismo à série. Essa é uma das coisas de que Lennie gosta mais no seu trabalho: a possibilidade de aprender a fazer algo que fora da representação provavelmente não conseguiria como, por exemplo, condução a alta velocidade, scuba diving e lutar com um bastão de madeira.

Quando lhe perguntaram o que iria acontecer entre ele e e Negan, Lennie explicou que não poderia entrar em muitos detalhes, pois perderia o seu emprego. No entanto, também não sabe o que se irá passar pois ainda não chegaram a essa parte. Momento em que o sempre hilariante Joe Reitman aproveitou para fazer uma piada, dizendo que eles iriam começar a namorar e partilhar a Lucille.

Agora que a AMC tem duas séries de sucesso sobre o apocalipse zombie, foi perguntado ao ator se ele tinha alguma informação sobre um potencial crossover entre The Walking Dead e Fear The Walking Dead. Mesmo que não lhe tenha chegado nenhuma informação, Lennie acha que é bastante improvável, especialmente porque as séries têm cronologias diferentes e passam-se em sítios diferentes.

Quando questionado sobre a cena mais difícil que filmou, Lennie indicou a cena no primeiro episódio em que voltou, um em que Morgan perdeu a lucidez, o que lhe permitiu navegar no estado emocional da personagem. Falou ainda da cena em que tem que lutar com os Wolves, na temporada passada, a parte física da cena foi particularmente difícil.

Lennie diz que Morgan e ele têm apenas em comum a altura e que gostaria de ser tão corajoso como Morgan e ter a mesma linha de pensamento, onde a vida é algo importante num tempo em que ninguém lhe dá crédito. Se não fosse ator, Lennie seria provavelmente um jogador de râguebi, sendo este um dos seus desportos favoritos.

Em tom de remate, perguntaram a Lennie qual teria sido o seu momento favorito no set de The Walking Dead:

“Quando gosto mais do meu trabalho é quando parece que estás a jogar ao faz de conta com os teus amigos ou irmãos.”

Leiam a conferência de imprensa e a entrevista exclusiva que nos permitiu aprofundar ainda mais estas questões.

.

Daniela Boino