O Séries da TV esteve presente na conferência de imprensa de Tricia Helfer, uma das convidadas da área de Cinema&TV da Comic Con Portugal 2019, dos dias 13 e 14 de setembro.

A atriz entrou com um sorriso na cara, começando com uma brincadeira sobre o seu fraco português. Começou-se, quase inevitavelmente, pelo seu papel em Lucifer, mais concretamente sobre o movimento #SaveLucifer, e como foi para Tricia fazer parte de uma série que conseguiu criar esse impacto junto do público. Helfer ficou bastante agradecida aos fãs pelo que fizeram para salvar a série, apesar de não ter impacto na sua carreira, uma vez que, independentemente da continuidade, Charlotte estava morta. No entanto, ficou muito contente por a série ter sido salva. O que mais gostou no projeto é o facto de ter conseguido alternar de forma tão fluída entre momentos de reflexão e momentos de diversão. As cenas com Lucifer e Amenadiel eram das mais divertidas para Tricia, enquanto a da morte de Charlotte, sendo que demorou cerca de um mês a gravar na sua plenitude, algo que tornou difícil manter sempre o estado de espírito emocional que era necessário para aquele tipo de cena, foi das mais complicadas.

Trocando para Battlestar Galactica, Tricia refere que ‘caiu de paraquedas’ nas gravações e que teve sorte por ser acolhida numa família enorme, cheia de grandes atores e pessoas que a ajudaram, nomeadamente Edward James Olmos (com quem o SdTV já esteve à conversa sobre Battlestar Galatica), e que a paixão dele pela história e pelo trabalho eram inspiradores. O mais difícil foi quando começou a fazer várias versões da mesma personagem e tinha de garantir que os duplos mantinham a postura correta (confessou que é uma control freak).

Perguntamos ainda sobre a experiência passada de Tricia na dobragem de videojogos, algo que foi feito por prazer, mas chegou a uma altura em que participou em cerca de sete jogos de seguida e, por isso, precisou de uma pausa. Agora vê-se a voltar a fazer parte de algum no futuro. Os que mais gostou foram Starcraft 2 e Mass Effect, por todo o impacto que tiveeram. Recorda que foi um trabalho difícil porque muitas das vezes o primeiro contacto que tinha com as falas era quando lia uma linha em voz alta no estúdio de gravação, a não ser que houvesse outro ator que já tivesse gravado, caso em que dariam acesso ao voice dele. Tricia também teve uma passagem por Con Man, um projeto que foi criado através de crowdfunding e que teve tanto sucesso que acabaram por gravar mais episódios do que estava inicialmente previsto. No geral, foi uma experiência muito diferente e divertida para ela.

A última questão foi sobre o podcast que a atriz e modelo tinha, onde se podia acompanhar Tricia a rever Battlestar Galactica, uma vez que para ela fazia mais sentido a história no mundo em que vivemos atualmente do que na altura, uma opinião de que Edward James Olmos partilha.

O Séries da TV teve ainda a oportunidade de fazer uma entrevista a Tricia Helfer, pelo que, se quiserem saber mais, estejam atentos!