Classificação

9.5
Interpretação
8.8
Argumento
9.6
Realização
9
Banda Sonora

O episódio The Trip leva-nos ao rescaldo depois de Randall ter descoberto que a sua mãe Rebecca conhecera o seu pai biológico William, há muitos anos atrás, tendo mantido esse encontro em segredo todos esses anos. Randall está claramente ressentido com a sua mãe e está inclusivamente a preparar uma lista de argumentos que quer que a mãe oiça.

Em virtude dos acontecimentos e do facto de a mãe estar a planear vender a cabana, onde terão vivido imensas memórias na sua infância, os irmãos preparam-se para uma viagem a três até à cabana. Seria então um dia de partilha fraternal, para recordarem bons momentos que viveram naquela cabana, mas Kevin, ao querer incluir Olívia no programa, acabou por estragar por completo o plano. Acontece que Olivia decidiu trazer consigo dois colegas dos palcos (com um pequeno pormenor de que um deles era seu ex-namorado). Foi justamente esse ex-namorado quem despoletou o acontecimento mais marcante do episódio ao trazer um batido de cogumelos alucinogénos que Randall bebeu. Houve uma clara quebra das “regras” de realismo a que a série nos habituou, assente no efeito dos cogumelos, e que permitiu um encontro fundamental para a resolução do conflito interno que Randall atravessa. Tivemos então o privilégio, pela primeira vez, e porventura a única oportunidade em toda a série, de vermos na mesma cena Milo Ventimiglia e Sterling K. Brown, que têm elevado e muito a qualidade de This is Us.

A verdade é que ninguém nesta série é dono da verdade e todos precisam de ser chamados à razão de vez em quando. Este episódio proporcionou uma sequência de sessões terapêuticas que vão com certeza mudar a perspetiva para várias das pessoas que passaram pela cabana. Randall teve o melhor psicólogo, o seu próprio pai, visitando ambos memórias antigas, ao longo das quais Jack o levou a compreender que a mãe, apesar do seu ato egoísta, motivado pelo medo de perder o filho, também fez sacrifícios, não por ela, mas sobretudo pelo bem da família. Kate teve como psicóloga de serviço a desajustada Olivia, que a fez refletir sobre a transformação interna que ela precisa de operar antes de se preocupar com a mudança do seu exterior. Olivia, por sua vez, teve de ouvir a dura verdade de Kevin, sobre a sua fragilidade, que a leva a sabotar as vivências reais e genuínas, refugiando-se em momentos artificiais e sem significado por serem mais fáceis, menos complexos.

Foi uma montanha russa de emoções! Este dia na cabana revelou-nos que Kate precisa de se decidir porque Toby não quer ficar no limbo para sempre; deixou a relação de Kevin e Olivia num impasse que pode ser irremediável, acabando Olivia por partir com o seu ex-namorado, e Kevin por dormir com a argumentista da peça, mas sobretudo serviu para Randall lidar com sua dor e perceber os motivos por detrás deste segredo. O caminho até às tréguas e o restabelecer da confiança na mãe será longo, mas o primeiro passo está dado e isso seria o mais difícil.

No passado assistimos à luta incansável de Jack para proporcionar a Randall exemplos que o possam aproximar das suas origens e assistimos também a um segundo encontro entre Rebecca e William, num momento em que parecia que Rebecca estava decidida a deixar William fazer parte da vida de Randall. Mas Rebecca, face ao enorme entusiasmo de William, sentiu-se ameaçada, temeu perder o filho para uma ligação de sangue e uma origem comum, algo além do alcance de Rebecca. Foi nesse momento que ela retrocedeu, sempre sem que Jack soubesse, e enviou a carta que Randall encontraria muitos anos mais tarde.

Foi um episódio algo diferente do que vimos até aqui, talvez tenha fugido à fórmula de realismo a que nos habitou, mas quanto a mim valeu a pena e estou ansioso pelo episódio de Natal, que está aí à porta.

André Borrego