Classificação

6
Interpretação
5.5
Argumento
7
Realização
6
Banda Sonora

[Não contém spoilers]

O catálogo da Netflix continua a crescer e a mais recente adição é Dad Stop Embarrasing Me!, uma série de comédia que segue a relação entre Brian Dixon (Jamie Foxx), o dono de uma empresa de cosmética, e a sua filha Sasha (Kyla-Drew), que fica ao seu encargo depois do falecimento da mãe. Em #BlackPeopleDontGoToTherapy, o primeiro episódio de Dad Stop Embarrasing Me!, para além de ser apresentada essa relação entre pai e filha e algumas das situações que causam algum embaraço a Sasha, também ficamos a conhecer o pai de Brian, o Pops Dixon (David Alan Grier), e a irmã, Chelsea Dixon (Porscha Coleman).

Apesar de considerar que não sou muito exigente/esquisita quanto a séries de comédia, sendo que não me faz diferença se estas me fazem rir muito ou não, contando que a história me cative, o certo é que, ao contrário do que eu estava à espera, dada a premissa, este primeiro episódio de Dad Stop Embarrasing Me! não me convenceu mesmo nada.

A história pareceu-me um pouco too much, não só tendo por base aquilo que estava a ser apresentado, mas também a forma. Isto é, para além de apresentarem situações que para mim não tiveram muito cabimento e terem dado ênfase a situações que a meu ver não mereciam nem metade dessa ênfase, também usaram diversos estilos narrativos, sendo que tanto estávamos a ver flashbacks, como já estávamos a ouvir Sasha a narrar a história e, ainda em alguns momentos, no meio disso tudo, os personagens também se dirigiam a nós, espectadores. É verdade que isso tornou o episódio mais dinâmico, mas não sei, senti que era demasiado. Já para não falar que a mim parece-me pouco natural quando os personagens se dirigem aos espectadores. Não sei se é a transição que me mete confusão, ou o facto de achar que, neste caso em específico, pouco conteúdo acrescentou ao episódio. O certo é que é algo que não me agrada. Outro ponto, que pode não agradar a muitos, apesar de que particularmente não me importo, é que Dad Stop Embarrasing Me! tem aqueles risos de fundo.

Para além disso, o acting também não me conquistou por aí além e acho que isso também acabou por interferir um pouco no sentimento de ligação que era suposto sentirmos por parte dos personagens, uma vez que têm laços familiares entre eles e, consequentemente, isso acabou também por afetar a forma como eu me sentia em relação a estes. Isso, por sua vez, também interfere com a história porque faz parecer ainda mais que tudo é um pouco forçado.

No entanto, nem tudo foi negativo, uma vez que eu gostei bastante da introdução da série (que, não sei porquê, a Netflix não deixa saltar, mas ainda bem!). Apesar de saber que as introduções não têm grande importância para a série e que não são justificação suficiente para querer ver uma, eu achei a introdução de Dad Stop Embarrasing Me! tão bonita, e que se encaixa perfeitamente no contexto da série, que senti que tinha de a referir!

Apesar de tudo, o mais provável é que vá ver mais algum episódio (não sei é quando), principalmente porque sei que nem sempre o pilot mostra o potencial da série. No entanto, não entrou na minha lista de prioridades.

Cármen Silva