Classificação

6.5
Interpretação
5.5
Argumento
6.5
Realização
7.5
Banda Sonora

[Não contém spoilers]

Desde que Big Sky foi anunciada que fiquei com bastante curiosidade. A premissa parecia-me interessante e agradou-me o facto de Katheryn Winnick fazer parte do elenco, por isso foi uma boa surpresa descobrir que a série fazia parte das novas adições ao catálogo do Disney+. No entanto, a verdade é que esperava algo um pouco diferente deste episódio piloto de Big Sky. Esperava mais, o que não significa que o episódio tenha sido mau. O problema é que também não foi propriamente muito bom.

O ponto forte de Big Sky é, sem qualquer espécie de dúvida, as belíssimas paisagens. A banda sonora também é bastante competente na sua função, mas a série é problemática em muitas outras componentes. Começamos com uma quantidade de drama a mais entre as personagens principais e com um triângulo amoroso à vista que me deixou imediatamente de pé atrás, ainda para mais numa fase tão inicial. Depois, temos também alguns diálogos que são um tanto ou quanto bizarros e absurdos. O episódio de facto não tem um grande início, mas melhora, isso é certo. Levamos um certo tempo até sermos introduzidos ao(s) crime(s) no centro da trama, o que também é um ponto negativo, mas a partir daí tudo se torna mais interessante. Há uns quantos clichés, mas provavelmente são necessários.

Não estava à espera de que, nesta fase, já soubéssemos quem são os maus da fita. É certo que as coisas nem sempre são o que parecem, mas acho que aqui já ficou tudo bastante claro. Talvez o interesse seja percebermos as motivações e o desfecho que a história terá. As cartas estão em cima da mesa, portanto resta desfrutar da viagem. Pessoalmente, considero este formato de uma história que abarca toda a temporada mais interessante do que o habitual nos policiais, de um caso por episódio. Cada um tem as suas vantagens e desvantagens, mas vejo maior mérito nesta opção. Haverá tempo para explorar melhor os personagens e as dinâmicas entre eles, as suas motivações… A sério, e aquele twist já no final do episódio foi bastante… bom. Já tinha intuído qualquer coisa de errada, mas estava longe de imaginar aquilo.

Tinha também uma expectativa mais elevada em relação ao elenco. Ryan Phillippe nunca foi um grande ator, mas achei-o demasiado mediano e John Carroll Lynch também ficou um pouco aquém, bem como Winnick. No entanto, o guião não é dos melhores e sabemos o quanto isso pode ter influência na prestação do elenco. Há mais nomes, alguns deles conhecidos, como Kylie Bunbury (Pitch) e Brian Geraghty (Chicago P.D.), mas em comum têm o facto de nenhum dos seus personagens me ter conquistado minimamente.

Este episódio piloto de Big Sky não foi o suficiente para decidir se vou continuar a ver a série ou não, portanto lá terei de tirar a teima e ver mais um ou dois. No entanto, tenho que dar a mão à palmatória e admitir que estou curiosa por descobrir qual vai ser o destino destas mulheres que tiveram a infelicidade de se cruzar com aquele camionista!

Diana Sampaio