Classificação

7
Interpretação
6.5
Argumento
6.5
Realização
6.5
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Hightown segue a história de Jackie Quinones (Monica Raymond, de Chicago Fire), uma agente do Serviço Nacional de Pesca Marinha com um gosto particular por uma vida de festa, álcool e drogas numa pequena vila costeira com uma grande cultura noturna. A sua vida dá uma reviravolta quando encontra o corpo de uma mulher que deu à costa, levando-a a encontrar-se no centro de uma investigação de homicídio e de um mundo de drogas de uma forma que ainda não tinha vivenciado.

Antes de mais, é importante mencionar a dificuldade em escrever sobre o episódio piloto de uma série. O primeiro episódio tem que cobrir muito território narrativo num curto espaço de tempo. Para obter um bom piloto, é necessário preencher alguns parâmetros, tais como: criar o espaço e tempo narrativo da história de modo a que o espectador se consiga enquadrar e viver neste mundo; estabelecer o enredo principal e os arcos narrativos individuais das personagens-chave; estabelecer quais são estas personagens; incutir no espectador o apego por pelo menos uma personagem; e, o mais importante, o episódio piloto tem que intrigar o espectador, pois sem essa intriga ele não irá continuar a ver a série. Se o piloto preenche estes parâmetros eficientemente, então é quase que garantido que foi um bom primeiro episódio.

Ao assistir ao primeiro episódio de Hightown, algo que me chamou bastante à atenção foi Provincetown e como esta vila é retratada. Existe este visual sombrio e minimalista de uma vida simples dos pescadores, mesmo quando descobrimos que estes estão a praticar pesca ilegal; há quase uma visão calma, monótona e aborrecida da vida profissional de Jackie. Por outro lado, através da vida pessoal de Jackie, somos apresentados a um lado oposto de P-Town, um lado extremamente animado e exuberante. Assim, apenas pela representação da cidade, percebemos rapidamente que é uma cidade pequena e turística, extremamente amigável para com comunidade LGBT+ e incrivelmente animada.

Quanto ao enredo e arco narrativo das personagens, basta-nos avaliar a primeira cena. Começamos logo a série com a morte que irá então dar origem ao resto da temporada. Nesta primeira cena é-nos dito que a série irá lidar com o mundo das drogas, do álcool, prostituição e crime. Rapidamente nos apercebemos também que as nossas personagens-chave, de que irei falar mais a seguir, estão todas ligadas diretamente a cada um destes tópicos, dando assim um ponto de partida para o arco narrativo de cada uma durante o resto da temporada.

Hightown introduz-nos a várias personagens, mas de todas estas existem três a que eu chamo “personagens-chave”, aquelas que considero que vão estar no centro da história e as que vão ser as que mais afetam e mais são afetadas pelo enredo. Estas personagens são: Jackie Quinones, o Detetive Ray Abruzzo (James Badge Dale, de Iron Man 3) e Renee Shaw (Riley Voelkel, de The Originals).

Jackie, a nossa personagem principal, gosta de quebrar regras, tem problemas com drogas e álcool e ela é quem encontra o corpo na praia – durante o episódio, o seu estilo de vida e vícios são explorados e é de assumir que no futuro ela irá envolver-se na investigação do homicídio. Já o Detetive Abruzzo está a liderar a investigação e tem um papel de ponte entre as diversas histórias, visto que é o único que interagiu com Jackie, que está a investigar o homicídio, que confrontou Frankie (Amaury Nolasco, de Prison Break), e que forçou Renee a tornar-se sua informadora. E a personagem que mais me intriga, Renee Shaw, a mãe de um rapazinho de cinco anos, trabalha como stripper para o sustentar e tem uma relação com Frankie, um criminoso que está a cumprir pena de prisão e potencialmente está envolvido no homicídio da mulher encontrada na praia. Esta personagem em particular é a que tem mais a perder se esta investigação correr mal; é o elo mais fraco, pois como stripper não tem qualquer tipo de proteção, mas, ao mesmo tempo, não é uma personagem fraca e claramente tem que lutar só para sobreviver e cuidar do seu filho.

Todas as personagens em Hightown têm bastante potencial. Como já mencionado, já estou emocionalmente investida com a personagem que Riley Voelkel interpreta e com Jackie, mas vejo valor em todas as personagens que nos foram apresentadas e, felizmente, ainda não existe nenhuma que ache aborrecida ou desnecessária para o enredo.

Isto tudo só para chegar a este último ponto… Considero Hightown intrigante o suficiente para continuar a ver na próxima semana, sem dúvida alguma que sim.

Esta série tem bastante potencial, o primeiro episódio foi interessante e intrigante, tem boas personagens, uma base de enredo um tanto cliché, mas o potencial para um bom desenvolvimento está lá e em geral esta série tem todas as bases para fazer sucesso.

Liliana Capucho