Classificação

8
Interpretação
8.5
Argumento
7.5
Realização
7
Banda Sonora

Já alguma vez imaginaram ver a Drew Barrymore, esse legado do cinema americano, a comer ( literalmente ) o Richard Castle ( sim, o tipo da série )?

Não?

Pois, é exatamente isso que acontece logo no primeiro episódio de Santa Clarita Diet. Drew Barrymore interpreta, nesta nova série da Netflix, uma mulher casada com uma filha adolescente que vive num bairro rico. Tem uma boa vida, trabalha com o marido, que é agente imobiliário, e sofre de uma espécie de crise de meia idade onde percebe que se tornou uma mulher apática que arrisca pouco. Tudo isto normal até ela se tornar num zombie. Sim, isso mesmo. Não é um daqueles Zombies ao estilo de The Walking Dead ou de iZombie. Não, é um zombie que mais parece estar sobre o efeito de algumas substâncias químicas. De repente, ela começa a fazer tudo o que lhe dá na cabeça ao ponto de comer, sim comer, literalmente um colega de profissão que estava a dar em cima dela.

Basicamente, Santa Clarita Diet oferece aos espetador uma visão cómica de um casal, cuja mulher se torna zombie e eles têm de aprender a lidar com isso. A história não passa muito disto. É estranho, ridículo e até nojento mas a verdade é que a história entranha-se. Apetece-me dizer que a série é tão sem sentido que tem todo o sentido. É, de certo modo, refrescante tendo em conta o panorama televisivo actualmente.

Vale bem a pena passar pelos dez episódios deste tão esperado produto da Netflix. É natural que achemos a série estranha mas, como não gostar de algo numa sociedade onde o estranho é o novo sexy?

Carlos Real