Manhattan Love Story é a nova aposta da ABC relativamente a comédias românticas. Estreou no último dia do mês de Setembro e, a meu ver, é uma série que promete. Os pensamentos dos protagonistas, Dana e Peter, são mostrados ao espectador, em voz off. Este aspecto torna-se interessante quando estes iniciam uma relação, permitindo ao espectador perceber como é que o relacionamento se desenvolve, de forma mais íntima.

Logo no início temos alguma esterotipização, quando vemos Peter a caminhar por entre as pessoas, na rua, e a avaliar os atributos físicos das mulheres com quem se cruza. O mesmo acontece com Dana, mas de maneira diferente, quando cobiça as malas das mulheres que por ali andam. Até que passam um pelo outro, e nem têm noção que os amigos de ambos lhes marcaram um blind date.

Acabamos por ter a noção de Peter como um homem desprendido, e Dana, é aquela desajeitada adorável, que chega ao ponto de ser ingénua. O encontro acaba por não correr muito bem, e Dana abandona o restaurante.

No dia seguinte, Peter tenta remediar a situação, e visita Dana com um ramo de flores, além de a convidar para jantar. Maaaas…tudo se desmorona, muito rapidamente…para depois se resolver.

Acho que esta série pode dar certo pelo conceito da voz-off, algo que marca pela diferença relativamente às outras séries do género.

Nota: 7/10

Beatriz Barroca