Há séries que eu nunca queria que acabassem porque conseguiram sempre manter-me interessada por mais temporadas que tenham tido. No entanto, não é disso que vou falar, bem pelo contrário.

Castle, Bones, How I Met Your Mother, Grey’s Anatomy, Desperate Housewives, Hospital Central, E.R. são alguns bons exemplos de séries que para mim acusaram (ou ainda acusam) algum (ou muito) desgaste.

Todas elas são séries das quais gostei bastante em determinada altura, mas isso não impede que lhes tenha desejado o final bem mais cedo do que na realidade aconteceu (ou acontecerá). Um fim no momento certo é o que qualquer série deveria exigir para si. Para assim acabar em alta e não apenas manter como espectadores aqueles fãs tão fiéis que só não desistem pelas personagens a que se apegaram.

How I Met Your Mother ainda há pouco acabou, mas estava realmente na altura. Uma temporada toda passada durante um fim de semana de um casamento? Minha nossa, casassem-se mais cedo que eu só queria saber da Mãe 😀 A Mãe *.* Adorei-a! Sempre fantasiei com a Natalie Portman no papel, mesmo sabendo que nunca ia acontecer. Não tive Natalie, mas Cristin Milioti é tão fofa, tão adorável, fantástica, que não podia ser melhor! Se desfrutei alguma coisa nesta temporada, foi dela. Confesso que houve uma altura (pela 6.ª ou 7.ª temporada) que estive mesmo prestes a deixar de ver a série, mas lá me mantive fiel até ao fim. Still, didn’t like the end.

Desperate Housewives também teve a sorte de entrar na temporada final quando me preparava para a abandonar. Como era a última, lá alinhei em ver. O que é que passou pela cabeça daquela gente para destruir o casamento do Tom e da Lynette? E matar o Mike? E aquele correrio de vizinhos estranhos com segredos? Aquilo era o sítio aonde todas as pessoas com segredos iam parar? Ao menos podia haver um único vizinho vulgar para amostra. Renee, obrigada por teres mantido a série divertida. Depois da morte da Edie, era preciso outra doida que significasse uma lufada de ar fresco na série. E aquela series finale? Péssima.

Castle e Bones são aquelas séries que começaram a perder a piada quando os personagens principais finalmente começaram a namorar. Depois de tanto tempo à espera, durante uma ou outra temporada é giro vê-los juntos, mas depois já é do género: next. Está tudo resolvido, acabem com a série 😛 Castle ainda consegue ter piada, Bones tem estado bastante morta… No entanto, ambas podiam terminar, já não há muito a acrescentar a nenhuma.

Hospital Central e E.R., duas séries médicas muiiiiiiiiiito extensas. Duas séries que não vi do início, fui mais seguidora a partir da segunda metade… E.R. deixei mesmo de ver. Quando a Abby traiu o Luka eu passei-me e não vi mais. Além disso, o elenco estava completamente mudado, aquilo já era muita gente nova para o meu gosto. O Hospital Central… A mesma coisa… As personagens que eu gostava foram saindo, vi até ao fim porque não tinha nada mais interessante para fazer 😛 Outro mau final de série.

Grey’s Anatomy é para mim o caso mais flagrante. A série que esteve no número 1 da minha lista por vários anos, caiu muitos lugares. Tudo isto por causa da novela mexicana em que aquilo se torna tantas vezes. Casais que NUNCA sabem o que querem, enredos que não têm lógica nenhuma e parecem vindos do nada (ou pior, são completamente da cabeça de Shonda Rhimes)… Além disso, quanto mais durar, mais gente deve morrer. E há gente dispensável, mas também há ali muita boa gente que quero ver sair dali viva 😛 Sempre disse que esta seria a temporada certa para a série acabar, mas esta temporada já teve momentos muiiiiiito maus. É esperar que não repita porque se não… Se não… Bem, continuarei a ver à mesma, mas isso não significa que continuarei a gostar. Sou simplesmente muito fiel à Callie, à Arizona e à Meredith.

Diana Sampaio.