Classificação

7.5
Interpretação
8.5
Argumento
7
Realização
7
Banda Sonora

Friendship is not a big thing… It’s a million little things

Temporada: 3

Episódios: 18

[Pode conter vestígios de spoiler]

A Million Little Things regressou em força para uma 3.ª temporada forte e muito emotiva. A série de drama criada por DJ Nash para o canal norte americano ABC que decorre em Boston, depois de um final explosivo já tem garantida uma quarta temporada.

A terceira temporada de A Million Little Things começa com a premissa da pandemia mundial de Covid-19. Tal como a muitos de nós, também estes personagens tiveram de fechar negócios, perderam trabalhos e ficaram “presos” noutros países por cancelamentos de voos.

Os fãs desta série sabem que o início atribulado da mesma, com o suicídio de Jon (Ron Livingston), foi o despoletar de muitas fases negras que estes amigos iriam passar, e a pandemia foi introduzida nesta terceira temporada de forma muito ténue e com um fio condutor feito de forma excelente e nada forçado, sendo um dos pontos altos desta terceira temporada de A Million Little Things.

Gary, Delilah & Darcy

Podemos começar com Gary (James Roday Rodriguez) que no fim da temporada anterior tinha ficado com Sophie (Lizzy Greene) e Danny (Chance Hurstfield), pois Delilah (Stéphanie Szostak) ia fazer uma viagem com o pai a Paris, mas que nesta terceira temporada de A Million Little Things ficou presa devido ao cancelamento do voo e mais tarde porque o pai se magoou, acabou por ter de ficar a recuperar e não podia viajar. Delilah é uma personagem peculiar, é boa mãe ninguém diz o contrário, mas não lida bem com certas situações, muitas vezes causadas pela própria. Mas voltando a Gary, o romance com Darcy (Floriana Lima) teve os seus altos e baixos, nesta terceira temporada. Gary finalmente conhece Liam (Mattia Castrillo) que diga-se de passagem é um miúdo muito mimado e irritante. Todos os fãs de A Million Little Things sabem que Gary merece ser feliz por tudo o que é e que faz pelos outros; nesta terceira temporada conhecemos o pai de Gary e foi dos momentos mais bonitos e preciosos a que assisti em televisão. Gary continua, no entanto, a cuidar mais dos outros do que si próprio e isso reflete-se nas suas relações amorosas, e esta terceira temporada de A Million Little Things termina com um ponto de interrogação gigante no que toca à vida de Gary e de Darcy, que irá mudar-se.

Rome & Regina

Um casal que estava pronto para ser pai e mãe e depois tem aquele desgosto merece o melhor certo? Pois Rome (Romany Malco) e Regina (Christina Moses) não têm tido descanso. Nesta terceira temporada de A Million Little Things, Rome perde o filme para o qual tanto trabalhou e se esforçou para conseguir e Regina acaba por perder “Someday” devido à pandemia. Mas nem tudo foi mau para este casal que por tanto tem passado e que continua firme, Tyrell (Adam Swain) aparece na vida de Rome e Regina. Um adolescente que durante o Covid anda de porta em porta a vender barras energéticas e que acaba por entrar no restaurante de Regina e ajudar no take-away durante a pandemia. Tyrell está sem família pois a mãe foi deportada e acaba por ficar ao cuidado de Rome e Regina. Walter (Lou Beatty Jr.) após ter ficado viuvo conhece Florence (Karen Robinson) e parece que esta familia iria começar a ter paz, mas como tudo nesta série tem o seu “Q” de dramático, George Floyd morre pela mão da policia norte americana e o movimento Black Lives Matter começa também nesta terceira temporada de A Million Little Things. Mais uma série que trouxe à tona este movimento tão importante e necessário nos dias que correm mas que o fez de uma forma brilhante e real.

Eddie, Katherine, Theo & Alan

Pode dizer-se que esta foi a storyline desta terceira temporada que foi mais do mesmo e que já se torna bastante aborrecida, mas que até conseguiu ter um desfecho interessante. Todos sabemos que o acidente de Eddie (David Giuntoli) foi um golpe duro, e que com força de vontade ele teria conseguido superar, mas não foi assim que aconteceu. Eddie, tinha realmente um problema com a bebida e passou a ter um problema com comprimidos, e foi a gota de água com Katherine (Grace Park), o que é compreensível. Acho apenas que Katherine no que toca a Theo nem sempre toma as melhores decisões a acha sempre que ela é que tem razão; muitas das vezes até pode ter no entanto não o demonstra da melhor maneira e isso é visível tendo em conta o que aconteceu com Alan (Terry Chen) nesta terceira temporada, e mais importante que isso com Theo (Tristan Byon). Penso que Eddie começou com uma percentagem negativa de “likes” mas que ao longo da temporada conseguiu mostrar que queria ser uma pessoa melhor e lutar pelos seus direitos como pai.

Sophie

A storyline de Sophie, nesta 3.ª temporada de A Million Little Things, é tão assustadora quanto real. É difícil pensar o que faria se fosse comigo por exemplo, mas ninguém sabe o que faria num momento desses e Sophie por estar tão assustada e nervosa com tudo o que estava a acontecer não agiu da melhor forma. Sophie foi assediada por Peter (Andrew Leeds), o seu professor de música. A Million Little Things, tem um toque muito realista, e esta foi sem dúvida uma das mais brilhantes ao longo da terceira temporada. Sophie tem um longo caminho a percorrer e ainda muita coisa poderá vir a acontecer na próxima temporada mas o que importa é que se mostrou a realidade e a seriedade do que acontece cada vez mais na atualidade.

Maggie

Maggie (Allison Miller) sempre foi o ponto de equilíbrio do grupo, apesar da sua história de vida difícil e cruel. Fez-lhe muito bem estar no Reino Unido e mudar de vida, porque a personagem cresceu e consegue ajudar o resto do grupo de uma maneira mais focada e simples. Teve um acontecimento marcante no inicio desta temporada mas conseguiu ultrapassá-lo com a ajuda de Jamie (Chris Geere) que foi uma das melhores adições a esta 3.ª temporada de A Million Little Things. Maggie começa um podcast que te a pretensão de ajudar os outros com situações difíceis da sua vida e acaba por dar um cunho próprio e mais certo à personagem, tendo sido uma das melhores storylines desta temporada.

A 3.ª temporada de A Million Little Things foi de todas até agora a melhor. Inicialmente havia aquele estigma de ser wannabe This is Us mas felizmente conseguiu o seu lugar ao sol e tem tudo para ser uma das melhores séries de drama da atualidade. O elenco é excelente e não precisa de ter uma cinematografia fantástica ou uma realização over the top porque a história vence e convence tudo e todos.

Personagem de destaque:

Rome Howard (Romany Malco) – Devo confessar que não foi fácil escolher a personagem desta categoria e que Gary possivelmente deveria ser o escolhido, o que é facto é que Rome acabou por ser a personagem com uma maior evolução e o desfecho de Gary deixou a desejar. Rome perdeu o filme para o qual tanto trabalhou mas mesmo assim ganhou um propósito com a adoção de Tyrell, e mais tarde com o movimento Black Lives Matter. Claro que Gary é aquele amigo disponível para todas as horas mas nesta terceira temporada de A Million Little Things, Rome, merece o pódio por tudo o que fez pelos que mais ama.

Melhor episódio:

Episódio 15 – Not Alone Este episódio é o marco e o ponto de viragem na história de Sophie, que foi sem dúvida uma personagem que se destacou nesta 3.ª temporada de A Million Little Things. A forma como este episódio foi construido, a banda sonora e a interpretação da atriz Lizzy Greene, foram essenciais para que considerasse este episódio o melhor da temporada. Emoções fortes são a palavra de ordem em A Million Little Thingse este episódio mostra o que esta série tem e sabe fazer de melhor.

Margarida Rodrigues Pinhal