Tanto a língua como a cultura alemã não são muito populares em Portugal, uma das razões pela qual, talvez, não vejamos assim tantas séries provenientes dos países germânicos. Lembro-me de ver alguns policiais de língua alemã na televisão quando era mais pequena, como por exemplo Kommissar Rex (Rex, o Cão Polícia, em português) ou Alarm für Cobra 11 (Alerta Cobra), séries de que se deverão lembrar, pois são, talvez, as mais conhecidas do povo português. No entanto, a entrada da Netflix no mercado levou a que houvesse uma globalização e a plataforma de streaming começou a apostar em originais de vários países, Alemanha incluída. Desta forma, deixo-vos aqui algumas das melhores produções alemãs originais da Netflix que já vi até hoje.

DARK: Não podemos falar de séries da Netflix ou alemãs sem falar em Dark. Dark foi a primeira série original Netflix alemã, tendo estreado em dezembro de 2017 e sendo da autoria de Baran Bo Odar e Jantje Friese. Comparada a Stranger Things, Dark depressa se tornou numa das séries Netflix mais vistas no mundo, um grande feito para uma série de língua alemã! A série foi bastante bem recebida pela crítica e aclamada pelo público dos quatro cantos do mundo. Tal como na série americana, há um rapaz que desaparece, mas o enredo vai muito  para além disso, juntando as viagens no tempo com princípios da física, da religião e filosóficos. A complexidade da série poderia ser uma das razões para esta não singrar entre o público, mas isso não aconteceu. Com um argumento muito bem estruturado e elaborado de forma muito inteligente e sem descurar qualquer pormenor, Dark agarra-nos ao ecrã, deixando-nos à espera da próxima reviravolta, pois o óbvio nem sempre – ou atrevo-me mesmo a dizer nunca – o é. Além disso, a série prima pelo casting intergeracional, pela qualidade dos atores, por uma fotografia incrível e por uma banda sonora surreal, ajudando-nos a imergir no ambiente da série. É uma série que recomendo a toda a gente.

Dogs of Berlin: A segunda série original Netflix é da autoria de Christian Alvart. A série passa-se em Berlim e explora o submundo do crime na capital alemã. Entre racismo e preconceito, dois polícias, um ex-nazi e um descendente turco, têm de se juntar para resolver o homicídio de um jogador de futebol. É uma série que não foi bem recebida pela crítica, ao contrário de Skylines, série de que não gostei assim tanto, mas que eu achei excelente. Apesar das limitações impostas pela Netflix, a série conseguiu retratar fielmente um mundo que não pode ser suavizado. Se não se importam de ver um bocadinho de sangue, de nudez e ouvir uns quantos palavrões, dêem uma oportunidade a Dogs of Berlin.

Unorthodox: Esta produção alemã é falada maioritariamente em inglês e iídiche e já conquistou o público e a crítica. Unorthodox estreou há bastante pouco tempo e já anda nas bocas do mundo pela sua qualidade e por retratar um assunto importante e muitas vezes esquecido. Realizada por Maria Schrader (Deutschland 83/86) e com Anna Winger como uma das argumentistas, também ela argumentista e criadora de Deutschland 83/86, a série conta a história de uma rapariga que vive numa comunidade ultraortodoxa e que decide mudar-se para Berlim na esperança de poder começar uma vida nova. Unorthodox é baseada na história real de Deborah Feldman e apresenta-nos uma jornada emocionante que devia ser vista por todos.

How to Sell Drugs Online (Fast): Mais uma produção alemã de excelência. How to Sell Drugs Online (Fast) é baseada na história real de um rapaz que lança um negócio de venda de drogas online para reconquistar a namorada. Tenho de admitir que, apesar da crítica e das recomendações, a premissa da série nunca me tinha chamado à atenção, mas, como acontece de vez em quando, o meu trabalho obriga-me a ver séries que eu não tinha pensado ver e esta foi uma delas. E que boa surpresa! Os episódios têm cerca de 28 minutos, o género é a comédia dramática e o tempo passa a correr. Vi toda a 1.ª temporada numa manhã, por isso se vos apetece ver alguma coisa divertida e ao mesmo tempo bem feita, sigam as peripécias de Moritz Zimmermann na sua tentativa de recuperar a namorada que regressou de um ano fora, na América.

Criminal: Deutschland: Parte do franchise Criminal, Criminal: Deutschland é a minissérie mais bem conseguida dos quatro países, que incluem França, Reino Unido e Espanha. A série passa-se numa sala de interrogatório e aquilo que nos agarra é o argumento e o desempenho dos atores. Para quem gosta de crime e policiais e já está um bocadinho farto do que os EUA nos costumam mostrar com tantos NCIS e Criminal Minds, Criminal é uma lufada de ar fresco e sem ser preciso recorrer a duplos ou a acrobacias mirabolantes. O primeiro episódio da Alemanha é aquele que se destaca, pois deixa-nos a pensar em mil e uma opções do que pode ter acontecido, mas nunca iríamos chegar ao desfecho sozinhos. Já sabem, se gostam de séries com menos ação e mais qualidade de argumento e interpretação, esta é uma excelente escolha.

Já viram alguma destas séries? Qual é o vosso original Netflix alemão preferido?

Cláudia Bilé