Hacks – Crítica da 3.ª temporada
| 02 Jul, 2024
9.05

Publicidade

Criada por Paul W. Downs, Lucia Aniello e Jen Statsky, Hacks explora a parceria peculiar entre Deborah Vance, uma lendária comediante de Las Vegas (Jean Smart), e Ava, uma arrogante jovem escritora (Hannah Einbinder). A história da série começa quando o agente de Deborah exige que ela, depois de mais de 2500 espetáculos, se junte a uma novata escritora de comédia numa tentativa de atrair um público mais jovem e inovar o conteúdo das piadas, bem como evitar que o seu espetáculo seja cancelado.

A 3.ª temporada de Hacks avança um ano no tempo, depois de Deborah e Ava terem decidido seguir caminhos separados no final da temporada anterior. Agora, Deborah encontra-se a desfrutar do sucesso do seu espetáculo de stand-up, enquanto Ava é argumentista de uma série de comédia em Los Angeles, mas os seus caminhos voltam a cruzar-se quando surge a oportunidade de Deborah realizar o seu sonho de apresentar um talk show noturno. Desta vez, porém, a dinâmica entre as duas é completamente diferente. Se antes Ava era a empregada submissa de Deborah, agora ela tem mais poder e, apesar de as duas não estarem necessariamente ao mesmo nível, há um respeito mútuo com o qual Ava só poderia sonhar na 1.ª temporada. Mesmo assim, é a jovem quem mais se sacrifica para ajudar Deborah a realizar o seu sonho. Não há dúvidas de que Ava torna Deborah numa pessoa melhor, mas, depois de perder a namorada e o emprego à custa da comediante, a jovem mostra que aprendeu umas coisas com Deborah, revelando toda a crueldade da qual também é capaz num surpreendente episódio final em que Einbinder entrega uma performance poderosa. A história da temporada está brilhantemente construída para culminar neste final estrondoso. Sem dúvida, o ponto alto da série.

Apesar do foco na nova (e complicada) dinâmica entre as duas, a grande estrela desta temporada é Deborah. A lendária comediante sempre foi a protagonista da série, mas o seu arco brilhou particularmente nesta 3.ª temporada. A escrita impecável da personagem, aliada à interpretação de Smart, que até agora lhe rendeu dois Emmys de Melhor Atriz em Comédia, tornou Deborah uma das minhas personagens favoritas de sempre. Smart está particularmente sensacional nesta temporada, uma verdadeira montanha-russa para Deborah, que lida com o sucesso, o envelhecimento e a solidão, ao mesmo tempo que tenta reconstruir a sua relação com a irmã. A comediante recusa aceitar que está a ficar velha, fazendo dezenas de procedimentos estéticos, tirando até as meias para se pesar e não aceitando que está a perder a audição, mas pelo menos admite que se sente sozinha. Ao longo da temporada, na busca pelo seu sonho de apresentar um talk show, vão sendo desvendadas facetas de Deborah que até aqui desconhecíamos e, se algumas a humanizam, outras mostram o seu pior lado. Todas elas, porém, contribuem para construir uma das personagens mais complexas que já tive o prazer de acompanhar. E quantas séries há por aí com uma complexa protagonista feminina com mais de setenta anos? Hacks é uma série rara.

A 3.ª temporada de Hacks é, ao mesmo tempo, comovente e hilariante. Há momentos vulneráveis de partir o coração entre Deborah e Ava e cenas muito engraçadas entre Jimmy (Paul W. Downs) e Kayla (Megan Stalter), personagens também cada vez mais complexas. Com isto tudo, não há muito mais espaço para as histórias de outras personagens. Ainda vemos DJ (Kaitlin Olson) a celebrar a sua sobriedade e a preparar-se para a chegada do primeiro filho, mas Marcus (Carl Clemons-Hopkins), por exemplo, quase nem vê-lo. É o pequeno preço a pagar em troca da melhor temporada de Hacks.

A série já tem uma 4.ª temporada confirmada. Até lá, podes ver as três temporadas na Max!

Melhor episódio:

Bulletproof  (Episódio 9) – Só posso dizer que é um episódio final ao nível de Succession. As performances de Jean Smart e, principalmente, de Hannah Einbinder alcançam um novo pico, num episódio que lhes valerá, com certeza, uma indicação ao Emmy.

Personagem de Destaque:

Deborah Vance (Jean Smart) – Não poderia ter escrito esta crítica e apontar outra personagem se não Deborah como o destaque desta temporada. Deixo, no entanto, uma menção honrosa para Kayla, que nesta temporada deixou de parecer uma caricatura e tornou-se uma personagem tridimensional com a qual, agora, simpatizo bastante.

Hacks - Crítica da 3.ª temporada
Temporada: 3
Nº Episódios: 9
9.05
10
Interpretação
9.5
Argumento
8
Realização
8
Banda Sonora

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

sissi sisi s2

Recomendamos